Nico Nicolaiewsky

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde fevereiro de 2014). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Nico Nicolaiewsky
Nico Nicolaiewsky em uma de suas últimas apresentações, no dia 11-Jan-2014
Informação geral
Nome completo Nelson Nicolaiewsky
Também conhecido(a) como Nico Nicolaiewsky
Nascimento 9 de junho de 1957
Local de nascimento Porto Alegre, RS
 Brasil
Data de morte 7 de fevereiro de 2014 (56 anos)
Local de morte Porto Alegre, RS
 Brasil
Gênero(s) Rock Gaúcho, Pop, Tango, Música Nativista, MPB
Instrumento(s) vocal, piano
Período em atividade 19782014
Afiliação(ões) Musical Saracura
Tangos & Tragédias
Hans-Joachim Koellreuter
Página oficial NicoNicolaiewsky.com.br

Nelson Nicolaiewsky, mais conhecido como Nico Nicolaiewsky (Porto Alegre, 9 de junho de 1957 — Porto Alegre, 7 de fevereiro de 2014) foi um músico, compositor e humorista brasileiro. Era reconhecido no país pelo personagem "Maestro Pletskaya", do espetáculo "Tangos & Tragédias", que realizou durante 30 anos com Hique Gomez.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Origens[editar | editar código-fonte]

Descendente de judeus da Bessarábia[1] , Nico Nicolaiewsky começou a estudar piano clássico aos 7 anos de idade, por ordem de sua mãe, e aos 13 anos, foi aprovado em um teste no Instituto de Belas Artes da UFRGS, onde seguiu seus estudos até os 16 anos.

Musical Saracura[editar | editar código-fonte]

Aos 21 anos, em 1978, foi um dos fundadores do "Musical Saracura", um dos mais importantes grupos de música urbana do Rio Grande do Sul no final dos anos 1970 e início dos anos 1980. Apesar disso, o Saracura lançou apenas um LP, em 1982.

Tangos & Tragédias[editar | editar código-fonte]

Em 1984, criou juntamente com o Hique Gomez, a comédia musical Tangos & Tragédias, espetáculo que marcaria de maneira indelével sua carreira, ligando o personagem Maestro Pletskaya a sua pessoa, e tornaria-se um fenômeno de público, principalmente no Rio Grande do Sul, trazendo ao músico reconhecimento nacional. Em 1987, iniciaram-se as apresentações no que seria a "segunda casa" de Nico, o palco do Teatro São Pedro.

Entretanto, com o espetáculo ainda incipiente, ainda em 1984 Nico vai para o Rio de Janeiro, onde mora durante 10 anos para estudar com o eminente maestro Hans-Joachim Koellreuter. Neste período, em 1993, nasce sua filha, Nina Nicolaiewsky.

Retorno ao Rio Grande do Sul e carreira solo[editar | editar código-fonte]

Ao retornar ao Rio Grande do Sul, lançou dois discos solo: Nico Nicolaiewsky (1996) e As Sete Caras da Verdade (2002). O primeiro contém valsas e canções líricas e virou trilha do filme Amores, de Domingos de Oliveira. O segundo consiste em uma ópera-cômica, onde Nico interpreta o vilão Rodolfo.

Em 2007, Nico Nicolaiewsky lançou seu terceiro disco, intitulado Onde Está o Amor? que, diferente dos anteriores, contém músicas de caráter mais pop. O disco foi produzido por John Ulhoa, guitarrista da banda Pato Fu[2] .

Em 2013, montou o espetáculo "Música de Camelô", onde cantava sozinho ao piano, canções "super populares" segundo suas próprias palavras. O repertório incluía músicas desde "Ai Se Eu Te Pego", de Michel Teló, e "Tô Nem Aí", da cantora Luka, até a música do desenho animado japonês Pokémon e "Tchê Tchê Rerê" do cantor Gusttavo Lima, sugestões de sua filha Nina, que eram executadas com arranjos surpreendentes, bastante diferentes dos originais[3] . Em entrevista ao site Filtro Cultural, Nico comentou o espetáculo: “preconceitos existem e é delicioso ver alguém se espantar no meio de uma canção ao se dar conta de que está gostando de uma música que julgava odiar”[4] .

Últimos dias e legado[editar | editar código-fonte]

Às vésperas de comemorar 30 anos do espetáculo Tangos & Tragédias, Nico recebe o diagnóstico de leucemia mieloide aguda (LMA) e é internado às pressas, no dia 23 de janeiro, no Hospital Moinhos de Vento, em Porto Alegre. O tratamento, no entanto, não é suficiente para retardar o avanço da doença e ele vem a falecer na madrugada do dia 7 de fevereiro de 2014, aos 56 anos[5] [6] .

Seu velório foi realizado no Teatro São Pedro, lugar simbólico na vida do músico: desde 1987, o musical Tangos & Tragédias era apresentado todo Verão no local, com ingressos sempre esgotados [7] .

Ao recordar um show do Musical Saracura que havia assistido, o jornalista e crítico de arte gaúcho Renato Mendonça descreveu as qualidades que iriam permear a obra de Nico Nicolaiewsky:

"O quarteto entrou em cena contido e silencioso, perfilou-se em frente ao palco e cantou à capela (sem acompanhamento musical) uma canção quase desconhecida. E calou o público. E incendiou o público por dentro. A lembrança serve para evocar aquelas que considero as qualidades fundamentais de Nico Nicolaiewsky: o poder e a coragem de surpreender, a determinação de indeterminar quaisquer fronteiras artísticas."[8]


 Galeria de fotos[editar | editar código-fonte]

Fotos do dia 11 de janeiro de 2014, uma das últimas apresentações de Tangos & Tragédias antes da morte de Nico Nicolaiewsky.

Referências

  1. Programa do Jô: Jô recebe o músico Nico Nicolaiewsky Rede Globo. Visitado em 10 de fevereiro de 2014.
  2. Nico Nicolaiewsky canta o amor em espetáculo na Capital Zero Hora. Visitado em 10 de fevereiro de 2014.
  3. Fernando Corrêa. Nico Nicolaiewsky apresenta show "Música de Camelô" nesta terça-feira Zero Hora. Visitado em 10 de fevereiro de 2014.
  4. Gaúcho do Tangos & Tragédias, Nico Nicolaiewsky quer divertir com Música de Camelô no Teatro Eva Herz Filtro Cultural. Visitado em 10 de fevereiro de 2014.
  5. Morre em Porto Alegre o ator e músico Nico Nicolaiewsky G1 RS. Visitado em 07 de janeiro de 2014.
  6. Morre o ator e músico Nico Nicolaiewsky Zero Hora (7 de fevereiro de 2014).
  7. Nico Nicolaiewsky, criador de "Tangos & Tragédias", morre aos 56 anos UOL. Visitado em 10 de fevereiro de 2014.
  8. Renato Mendonça. Crítico musical Renato Mendonça lembra de show de Nico Nicolaiewsky no início dos anos 1980 Zero Hora. Visitado em 10 de fevereiro de 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]