Origem do Livro de Mórmon

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Origem do Livro de Mormon, é polémica e envolta em várias teorias havendo adeptos dos dois lados, uns a defender a sua autenticidade e outros a defender a sua falsificação.

História[editar | editar código-fonte]

Existem várias teorias quanto à verdadeira origem do Livro de Mórmon. A maioria dos seguidores do movimento dos Santos dos Últimos Dias lêem o livro como uma obra inspirada das escrituras. A teoria mais comum aceite pelos adeptos é a que é promovida por Joseph Smith, Jr. que disse que traduziu o trabalho de um antigo conjunto de placas de ouro inscritas pelos profetas, descobertas perto da sua casa no oeste de Nova York na cidade de Palmyra, em 1820, após o anjo Moroni, um personagem do Livro de Mórmon lhe ter dito onde estas se encontravam. Além de Smith, há mais 11 testemunhas que disseram que viram as placas fisicamente, três delas alegam também terem sido visitadas por um anjo, em 1829. Existem também muitas outras testemunhas, algumas delas eram amigos de Smith, outras não, que o observaram a ditar o texto que consequentemente se tornou o Livro de Mórmon.

No entanto, os detractores do Livro de Mormon, têm explorado uma série de questões, incluindo se realmente Joseph Smith tinha as ditas placas de ouro, ou se o texto do Livro de Mórmon teve origem apenas na sua inspiração. Se foi Smith quem escreveu o texto do livro, ou se foi um associado de Smith, como Oliver Cowdery ou Sidney Rigdon a escrever o texto. Se o livro foi baseado em um trabalho prévio como o livro "View of the Hebrews", o "Manuscrito de Spalding", ou mesmo a "Bíblia".

Síntese das teorias[editar | editar código-fonte]

Existem diferentes opiniões sobre a origem do Livro de Mórmon.

  1. Joseph Smith traduziu por sua própria conta um antigo registo compilado e abreviada por Mórmon, um residente pré-colombiano do Hemisfério Ocidental que registou a história espiritual das gerações do seu povo e os ensinamentos dos seus antepassados, os hebreus.
  2. Joseph Smith como único autor, sem ajuda externa. Esta teoria pressupõem que Smith tinha uma formação elevada e era inteligente o suficiente para ter produzido o livro da sua própria imaginação, apesar de à altura não ter mais do que a terceira classe. Uma linha de pensamento proposta por vários autores é a de que o Livro de Mórmon é uma "fonte primária" reflectindo eventos da vida de Smith.[1]
  3. Joseph Smith como um plagiador de contemporâneos. Existem duas principais teorias representativas deste ponto de vista: o ponto de vista do plágio de "View of the Hebrews"[2] e da teoria Spalding-Rigdon.[3]
  4. Um dos amigos de Smith como a autor mas que permitiu a Smith ficar com o crédito.
  5. A obra é uma narrativa de inspiração divina, independentemente da sua realidade históricas (isto é: "ficção inspirada").[4]
  6. O trabalho não é uma narrativa de inspiração divina. Esta teoria é apoiada por muitas igrejas cristãs, desde o surgimento do Livro de Mórmon.
  7. O livro foi escrito por Joseph Smith, através de um processo conhecido como "escrita automática".[5]

Joseph Smith e a autoria do Livro de Mórmon[editar | editar código-fonte]

De acordo com Joseph Smith e os seus associados, o registo original foi gravado em folhas de metal finas e maleável, com a aparência de ouro e ligadas com três anéis em uma ponta. As folhas foram gravadas em ambos os lados com grande habilidade. De acordo com a descrição apresentada no livro, é um resumo dos anteriores registos feitos por Mórmon e seu filho, Moroni, à cerca de 400 AD. No termo do ministério de Moroni (cerca de 421 AD), ele escondeu as placas, juntamente com vários outros itens em uma caixa de pedra em uma colina (agora chamada de monte Cumorah), perto de Palmyra, Nova York.

A 22 de setembro de 1823, Joseph Smith afirmou que ele tinha sido encaminhado por Deus através do anjo Moroni para o lugar onde as placas foram armazenadas. Ele não foi imediatamente autorizada a levá-las porque os seus pensamentos revelavam que a sua intenção era usá-las para obter dividendos para si e para a sua família, mas, após quatro anos de encontros com o anjo e de ser instruído por ele, as placas foram-lhe finalmente confiadas. Através do poder de Deus e do Urim e Tumim, antigas pedras de adivinhação escondidas junto com as placas, ele foi capaz de traduzir os caracteres para Inglês[6] que, segundo o Livro de Mórmon, eram semelhantes ao egípcio de 600 AC, com influência hebraica.[7]

Joseph Smith afirmou que lhe fora ordenado que mostrasse as placas a apenas algumas pessoas. Os relatos destes indivíduos estão escritos no inicio do Livro de Mórmon como o testemunho das "Três Testemunhas" e o testemunho das "Oito testemunhas".

