Live A Live

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Live-A-Live)
Ir para: navegação, pesquisa

Live A Live é um RPG de Video game criado pela Squaresoft (atual Square Enix) para Super Famicom em 4 de Setembro, 1994.

O sistema de batalha do jogo lembra um RPG Tático (ou ainda RPG de estratégia), no qual o jogador guia personagens por um campo de batalha quadrado com um formato de 7x7, tentando atacar os seus inimigos mantendo-se fora do alcance deles, para não ser atingido por seus respectivos golpes. O HP (Hit Points) dos personagens é automaticamente curado logo após cada batalha, e suas habilidades não dependem de MP (magic points). Ao invés dos comandos LUTAR, MAGIA e HABILIDADES ESPECIAIS aos quais os rpgistas estão bastante acostumados, cada personagem tem uma variedade de habilidades no comando de ataque (mais ou menos uma dúzia) que têm diferentes efeitos.

Os personagens e gráficos que Live A Live utiliza são bem comparáveis aos de Final Fantasy V. No sistema de batalha, por outro lado, eles parecem maiores, mais detalhados e animados, lembrando até Final Fantasy VI em alguns aspectos.

Capítulos[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Live A Live usa capítulos de variados temas, com linhas temporais desde a pré-história até um futuro próximo, e configurações incluindo ficção científica, faroeste e história japonesa. Cada capítulo tem um único e próprio tema, estilo artístico, e estrutura jogável. Primeiramente, os diferentes capítulos não têm aparente ligação uns com os outros, a conclusão final e o objetivo do jogo só são mostrados nos capítulos oitavo e nono, que são subsequentemente descobertos depois dos sete primeiros serem completos (em uma ordem qualquer, escolhida pelo jogador). O nono capítulo reúne o resto do jogo no mundo do oitavo, permitindo o recrutamento dos personagens dos jogos anteriores por um líder principal escolhido pelo jogador. os capítulos são os seguintes:

"Contato" (Pré-História)[editar | editar código-fonte]

"Na Idade da Pedra. A história de um rapaz e seu amigo Gori. Um garoto que nasceu num tempo antes de uma língua falada, quando o homem tinha um instinto de sobrevivência forte e apurado. Ele podia sentir o cheiro de qualquer fera ou inimigo que se aproximasse..."

O homem das cavernas Pogo e seu amigo gorila Gori vai resgatar Beru, uma mulher das cavernas que foi sequestrada por uma tribo hostil que pretende sacrificá-la. Esse capítulo é notável por causa de seus aspectos cômicos de diálogo (lembrando que eles precisam se comunicar em um tempo antes de uma língua falada). Logo, todo o tipo de comunicação é através de figuras e linguagem corporal. Uma grande parte do jogo é tomada por seu campo de abertura, onde o jogador "caça" inimigos usando um poderoso olfato, que mostra sua localização aproximada.

No clímax do capítulo, Pogo e Gori descobrem que Beru está para se oferecida em sacrifício para um imenso dinossauro, O-Di-O, e os três lutam contra ele com a ajuda de um integrante da tribo hostil Zaki. A tribo de Pogo e a tribo hostil se tornam amigas e Pogo fala a sua primeira palavra,amor, depois de poder finalmente passar um tempo só junto à Beru...

Nesse capítulo, Pogo precisa obter alguns materiais crus, como ossos e pedras, nas batalhas. Esses itens podem ser usados para combinar e obter vário itens úteis, armas e equipamentos.

"Herança" (Kung Fu)[editar | editar código-fonte]

"O local é China. Há um velho artista marcial que mora numa montanha chamada Mount Taishi. tendo envelhecido muito, ele procura uma pessoa jovem para quem possa passar seu legado..."

