KMFDM

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes (desde Maio de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
KMFDM
KMFDM1.jpg
KMFDM, ao vivo, em 2005
Informação geral
Origem Hamburgo
País  Alemanha
Gênero(s) Rock industrial
Metal industrial
Electro-industrial
EBM
Período em atividade 1984 - atualmente
Integrantes Sascha Konietzko
Lucia Cifarelli
Jules Hodgson
Andy Selway
Steve White
Ex-integrantes Udo Sturm
Raymond Watts
Rudolf Naomi
En Esch
Mark Durante

KMFDM foi a primeira banda de rock industrial, que tem como membro fundador o alemão Sascha Konietzko. KMFDM foi fundada em 29 de Fevereiro de 1984 em Paris, como uma reunião entre Konietzko e o pintor e performista alemão Udo Sturm para se apresentarem na exibição dos jovens artistas europeus no Grand Palais. Sturm não tinha muitas aspirações musicais e Sascha estava mais interessado no estúdio do que performance artística ocasional, então em Hamburgo, na Alemanha, se juntou ao dono de estúdio Raymond Watts e o baterista Klaus Schandelmaier, mais tarde conhecido como En Esch. Após percorrerem o underground de Hamburgo e gravarem três álbuns em estúdios europeus eles começaram sua relação com a Wax Trax! Records em Chicago, Illinois. Após excursionarem com o Ministry em 1989-1990, eles assinaram com a Wax Trax! Records e rapidamente se tornaram parte da cena de música industrial em Chicago que inclui o Ministry, Front 242 e My Life With the Thrill Kill Kult. Sascha então se mudou para Chicago; Esch foi para lá um ano depois. Depois do amigo íntimo e presidente da Wax Trax! Records Jim Nash morrer em decorrência da AIDS, o KMFDM mudou-se para Seattle, em Washington.

KMFDM não tem uma formação fixa; é um entra-e-sai de colaborações. Sascha é o único membro diretamente envolvido com todos os álbuns do KMFDM. En Esch, Raymond Watts, e o guitarrista Günter Schulz são outros membros-chave na história da banda.

Outros músicos notáveis que contribuíram ao KMFDM incluem Bill Riefflin (Ministry e R.E.M.), Nivek Ogre (Skinny Puppy and OhGr) John DeSalvo (ChemLab), Tim Skold (Shotgun Messiah, Marilyn Manson e Skold), F.M. Enheit (Einstürzende Neubauten, Nina Hagen), e falas da artista Nicole Blackman. E também Chemlab, Die Warzau, Nine Inch Nails, My Life With the Thrill Kill Kult, e Giorgio Moroder remixaram músicas do KMFDM.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

Seu significado em alemão é “Kein Mehrheit Für Die Mitleid” que traduzido significa "Sem piedade da maioria".

Membros atuais[editar | editar código-fonte]

  • Sascha Konietzko (a.K.a. the Kapt'n): Vocal, Baixo, Sintetizador, Programação e Percussão.
  • Lucia Cifarelli: Vocal
  • Jules Hodgson: Guitarra, Baixo, Teclado
  • Andy Selway: Bateria
  • Steve White: Guitarra

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns de estúdio[editar | editar código-fonte]

Singles/EPs[editar | editar código-fonte]

  • Kickin’ Ass (1988)
  • Don't Blow Your Top (1988)
  • More & Faster (1988)
  • Virus (1989)
  • Godlike (1990)
  • Split/Piggybank (1991)
  • Vogue/Sex On The Flag (1992)
  • Money (1992)
  • Help Us – Save Us – Take Us Away (1992)
  • Sucks (1992)
  • A Drug Against War (1993)
  • Light (1994)
  • Glory (1994)
  • Sin Sex & Salvation (1994)
  • Juke Joint Jezebel (1995)
  • Juke Joint Jezebel (The Moroder Mixes) (1995)
  • Brute (1995)
  • Trust (1995)
  • Year of the Pig (1995)
  • Rules (1996)
  • MDFMK (1997)
  • Boots (2002)
  • Ruck Zuck (2006)

Trilha Sonoras de filmes e videogames[editar | editar código-fonte]

Videografia[editar | editar código-fonte]

  • More & Faster
  • Naïve
  • Vogue
  • Money
  • A Drug Against War
  • Juke-Joint Jezebel
  • Son Of A Gun
  • Megalomanic
  • Attak/Reload
  • Skurk
  • Stars And Stripes
  • Ultra

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Seções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.
  • O KMFDM acabou em 1999, com o álbum Adios, mesmo ano que aconteceu o Massacre de Columbine. Inclusive, na época, descobriu-se que os jovens que realizaram o massacre eram fãs da banda.

Um dos atiradores, Eric Harris, tinha postado em seu site as letras de algumas músicas da banda (Power, Son Of A Gun, Stray Bullet, Waste), e o tiroteio foi realizado no dia que a banda lançava o álbum e no mesmo dia do aniversário de Hitler. A mídia rapidamente acusou a aparente conexão do massacre com entretenimento violento e Nazismo. Sascha fez o seguinte pronunciamento sobre esse dia:

Cquote1.svg Primeiro e mais importante, o KMFDM gostaria de expressar seus pêsames e simpatia aos amigos, famílias e amigos das crianças feridas e mortas em Littleton. Nós estamos mal e abalados, assim como o resto da nação, sobre o que aconteceu no Colorado ontem.

O KMFDM é uma forma de arte - não um partido político. Antes de tudo, nossa música é um protesto contra guerra, opressão, fascismo e violência contra os outros. Mesmo que alguns membros da banda sejam alemães como divulgado pela mídia, nenhum de nós acredita em nenhuma crença nazista.

Cquote2.svg
  • Durante esse "período de descanso", alguns membros da banda formaram um projeto paralelo chamado MDFMK, que lançou um disco EP auto-intitulado.
  • A banda voltou em 2002 e em 2004 excursionou por 62 países da América do Norte, Europa e Oceania.
  • O nome da banda já gerou muita polêmica e já fizeram muitas listas sobre o que a sigla poderia significar. A banda revela que KMFDM quer dizer Kein Mitleid Fur Die Merheit, que pode ser traduzido para o português como Sem Piedade pela Maioria.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Flag of Germany.svgGuitarra masc.png Este artigo sobre uma banda ou grupo musical da Alemanha, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.