Além disso, Joseph Smith ensinou, e a maioria dos mórmons acreditam, que a proveniência do Livro de Mórmon foi profetizado pelas escrituras bíblicas.[8] Essas interpretações são largamente contestada pelos seguidores de outras religiões.

As placas douradas eram comummente referida como a "Bíblia de Ouro", especialmente por não-mórmons, embora alguns membros também usassem o termo em descrições antigas. O rótulo "Bíblia de Ouro" na verdade é anterior ao Livro de Mórmon, tal como descrito numa lenda no Canadá e no norte do estado de Nova York sobre esse suposto artefacto, na altura em que Joseph Smith passava a sua juventude em Vermont.

Suposto plágio[editar | editar código-fonte]

Os detractores do Livro de Mormon, afirmam que Joseph Smith fabricou o Livro de Mórmon e que este não é de inspiração divina.[9] [10] [11] Estes detractores citam especificamente quatro livros que Joseph Smith poderia ter utilizado para criar os versos do Livro de Mórmon:

Plágio de "View of the Hebrews"[editar | editar código-fonte]

Os detractores do Livro de Mormon, afirmam que Smith baseia várias passagens do Livro de Mórmon em material que se encontra no livro "View of the Hebrews", publicado em 1823 por Ethan Smith.[11] [12]

Exemplos de versos supostamente plagiados:[11] [13]

View of the Hebrews by Ethan Smith (1825 edition) Book of Mormon (1830)
"[T]hose far distant savages have (as have all other tribes) their Great Spirit, who made everything" (p. 103) "Believest thou that this Great Spirit which is God, created all things … And he saith, Yea, I believe that he created all things" (Alma 18:28-29)
"[T]he places … are noted; among which are 'the isles of the sea'". (p. 232-233) "[W]e have been led to a better land, … [W]e are upon an isle of the sea" (2 Nephi 10:20)
" 'I will hiss for them' God is represented as hissing for a people. … [To] behold the banner of salvation now erected for his ancient people.... This standard of salvation." (p. 241-242) "[M]y words shall hiss forth unto the ends of the earth, for a standard unto my people, which are of the House of Israel." (2 Nephi 29:2)
"And it shall come to pass in that day that the Lord shall set his hand again, the second time, together the remnant of his people" (p. 56) "[A]nd the Lord will set his hand again the second time to restore his people from their lost and fallen state" (2 Nephi 25:17)

Plágio de "The Wonders of Nature"[editar | editar código-fonte]

Os detractores do Livro de Mormon, afirmam que Smith baseia várias passagens do Livro de Mórmon em material que se encontra no livro "The Wonders of Nature", publicado em 1825 por Josiah Priest.[10] [13]

Exemplos de versos supostamente plagiados[10] [13]

The Wonders of Nature by Josiah Priest (1825) Book of Mormon (1830)
"a narrow neck of land is interposed betwixt two vast oceans" (p. 598) "the narrow neck of land, by the place where the sea divides the land" (Ether 10:20)
"From whence no traveller returns" (p. 469) "from whence no traveller can return" (2 Nephi 1:14)
"Darkness which may be felt.... vapours … so thick as to prevent the rays of the sun from penetrating an extraordinary thick mist. … no artificial light could be procured … vapours would prevent lamps, etc. from burning. … [T]he darkness lasted for three days." (p. 524) "[They] could feel the vapour of darkness, and there could be no light … neither candles, neither torches, … neither the sun … for so great were the mists of darkness … [I]t did last for the space of three days." (3 Nephi 8:20-23)

Plágio dos "Evangelhos Apócrifos"[editar | editar código-fonte]

Os detractores do Livro de Mormon, afirmam que Smith baseia várias passagens do Livro de Mórmon em material que se encontra no livro Apocrypha (Evangelhos Apócrifos), incluindo o nome importante "Néfi".[14] [15]

Exemplos de versos supostamente plagiados[13] [15]

