Royal Dutch Shell

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Royal Dutch Shell plc
Slogan Get the most out of every drop (Aproveite ao máximo cada gota)
Tipo Privada, Sociedade anônima
Cotação Euronext: RDSA
LSE: RDSA / RDSB
NYSE: RDS.A / RDS.B
Indústria petrolífera e de energia
Fundação 1907
Sede Haia,  Países Baixos
Londres,  Reino Unido
Pessoas-chave Jorma Ollila, Chairman
Peter Voser, CEO
Simon Henry, CFO
Malcolm Brinded, Diretor de Upstream Internacional
Matthias Bichsel, Diretor de Projetos & Tecnologia
Mark Williams, Diretor de Downstream
Produtos Petróleo
Gás natural
Produtos petroquímicos
Valor
de mercado
Green up.png US$ 212.9 bilhões (2010)
Lucro Green up.png US$ 20.1 bilhões (2010)
Faturamento Green up.png US$ 369.0 Bilhões (2010)
Página oficial www.shell.com

Royal Dutch Shell ou simplesmente Shell, é uma empresa multinacional petrolífera Anglo-Holandesa, que tem como principais atividades a refinação de petróleo e a extração de gás natural.

É a maior multinacional do mundo, em termos de receita[2] e é junto a ExxonMobil, BP e Chevron, uma das quatro maiores empresas petrolíferas. Shell, também é a empresa de maior lucro dos Países Baixos e foi, em 2009, a terceira empresa de maior lucro do mundo (apenas atrás de ExxonMobil e da Gazprom) [3]

História[editar | editar código-fonte]

O grupo Royal Dutch Shell foi fundado em 1907, quando a companhia Real Holandesa de Petróleos (em neerlandês: N.V. Koninklijke Nederlandsche Petroleum Maatschappij) e a companhia Shell Transport and Trading Company Ltd fundiram suas operações a fim de competir mundialmente com a gigantesca empresa estadunidense Standard Oil. Antes da fusão, o grupo operava com uma série de acordos accionários e operatórios.

A Royal Dutch Petroleum Company era uma companhia Holandesa fundada em 1890 por Jean Kessler, junto a Henri Deterding e Hugo Loudon, quando um estatuto real foi concedido pela rainha Guilhermina dos Países Baixos a uma pequena companhia de exploração petrolífera conhecida como Royal Dutch.

La Shell Transport and Trading Company era uma companhia britânica fundada em 1897 por Marcus Samuel e seu irmão Samuel Samuel.

Em 1919, a Shell tomou controle da Mexican Eagle Petroleum Company e, em 1921, formou Shell-Mex Limited, que comerciava produtos com as marcas Shell e Eagle no Reino Unido. Em 1931, parcialmente em resposta às difíceis condições econômicas daqueles tempos, Shell-Mex fundiu suas operações de mercado no Reino Unido com as da British Petroleum e criou a Shell-Mex and BP Ltd., uma companhia que funcionou até as marcas se separarem em 1975.

Em novembro de 2004, foi anunciado que o grupo Shell se cambiaria a uma estrutura de capital simples, criando uma nova companhia que se chamaria Royal Dutch Shell Plc, com sua principal inscrição na bolsas de valores de Londres e de Amsterdã e sua sede central em Haia, nos Países Baixos. A unificação foi completada em 20 de julho de 2005. As ações foram emitidas em uma parcela de 60/40 para os accionários da Royal Dutch.

Em janeiro de 2010, a Shell e a Cosan integraram-se e formaram a Raízen.

Origem do nome e do logotipo[editar | editar código-fonte]

A origem da marca Shell está vinculada as origens da Shell Transport and Trading Company. Em 1833, o pai do fundador, chamado Marcus Samuel, fundou um importante negócio para vender conchas marinhas a colecionadores de Londres. Ao colectar espécimes de conchas marinhas na zona do mar Cáspio em 1892, o jovem Samuel se deu conta de que havia potencial de exportar querosene desta região e pôs em serviço o primeiro navio construído para transportar petróleo do mundo, o Murex, para entrar neste mercado. Em 1907, a companhia já tinha uma frota de navio petroleiros.

O logotipo da Shell é um dos símbolos comerciais mais conhecidos do mundo. É conhecido como "pecten", em alusão à concha Pecten maximus (popularmente conhecida por vieira), na qual foi baseada. A atual versão do logotipo, desenhada por Raymond Loewy, foi apresentada em 1971.

Atividades[editar | editar código-fonte]

Uma das sete irmãs[4] , a Royal Dutch Shell é a terceira maior companhia petrolífera e líder da indústria petroquímica e de energia solar. Shell tem cinco atividades principais: exploração e produção, gás e energia, produtos petroquímicos, energia renovável e comércio/distribuição e opera em mais de 140 países no mundo.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

No Brasil, a Shell acabou patrocinando o cantor Wilson Simonal. Depois do feito histórico do cantor ao reger um coro de 30 mil pessoas no Maracanãzinho em 1969, os diretores da Shell ficaram impressionados com sua popularidade. Em novembro daquele ano, Simonal acabou assinando um contrato milionário com a petrolífera e se tornou seu garoto-propaganda. O contrato duraria atá o começo 1971 depois de diversos problemas. Um dos mitos é de que Simonal era irresponsável, e teria deixando o presidente da Shell aguardando uma hora e meia no aeroporto. Fato que acabou desmentido pelo vice-presidente de marketing da empresa, Reinaldo Filardi. Ele afirma no livro "Nem Vem que Não Tem - A Vida e o Veneno de Wilson Simonal", que o fim do contrato se deu por outros motivos, e que ainda foi renovado por mais seis meses. “Em todos os compromissos ele nunca faltou, nunca foi relapso, nunca foi de bebedeira; sempre foi corretíssimo com a companhia e na sua prestação de serviços”, Afirma, Reinaldo Filardi.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Royal Dutch Shell

Referências

  1. [1]
  2. And the world's biggest companies are.... Fortune. Página visitada em 9/07/2009.
  3. Top companies:Most profitable. Fortune. Página visitada em 9/07/2009.
  4. Hoyos, Carola. (12 de março de 2007). "The new Seven Sisters: oil and gas giants dwarf western rivals". Financial Times. FT.com. Página visitada em 3 de junho de 2009.