Ken Saro-Wiwa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Kenule "Ken" Beeson Saro-Wiwa (10 de outubro de 194110 de novembro de 1995) foi um escritor, produtor e ativista ambiental da Nigéria. Saro-Wiwa pertencia ao povo Ogoni, um grupo étnico minoritário nigeriano radicado no delta do Níger, e liderava - através do Movimento pela Sobrevivência do Povo Ogoni - uma campanha não-violenta contra a degradação ambiental das terras e das águas da região pelas petrolíferas transnacional, especialmente a Shell. Por conta de seu ativismo, ele acabou preso em 1994 à mando do regime militar que vigorava então. Em um processo judicial considerado fraudulento, Saro-Wiwa foi condenado à morte e enforcado em 1995.[1] [2] [3] Em 2009 a empresa Shell, reconhecendo a sua implicação na morte do ativista e dos seus oito companheiros, também com ele enforcados, pagou 15,5 milhões de dólares às famílias das vítimas, esperando assim minimizar os efeitos negativos para sua imagem deste caso.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Cartography of Africa.svgHourglass drawing.svg Este artigo sobre História da África é um esboço relacionado ao Projeto África. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


Erro de citação: existem marcas <ref>, mas falta adicionar a predefinição {{referências}} no final da página