Apocrypha Book of Mormon (1830)
"We will assay to abridge in one volume.... labouring to follow the rules of an abridgment.... But to use brevity … is to be granted to him that will make an abridgement." (2 Maccabees 2:25-31) "I make an abridgement of the record … after I have abridged the record.... I had made an abridgement from the plates of Nephi.... I write a small abridgement." (1 Nephi 1:17, Words of Mormon 3, 5:9)
"They commanded that this writing should be put in tables of brass, and that they should be set … in a conspicuous place; Also that the copies thereof should be laid up in the treasury" (1 Maccabees 14:48-49) "And I commanded him … that he should go with me into the treasury … I also spake unto him that I should carry the engravings, which were upon the plates of brass" (1 Nephi 4:20,24)
"Then the king, in closing the place, made it holy … many men call it Nephi". (2 Maccabees 1:34,36) "And my people would that we should call the name of the place Nephi; wherefore we did call it Nephi". (2 Nephi 5:8)
"And it came to pass … I dreamed a dream by night" (2 Esdras 15:1) "And it came to pass … Behold, I have dreamed a dream" (1 Nephi 8:2)

Plágio da Bíblia KJV[editar | editar código-fonte]

Os detractores do Livro de Mormon, afirmam que Smith baseia várias passagens do Livro de Mórmon em material que se encontra na "Bíblia KJV".[16] [17]

Exemplos de versos supostamente plagiados:[13] [17]

King James Bible Book of Mormon (1830)
"For, behold, the day cometh, that shall burn as an oven; and all the proud, yea, and all that do wickedly, shall be stubble: and the day that cometh shall burn them up" (Malachi 4:1) "For behold, saith the prophet, … the day soon cometh that all the proud and they who do wickedly shall be as stubble; and the day cometh that they must be burned" (1 Nephi 22:15)
"[T]he axe is laid unto the root of the trees; therefore every tree which bringeth not forth good fruit is hewn down, and cast into the fire" (Matthew 3:10) "[T]he ax is laid at the root of the tree; therefore every tree that bringeth not forth good fruit shall be hewn down and cast into the fire" (Alma 5:52)
"[B]e steadfast and immovable, always abounding in good works" (1 Corinthians 15:58) "[B]e ye steadfast, unmoveable, always abounding in the work of the Lord" (Mosiah 5:15)

A teoria Spaulding-Rigdon[editar | editar código-fonte]

Em 1834, E.D. Howe, no seu livro "Mormonism Unvailed" apresenta uma teoria em que afirma que Smith plagiou material do manuscrito inédito de um romance de Solomon Spalding. Howe tinha o manuscrito em sua posse no momento da publicação. A história de Spaulding, intitulada "Manuscrito Encontrado", gira à volta de um grupo de marinheiro romanos que navegaram até ao Novo Mundo à volta de dois mil anos atrás.[18] Os detractores do Livro de Mormon especularam que Joseph Smith teve acesso ao manuscrito original que foi perdido logo após a publicação de "Mormonism Unvailed" e que ele plagiou o manuscrito para escrever o Livro de Mórmon. O único manuscrito conhecido foi redescoberto em 1884 e encontra-se presentemente no Oberlin College, em Ohio.[18] Assim que o manuscrito foi disponibilizado para estudo, a maioria dos detractores descartou essa teoria, porque os supostos paralelismos que se supunha que existiam consistia em apenas alguns detalhes: navegação marítima intercontinental, a existência (e a utilização) de pedras adivinhatórias, a descoberta de escritos antigos sob uma pedra.[19] A maioria das outras suposta semelhanças, a atestar pelas várias testemunhas, em declarações recolhidas pelo Doutor Philastus Hurlbut, foi demonstrada ser falsa. O autor Fawn Brodie expressou desconfiança em relação a estas declarações, afirmando que o estilo das declarações foi muito semelhante e exibiam demasiada uniformidade. Brodie sugere que Hurlbut fez um encaminhamento às perguntas.[20]

Opinião da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias[editar | editar código-fonte]

Aderentes ao Livro de Mórmon, não encontram nos casos de suposto plágio nada de preocupante pelo contrário, consideram que as semelhanças são a prova da autenticidade do Livro de Mórmon[21] e que Deus revela de forma semelhante, inclusive os mesmos ensinamentos, a todas as pessoas, tal como afirma a Bíblia, Ele é "o mesmo ontem, hoje, e para sempre" (Hebreus 13:8, Kjv), as semelhanças completam a profecia de "na boca de duas ou três testemunhas cada palavra será estabelecida"(2 Coríntios 13:1, Kjv).