Na China antiga, vive o solitário mestre de uma poderosa técnica de artes marciais, o "Shinsan-ken", que está envelhecendo. Sua técnica está morrendo com ele, ele escolhe três alunos para treinar: o fraco, porém entusiasmado jovem Yun, a feroz ladra Lei, e o forte, glutão, porém ágil Samo. Aumentando sua força, resistência e agilidade, o mestre apenas seleciona um aluno (escolhido pelo jogador) para ser seu sucessor e lhe dá treinamento extra. Depois, O grupo Ihamondan ataca e destrói o dojo enquanto o mestre está distante, buscando vingança por um triste insulto. Dois dos alunos são mortos, deixando apenas o sucessor. Depois de enterrar os assassinados, o mestre busca destruir os Ihamondan, lado-a-lado com seu sucessor.

No clímax do capítulo, os dois lutam contra uma armada de assassinos, e, por fim, lutam seu líder Odiwan-Lee. Enquanto o mestre luta sozinho contra os dois últimos assassinos, é a vez do aluno enfrentar o terrivel Odiwan e, copiando seu mestre, usa o "Senga-zan-ken" para vencer a batalha. Depois de vitorioso, o mestre morre, tendo exercido o limite de suas forças. É a vez do aprendiz treinar uma nova geração...

"Ordens Secretas" (Bakumatsu)[editar | editar código-fonte]

"Na era Bakumatsu do Japão feudal, para um shinobi que vive nas sombras durante seus treinos, foi dada uma importante e secreta missão..."

O Japão está ameaçado; a dinastia Tokugawa está tentando, violentamente, terminar com ele, e o sinistro Ode Iou põe o colapso da nação em vista. Um clã ninja secreto, Conhecida apenas por Shinobi, envia Oboro-maru, um de seus agentes, no castelo de Ode com dois deveres—resgatar um prisioneiro capturado que tem a influência necessária para trazer ordem ao Japão, e matar Ode. Aramdo com uma variedade de técnicas ninjas e a habilidade de se tornar invisível quando preciso, Oboro-maru tem três opções de infiltração: matar todos (100 pessoas no total, incluindo homens e mulheres indefesos), matar aqueles que estiverem em seu caminho, ou não matar ninguém. Se o jogador não conseguir resgatar o prisioneiro, Ryuma, ele vai se libertar sozinho e se unir à Oboro na batalha final.

No clímax do capítulo, Ode Iou revela-se como um monstro (uma mistura de um sapo gigante e uma cobra); trabalhando juntos, Oboro-maru e o prisioneiro derrotam-no. Depois da batalha, o prisioneiro avista um navio à distância, e se lembra que são seus homens que vieram lhe resgatar. Ele então revela sua identidade e oferece à Oboro-maru uma escolha: voltar a ser um Shinobi e silenciosamente fazer parte da história, ou se unir a ele e se tornar uma parte da Nova Era? Com qualquer escolha, o capítulo acaba, se Oboro-maru não tiver matado ninguém ao longo se seu caminho, o prisioneiro lhe dá sua espada, a Yoshiyuki.

"Peregrinação" (Velho Oeste)[editar | editar código-fonte]

(Esse capítulo é uma homenagem aos Spaghetti Westerns) "No Velho Oeste era do continente Americano; um homem vaga pelo deserto, sua cabeça à prêmio, visita a Cidade de Succez. Ele precisa coletar materiais para fazer armadilhas, e pegar a gangue fora-da-lei conhecida como Crazy Bunch!!"

Um fora-da-lei silencioso, conhecido apenas como Sunset Kid (ou Sundown Kid no Japão) (Filho do Crepúsculo), começa a ser caçado por Maddog, um determinado caçador de recompensas. Encotrando-o mais uma vez, Maddog nota como eles se cruzam rapidamente, mas ele insiste em ter um último duelo. Depois que Maddog é derrotado novamente, ele pergunta porque Sunset nunca o mata. Sunset remonta seu cavalo, atirando no cavalo de Maddog e fazendo-o correr, deixando-o só no deserto, Sunset se vai. Chegando à Cidade de Succez, ele entra num bar e é rapidamente antagonizado por um homem que ele bota pra correr. Maddog entra e revela a reputação de Sunset, arrastando-o para outro duelo. na rua, os dois contam passos, se viram e atiram—em dois outro caras que estava espionando, escondidos. Eles dizem que o cara em quem Sunset atirou era da Crazy Bunch e que o grupo virá atrás de vingança, Sunset e Maddog se unem e buscam pela cidade, ferramentas comuns dentro das casas, que possam ser usados para forjar armadilhas para diminuir o número de homens da Bunch. No dia seguinte, as armadilhas são postas e derrubam uma grande maioria dos Bunch, antes é claro, do inevitável confronto final...

