Magnus Enckell

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Magnus Enckell.

Magnus Knut Enckell (9 de novembro de 1870 - 27 de novembro de 1925) foi um pintor finlandês.

Enckell foi o mais jovem dos seis filhos de um vigário de um pequeno povoado na região leste da Finlândia. Estudou pintura em Helsinki.

Enckell foi o primeiro artista finlandês a romper com o naturalismo, estilo dominante durante sua formação em Helsinki, entre 1889 e 1891. Em 1891, viajou para Paris pela primeira vez, onde estudou com Jules Joseph Lefebvre e com Benjamin Constant na Académie Julian, aproximando-se do Simbolismo. Fortemente influenciado por Pierre Puvis de Chavannes, interessou-se pelo que era à época um movimento novo, incorporando também ideias da literatura simbolista.

Durante sua estadia na Grã-Bretanha, pintou seus quadros Autorretrato e Mulher Bretã. Entusiasmou-se com a pintura do Renascimento e com as ideias de Sâr Péladan sobre o idealismo e o misticismo, adotando o padrão de beleza andrógina que aplicou posteriormente em suas obras.

O despertar (1893).
O Fauno (1914).

Em sua segunda temporada em Paris, em 1893, pintou O despertar, no qual usou uma composição rigorosa e cores transparentes para sugerir uma atmosfera espiritual.

"Narciso".

Enckell era homossexual, o que se reflete em suas pinturas eróticas, nas quais se encontram retratos bastante desinibidos para a moral daquele período. Pintou diversas vezes homens jovens nus. Isso não seria pouco usual per se, mas ele lhes atribuía uma carga erótica que não era comum entre seus contemporâneos.[1]

Em 1894 e 1895 viajou a Milão, Florença, Rávena, Siena e Veneza.

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) pintor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.