Martigny (Valais)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Martigny
Brasão da comuna de Martigny
{{{2}}}
Vista de Comuna e Cidade
Cantão Flag of Canton of Valais.svg Valais
Distrito Distrito de Martigny
Língua(s) oficial(is) francês
Coordenadas 46° 06′ 01″ N 07° 04′ 22″ E
Altitude 471 m n.m.m.
Área 24.97 km²
População (2007)
 - Densidade
16 143 hab.
646,5 hab/km²
Fracções
Fronteiras Dorénaz, Vernayaz, Salvan, Martigny-Combe, Bovernier, Vollèges, Charrat e Fully
Código postal 1920
Website Martigny.ch
Comuna de Martigny a destacado.

Martigny é uma comuna suíça do cantão do Valais, sede do Distrito de Martigny. Está situada onde o rio Ródano encurva e se dirige ao Lago Lemano, Martigny está também no cruzamento do colo do Grande São Bernardoe do Simplon que a liga Aosta, Itália, e o Passo da Forclaz que a liga a Chamonix na França.

Martigny com; 1- o Castelo Batiaz, 2- a Fundação Pierre Gianadda, e os seus três museus - Museu Cultura galo-romano, Museu de automóveis e a Fundação em si mesmo , 3- a cidade romana, faz parte do Inventário Suíço dos bens culturais de importância nacional e regional.

Com uma superfície de 24,97 km2, e uma população de 16 143 habitantes, Martigny tem uma densidade de 646,5 hab/km2, mas Martigny é uma verdadeira cidade de cultura com o seu antepassado romano magnificamente preservado e magnificado, as suas rotundas e a vida cultural, além dos museus.

Martigny Romana[editar | editar código-fonte]

Octoduro é o nome dado à cidade romana descrita por Júlio César como o local de uma derrota das suas tropas em 57 a.C.. Sobre ente nome estão as descobertas relacionadas com o Octoduro, o Fórum Cláudio Valêncio e o Mitreu.

Rotundas[editar | editar código-fonte]

Foi em 1994 que a cidade instalou as primeiras Rotunda (Circulação) e previa mesmo realizar outras. Foi então que sobre a impulsão de Léonard Gianadda, o director da Fundação Pierre Gianadda, propôs um conceito global de decoração das rotundas da cidade com esculturas segundo uma diversidade de estilo, de género e de material que melhor de enquadre com o local onde será colocada (ver as Imagens). Desta forma, o facto de se passear na cidade de Martigny já é em si mesmo um "acto cultural"

Imagens e história das rotundas de Martigny [1]

Fundação Pierre Gianadda[editar | editar código-fonte]

Fundação Pierre Gianadda

As origens da Fundação Pierre Gianadda remontam a 1976, quando o engenheiro Léonard Gianadda descobriu, durante escavações para a construção de um edifício aquilo que se demonstrou ser o mais antigo templo galo-romano da Suíça, dedicado ao deus Mercúrio.

Além das duas ou três exposições temáticas que a fundação apresenta anualmente, conjuntamente com um programa musical de primira ordem, as instalações da fundação incluem :

  • Coleção Louis e Evelyn Franck
  • Museu Galo-Romano
  • Parque das Esculturas
  • Museu do Automóvel

Cidade de cultura[editar | editar código-fonte]

Martigny conta não menos de sete museus, e dos quais, além da Fundação Pierre Gianadda, se encontram a da Fundação Louis Moret, com obras sobe papel-pintado e gravuras, o Museu das Ciências e da Terra e um muito concorrido Museu do cão São Bernardo Martigny: Musées (em francês) - Jul. 2012

Economia[editar | editar código-fonte]

Região agrícola, com uma boa produção de frutas e vinho,

Desde 2004, a política energética local foi reconhecida a nível da Suíça e permitiu que a Comuna de Martigny obtivesse a marca "Cidade da energia", o que é um reconhecimento por parte do governo às cidades se fazem prova de uma política energética exemplar.

Paralelamente, a Comuna de Martigny, em colaboração com a sociedade RhônEole, obteve o Watt d'Or em 2009, distinção da Confederação pelos melhores desempenhos energéticos.

O CERM - Centro de Exposições e de Reuniões de Martigny - recebe anualmente mais de 200 000 visitantes nas sua inúmeras manifestações das quais se salienta a Feira do Valais, a Feira das Velharias e da Antiguidades, o Salão Valaisano dos Carros de Ocasião e a Feira de Natal.

Muito concorrido, mesmo a nível internacional, são o Agrovina, o "Salão Internacional de Enologia, Viticultura, e Arboricultura, e o FIFO, para Festival Internacional Folclórico de Outobro,

Transportes[editar | editar código-fonte]

Combóio[editar | editar código-fonte]

Na Linha do Simplon que liga Lausana-Briga-Domodossola, Martigny está muito bem servida e isso já há muitos anos pois que o caminho de ferro chegou aqui em 1859. Ela é o ponto de partida da Linha Martigny–Orsières - o Expresso St-Bernardo - , a Linha Martigny-Châtelard e com ligação com Chamonix, Fraça, - Expresso do Monte Blanc.

Autoestra[editar | editar código-fonte]

Além do cruzamento das estradas com o colo do Grande São Bernardo e do Simplon que a liga a Aosta, na  Itália, e o Passo da Forclaz que a liga a Chamonix na  França, Martigny é servida pela autoestrada A9 que em diagonal liga Vallorbe com o Passo_do_Simplon para a Itália.

Cidadãos notórios[editar | editar código-fonte]

Imagens[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]

Referências