No clímax do capítulo, Sunset e Maddog encaram face-a-face os Bunch restantes e seu líder, o monstruoso O.Dio, e seu poderoso gatling gun. Depois da derrota, O.Dio se transformas nm cavalo, e é revelado que a Crazy Bunch eram os sobreviventes de uma Guerra Civil Americana, com a raiva e o ódio que o grupo tinha transformando-se em cavalos. Maddog nota que ele e Sunset nunca terminaram seu duelo—Sunset pode escolher voltar à esse ponto ou esperar que Maddog o encontre novamente—se não, Maddog é morto. A cidade se despede se Sunset, mas ele recusa à recompensa, pois finalmente aprendeu a defender pessoas. Se Maddog viver, ele corre contra o horizonte novamente, dessa vez, montando O.Dio. Os mesmos eventos da introdução se seguem, e Sunset foge de Maddog novamente.

Os personagens de Sunset e Maddog foram diretamente inspirados nos dois protagonistas do filme americano de faroeste: For a Few Dollars More. Monco e Colonel Douglas Mortimer.

"O Mais Forte" (Dias Atuais)[editar | editar código-fonte]

(Esse capítulo tem seu tema extremamente baseado nos jogos de Street Fighter). "Um determinado jovem busca adquirir todas as técnicas de batalha existentes ao redor do mundo, e clamar o título de Homem Mais Forte do Mundo!"

Takahara Masaru é um homem que quer ser conhecido como o mais forte do mundo. Para fazer isso, ele viaja para enfrentar seis mestres de diferentes estilos de luta: Thai kickboxing, Lucha-estilo de briga de rua, Forças Especiais de combate, Kotsu-jutsu, briga de rua tradicional, e Sumo. Quando Masaru é atacado com cada uma das técnicas especiais dos mestres, ele instantaneamente aprende a usá-la. Depois de derrotar cada um dos mestres, Masaru está finalmente pronto para enfrentar seu igual, Odie Olbright.

No clímax do capítulo, Odie revela que não só lutou com os seis mestres como Masaru fez, como também os matou. Indignado, Masaru luta e derruba ele, tornando-se assim, o mais forte do mundo. Ele é imediatamente desafiado por um sujeito novo, e o capítulo acaba.

Max Morgan, um dos personagens com quem você luta, foi obviamente inspirado em Hulk Hogan.

"Fluxo" (Futuro Próximo)[editar | editar código-fonte]

(Esse capítulo foi extremamente baseado em anime japonês, especialmente o personagem principal). "Em um futuro não tão distante, há um rapaz com poderes sobrenaturais; um rapaz com a habilidade de ler mentes. Irá realmente o antigo robô demônio Buriki-Daioh reviver?!"

Tadokoro Akira é um garoto órfão de pai, um policial, que morreu de uma bala atirada por um membro da gangue dos Crusaders. Agora, num orfanato, a Chibikko House, as habilidades de Akira de saber o que as pessoas pensam lhe levam para um ponto muito distante de si próprio e de todos ao seu redor, exceto de sua irmã mais nova, Kaori, e do misterioso Matsui Kenichi, que lhe trata como um irmão mais velho. Lutando contra os Crusaders e, depois, organizações governamentais, Akira desvenda um plano do governo de sequestrar pessoas e liquificá-las, um processo que aumenta sua capacidade mental; E isso fará que o ídolo sagrado Odeo se torne vivo, somente quando 2000 humanos forem liquificados. A única esperança é um gigantesco robô, o Buriki-Daioh, que está adormecido sob a cidade, e que só Akira terá a força necessária para guiá-lo.