O Presidente da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, Spencer W. Kimball declarou ainda, "Os profetas dizem as mesmas coisas, porque enfrentam basicamente os mesmos problemas."[22] "[Por exemplo ,] …os avisos devem ser repetida. Só porque uma verdade é repetida, não a torna menos importante ou verdadeira. De fato, o oposto é verdadeiro."[23]

Referências[editar | editar código-fonte]

Notas
  1. Vogel 2004
  2. Brodie 1971, pp. 46-49
  3. Howe 1834, pp. 278-290
  4. Price 2002, p. 68
  5. Dunn 2002, p. 29, 33
  6. Historia de Joseph Smith
  7. Segundo Mormon 9:32-34
  8. Mormons believe that the following biblical passages prophesy or otherwise support the provenance of the Book of Mormon:
    • (Gold plates to come out of the earth) - Truth shall spring out of the earth; and righteousness shall look down from heaven. (Psalm 85:11)
    • (Book of Mormon = Stick of Joseph, the Bible = Stick of Judah) - The word of the LORD came again unto me, saying, Moreover, thou son of man, take thee one stick, and write upon it, For Judah, and for the children of Israel his companions: then take another stick, and write upon it, For Joseph, the stick of Ephraim, and for all the house of Israel his companions: And join them one to another into one stick; and they shall become one in thine hand. And when the children of thy people shall speak unto thee, saying, Wilt thou not shew us what thou meanest by these? Say unto them, Thus saith the Lord GOD; Behold, I will take the stick of Joseph, which is in the hand of Ephraim, and the tribes of Israel his fellows, and will put them with him, even with the stick of Judah, and make them one stick, and they shall be one in mine hand. And the sticks whereon thou writest shall be in thine hand before their eyes.(Ezekiel 37: 15-20)
    • (Book of Mormon people are the "other sheep" referred to by Jesus) - "As the Father knoweth Me, even so know I the Father: and I lay down my life for the sheep. And other sheep I have, which are not of this fold: them also I must bring, and they shall hear my voice; and there shall be one fold, and one shepherd." (John 10: 15-16)
    • (Book of Mormon is a second witness of the truth) - "THIS is the third time I am coming to you. In the mouth of two or three witnesses shall every word be established." (2 Corinthians 13:1)
    • (Moroni thought to be the angel bringing the gospel in the form of the Book of Mormon) - "And I saw another angel fly in the midst of heaven, having the everlasting gospel to preach unto them that dwell on the earth, and to every nation, and kindred, and tongue, and people, Saying with a loud voice, Fear God, and give glory to him; for the hour of his judgment is come: and worship him that made heaven, and earth, and the sea, and the fountains of waters." (Revelations 14:6-7)
  9. Abanes, Richard. One Nation Under Gods: A History of the Mormon Church. [S.l.]: Thunder's Mouth Press, 2003. 67-75 pp. ISBN 1568582838.
  10. a b c Tanner, Jerald and Sandra. Mormonism - Shadow or Reality?. [S.l.]: Utah Lighthouse Ministry, 1987. 84-85 pp. ISBN 9993074438.
  11. a b c Persuitte, David. Joseph Smith and the Origins of the Book of Mormon (2nd Edition). [S.l.]: McFarland & Company, 2000. 155-172 pp. ISBN 078640826X.
  12. Abanes, Richard. One Nation Under Gods: A History of the Mormon Church. [S.l.]: Thunder's Mouth Press, 2003. 69 pp. ISBN 1568582838.
  13. a b c d e Abanes, Richard. One Nation Under Gods: A History of the Mormon Church. [S.l.]: Thunder's Mouth Press, 2003. 68 pp. ISBN 1568582838.
  14. Abanes, Richard. One Nation Under Gods: A History of the Mormon Church. [S.l.]: Thunder's Mouth Press, 2003. 71 pp. ISBN 1568582838.
  15. a b Tanner, Jerald and Sandra. Mormonism - Shadow or Reality?. [S.l.]: Utah Lighthouse Ministry, 1987. 72-73 pp. ISBN 9993074438.
  16. Abanes, Richard. One Nation Under Gods: A History of the Mormon Church. [S.l.]: Thunder's Mouth Press, 2003. 72 pp. ISBN 1568582838.
  17. a b Tanner, Jerald and Sandra. Mormonism - Shadow or Reality?. [S.l.]: Utah Lighthouse Ministry, 1987. 73-80 pp. ISBN 9993074438.
  18. a b Spaulding 1996
  19. Artigo de Jeff Lindsay
  20. Brodie 1971, pp. 446-47
  21. McConkie, B.R. (1966). Mormon Doctrine. Deseret Book: Salt Lake City.
  22. Kimball, S.W. (Apr., 1976). Ensign, p. 6
  23. Kimball, S.W. (1981). President Kimball Speaks Out, p. 89.
Bibliografia

Ver também[editar | editar código-fonte]