Marcelo Gastaldi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Marcelo Gastaldi
Nascimento 20 de outubro de 1944
São Paulo
Morte 3 de agosto de 1995 (50 anos)
São Paulo
Ocupação ator, diretor e produtor
IMDb: (inglês)

Marcelo Gastaldi (São Paulo, 20 de outubro de 1944São Paulo, 3 de agosto de 1995) foi um ator, dublador e cantor brasileiro.[1]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Dublador[editar | editar código-fonte]

Ficou famoso por dar voz aos personagens Chaves e Chapolin, das séries mexicanas homônimas e também fazia a voz que apresentava o nome de cada Episódio e ditava as características do Chapolin no início do programa. Também é dele a voz de Charlie Brown, do Wada em Spectreman, do personagem principal Ralph em Super Herói Americano, um dos personagens do desenho The Raccoons, PC em Popples, Saber Rider na série animada homonima,o personagem de James Spader em Tuff Turf e John em John e Yoko - Uma História de Amor, e de várias outras personagens de desenho animado, entre eles personagens secundários no desenho clássico do Pica-Pau. Também era a voz que anunciava alguns dos episódios. Foi ainda ele a cantar a canção The Bright Side of Life, na versão brasileira do filme dos Monty Python "A Vida de Brian".Dublou o ator Tom Cruise.

Era diretor de dublagem e dublador na Maga Produções Artísticas, uma espécie de sub-empresa do Grupo Silvio Santos, através da qual, a TVS (atual SBT), realizava as dublagens de filmes, desenhos e séries, a serem exibidos pelo canal nas décadas de 80 e 90.

O dublador iniciou sua carreira em dublagem nos anos 60 em séries como A Noviça Voadora (AIC, na voz de Carlos), além de ter dublado o filme Abbott e Costello na Legião Estrangeira de 1950. Mais tarde atuou no desenho Snoopy (Maga, na voz de Charlie Brown e do locutor), nas séries Chaves e Chapolin (Maga, nas vozes dos mesmos e do locutor), O Super Herói Americano (Maga, na voz do protagonista Ralph), em filmes do ator Jerry Lewis, na série Batman (AIC, na voz do vilão Traça), Spectreman (Com Arte, na voz de Wada) e Os Monkees (AIC, na voz de Michael Nesmith), entre outros.

A Maga (Marcelo Gastaldi), apareceu logo após o fechamento dos estúdios Com Arte e Elenco, também ligados à emissora de Silvio Santos. As duas companhias de dublagens, utilizaram o mesmo "cast" de dubladores, os mesmos estúdios e equipamentos. Na verdade a Maga não era um estúdio, e sim uma cooperativa de dubladores. Atualmente é o Estúdio Marshmallow.

Constantemente, as aberturas dos filmes, desenhos e séries, passaram a omitir o nome da empresa responsável pela dublagem. Talvez, pelo fato das dificuldades de comercialização do produto para com as outras emissoras. No início das produções, o locutor narrava - "Versão: Maga. Dublado nos estúdios da TVS". Contudo, permanecem os créditos em alguns casos como Herbert Richers, responsável pela dublagem da Rede Globo.

O núcleo de dublagem do SBT foi extinto por completo no início dos anos 90, sendo tais profissionais descartados. Mas, no entanto, até hoje seus trabalhos são exibidos, como no caso de "Chaves", por exemplo. No caso do desenho "Snoopy", foi realizada outra dublagem (VTI-Rio). Nos filmes da série "A Hora do Pesadelo", idem.

Ator[editar | editar código-fonte]

Como ator, participou de 3 seriados de TV nos anos 1960 e 1970, dentre elas Regina e o Dragão de Ouro. Trabalhou nas novelas Eu Amo Esse Homem em 1964, da TV Paulista e Sombras do Passado em 1983, do SBT (que foi dirigida por Líbero Miguel e que contou também com a participação dos dubladores Cecília Lemes e Mário Vilela). Gastaldi ainda produziu e atuou em um seriado inspirado em Chaves junto com outros dubladores das séries chamado Feroz e Mau-Mau, aonde interpretava o personagem Mau-Mau.

Chegou ser um dos apresentadores de cursos de "madureza ginasial" (atual supletivo), produzido nos anos 70 pela TV Cultura de São Paulo. Eram aulas de matemática teatralizadas, onde ele contracenava com o ator Carlos Zara. Além de Gastaldi, vários atores ainda não muito populares na época, participavam dessas aulas. Por exemplo, Luiz Carlos Arutin e Lutero Luiz.

As outras disciplinas, contavam com apresentações de Luciano Ramos e Rodolfo Mayer (história) além de Branca Ribeiro (geografia).

Cantor[editar | editar código-fonte]

Foi membro do grupo Os Iguais da Jovem Guarda, junto com Mário Lúcio de Freitas, Antônio Marcos e Appolo Mori.[2]

Morte[editar | editar código-fonte]

Faleceu em 3 de agosto de 1995, aos 50 anos. Ele caiu na rua em meio aos carros, comentando-se inclusive que havia sido atropelado, porém a causa morte se deu devido a uma baixa em seu sistema imunológico, causado pelo agravamento de seu diabetes.

A família hoje passa por necessidades e briga por direitos autorais de suas dublagens, principalmente em "Chaves".[3]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um ator é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.