No clímax do capítulo, os Crusaders bombardeiam o orfanato de Akira, logo, Matsu está tão drogado que tem poder mental o bastante para mover o Buriki Daioh. Depois de acabar com o incêdio, Kenichi cede à exaustão. Morrendo, ele reflete como foi capaz de matar o pai de Akira, tendo uma vez sido um Crusader, e como sente compaixão pelo que o menino se tornara. Depois de ter "lido" isso, Akira pilota Buriki-Daioh para o Templo de Odeo, facilmente destruindo os tanques e aviões que o governo manda sobre ele e ,chegando finalmente ao ídolo, o destrói.

"Coração Mecânico" (Ficção Científica)[editar | editar código-fonte]

"A Nave de transporte Cogito Ergo Sum, está em meio a uma viagem com destino à Terra. Estranhos eventos começas a ocorrer um após o outro nessa nave. O recém-criado robô do mecânico, Kato, vai se envolver..."

Em um ônibus espacial futurístico, um recém-criado robô interage com os seis tripulantes da nave, e ultimamente vem ajudando a defender a tripulação de estranhos e perigosos fatos que se sucedem, incluindo a libertação de uma forma de vida alienígena hostil que a nave estava transportando, nas mão cruéis do computador central, OD-10. Esse capítulo tem elementos dos filmes Alien e 2001: A Space Odyssey. Esse capítulo também é notável por focar-se totalmente da exploração da situação e do suspense que chega a ser tenso e assustador, absolutamente sem combates, exceto pela batalha final do capítulo e um desafio de vídeo game opcional sem nenhum efeito na história principal.

"Senhor dos Demônios" (Medieval)[editar | editar código-fonte]

O requisito é do capítulo medieval/fantatástico; um jovem chamado Orsted recruta um grupo e viaja para destruir o Senhor dos Demônios e resgatar a princesa Alicia. Esse capítulo lembra bastante à um RPG comum, só é possível jogá-lo após completar os sete anteriores.

No distante reino de Lucretia, um campeonato de lutas está tomando conta do lugar; o rei decretou que o vencedor terá a mão de sua filha Alicia, e um número incontestável de participantes arriscaram, incluido o guerreiro Orsted, e Straybow, o mago. Rapidamente derrotando todos os outros, os dois lutaram no confronto final; depois de uma rápida luta, Orsted é vitorioso, e o rei declara um banquete em honra do novo noivo da princesa. Mais tarde, naquela noite, Orsted e Alicia estão no terraço do castelo quando um dragão os ataca; mesmo tendo derrotado o primeiro, Orsted é surpreendido por um segundo, e nada pode fazer além de assistir Alicia ser levada para a Terra Proibida, ao leste. Cercado por tais eventos, o rei teme que o terrível Rei dos Demônios, derrotado vinte anos antes pelo guerreiro Hash e pelo mago Uranus, esteja voltando à vida. Orsted, então, jura resgatar Alicia e deixar o rei em paz.

No dia seguinte, Orsted está de partida, e as pessoas do reino amontoam-se para lhe dar boa-sorte e lhe arrumar o máximo de ajuda e provisões que puderem; Straybow, o mago, aguarda no portão para unir-se à sua jornada. A única maneira de entrar na Terra Proibida, é usando a espada Bryon, de Hash. Viajando por entre as montanhas, eles apenas encontram um túmulo, e um velho que recusa-se a dar qualquer informação e logo retira-se para sua cabana; Seguindo-o, Orsted nota um escuto ornamental numa parede. Ambos descem a montanha e seguem para a vila de Família, onde, em outra casa, notam a existência de um escudo idêntico. O velho da tal casa então é surpreendido pelo reconhecimento de Orsted, e revela-se sendo Uranus, o mago que lutara ao lado de Hash há anos atrás, e que, muito embora tenham sido reconhecidos entre todos como heróis, logo foram esquecidos na escuridão.

Orsted lhe conta da situação atual e Uranus concorda em tentar convencer Hash a ajudar. De volta à cabana, Uranus intimida Hash a voltar a servir o reino que uma vez ele abandonou, chamando-o de covarde. Enquanto o grupo prepara-se para sair, Hash desafia a si mesmo para seguí-los, perguntando-se se ainda seria bravo como a anos atrás. Após reitrar a Bryon da tumba de Hash, os quatro seguem para a Terra Proibida, lutando contra os monstros no caminho, e eventualmente alcançando o lar do Rei dos Demônios. Após uma rápida batalha, o demônio cede; Hash nota que o que eles derrotaram era apenas um subordinado, e que o verdadeiro Demônio estaria escondido em algum outro lugar. Ele repentinamente decai, sua idade e a tensão da batalha para a qual não estava preparado pegam o guerreiro de surpresa; morrendo, ele passa sua espada para Orsted, clamando à juventude que salve Alicia, a única que acredita nele.

Um terremoto ocorre no lugar - uma armadilha do Rei. Orsted e Uranus conseguem fugir por pouco, mas Straybow não, e fica para trás. Voltando para Lucretia com as notícias, ambos passam a noite enquanto decidem o próximo movimento a ser tomado. Naquela noite, Orsted é acordado de um sonho por Straybow, que sai para a sala do trono. Seguindo-o, ele encontra o Rei Demônio, e rapidamente o ataca sem hesitar; no entanto, era apenas uma ilusão para enganá-lo - na realidade, Orsted havia matado o rei de Lucretia. Quando os guardas chegam, vêm a cena e declaram que Orsted seja o Demônio, e que teria matado Hash e Strayow também. Quando Uranus tenta defender Orsted, ele é levado embora enquanto outro foge para as montanhas, perseguido pelos soldados. Passando pelo túmulo de Hash, ele relembra as últimas palavras do guerreiro, e decide que deve continuar a lutar, enquanto alguém acreditar nele. Por Hash, ele volta ao castelo, onde é também aprisionado, numa cela ao lado de Uranus; por ter defendido o guerreiro, o velho havia sido severamente torturado e está à beira da morte, finalmente intendendo o que levara Hash à solidão e ao ódio das outras pessoas. Uranus então, clama também ao jovem que encontre Alicia, e usa suas últimas forças para abrir a porta para que Orsted fuja.

No clímax da história, Orsted retorna à Terra Proibida, lutando ainda mais forte para chegar ao lugar onde batalhara previamente. Ele então descobre uma passagem secreta, que atravessa, encontrando uma estátua do Rei Demônio, e também Straybow, que pensara estar morto. O mago culpa Orsted por ter sido sempre o melhor, deixando Straybow nas sombras; portanto, ele houvera encontrado o poder do Rei Demônio e aceitado-o, para que pudesse tornar-se mais forte e clamar Alicia para si; e por isso houvera fingido morrer no terremoto. Ele também revela ter criado a ilusão do Rei Demônio, encriminando Orsted pela morte do rei de Lucretia; ele queria que Orsted perdesse tudo o que tinha de valor, como punição por sempre obscurecer Straybow. Após uma furiosa batalha, o mago é morto; porém, a princesa Alicia surge detrás da estátua, e culpa Orsted por sempre ter deixado seu melhor amigo de lado, revelando que na realidade o amava e que não poderia viver sem ele, logo antes de apunhalar seu próprio peito, morrendo.

Sozinho no pico da montanha, Orsted reflete sobre o horror; ganhar a mão de Alicia, ela ser sequestrada, a suposta morte de Straybow, as palavras morimbundas de Hash clamando-o que salvasse aquela que acreditava nele, os choros acusatórios das pessoas após a morte do rei, Uranus morrendo para libertá-lo, o assassinato forçado de seu amigo, e o suicídio da mulher que acreditava nele. Orsted não tem mais nada; nem a confiança de uma só pessoa. Ele torna-se Odio, o novo Rei Demônio, e jura destruir a tudo e a todos, passado, presente e futuro, e mostrar ao mundo sua tolice.

Capítulo Final (Live A Live)[editar | editar código-fonte]

Os heróis dos outros capítulos são retirados de seu próprio tempo por Odio, que vê suas tentativas de lutar por outros como contendas, e os trás para uma Lucretia devastada. Lá, eles devem agrupar-se para encontrá-lo e derrotá-lo, para que voltem para seus próprios tempos. Porém, se Orsted for escolhido pelo jogador neste capítulo, ele tem a oportunidade de lutar na forma dos chefes finais dos outros sete capítulos, destruindo os heróis e reescrevendo a história. É interessante ver que uma das dungeons do capítulo mostra as almas de todos os mortos do capítulo anterior, lamentando por Orsted.

Há quatro finais alternativos para este jogo:

  • Se o caminho de Orsted for escolhido, ele pode destruir todos os outros heróis e mudar a história;
  • Porém, se um chefe ficar fraco demais, Orsted, em desespero, destrói o mundo;
  • Se um dos sete principais for escolhido, ele pode destruir o Rei Demônio e voltar para seu tempo em paz.
  • Porém, o final verdadeiro só pode ser adquirido se o protagonista escolhido agrupar-se com os outros, derrotar Orsted e escolher não matá-lo,e então indo ao lugar onde há estatuas de todas as encarnações do Odio (os chefes finais de cada capitulo) os três herois que não estam na equipe do jogador (apesar de ter recrutado os mesmos) aparecem e Orsted os obriga a lutar com o Odio de seu respectivo capitulo,mas são todos facilmente derrotados pelos herois,fazendo Orsted reconhecer seu erro, e deixando uma mensagem para eles"enquanto houver ódio qualquer um pode torna-se um demônio", reenviando-os de volta para seus respectivos lares .

Trilha Sonora[editar | editar código-fonte]

A trilha sonora de Live A Live foi produzida por Yoko Shimomura. The Live A Live Original Sound Version, um único CD contendo 41 músicas, foi lançado em 25 de agosto de 1994. Um mini CD promocional vinha incluso com o "Live A Live Perfect Strategy Guide Book" (Livro-Guia de Estratégia Perfeita para Live A Live). Ele continha duas faixas extras, e foi lançado em 21 de outubro de 1994. Ambos os itens foram lançados pela NTT Publishing. Em 2008, as faixas "The Bird Flies in the Sky, the Fish Swims in the River" e "Forgotten Wings" foram incluídas em "Drammatica: The Very Best of Yoko Shimomura", uma compilação dos trabalhos da autora na SquareEnix.

Trívia[editar | editar código-fonte]

  • O capítulo Bakumatsu é notável pela possível inclusão de um personagem histórico verdadeiro, Ishikawa Goemon, como NPC.
  • O logo de Live A Live deixa claro que "Live" (vida) ao contrário, é "Evil" (mal), a aparente filosofia do verdadeiro vilão.
  • Existe uma piada frequente no jogo, que são os Watanabe, um homem e seu filho. Nas cenas dos Watanabe, o pai sempre morre de alguma maneira, deixando seu filho a chorar miseravelmente. Os Watanabe podem ser difíceis de localizar às vezes, mas de acordo com o livro-guia japonês oficial do game, eles aparecem em todos os capítulos.
  • O capítulo "Flow" contém numerosas referências a Akira, um clássico mangá sci-fi; elas incluem nomes como Akira, Kaori e Masaru, assim como o conceito de poderes psicocinéticos, gangues de motocicleta e super-drogas estimulantes mentais.
  • O nome de todos os últimos vilões de cada capítulo, é uma variação de "Odio" (de ódio, mesmo, do latim "odium"); a mesma referência existe no final boss, "Puro Odio".
  • Muitas das histórias foram escritas por um bem estabelecido mangaka. Por exemplo, o capítulo Kung Fu foi ilustrado por Yoshihide Fujiwara, criador da série Dragon Quest.
  • Os desenhos e os designs de personagem de cada capítulo são também feitos por mangakas.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]