Livro de Mórmon

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
O Livro de Mórmon - Um Outro Testamento de Jesus Cristo - edição missionária de 2006
Série temática sobre os
Santos dos Últimos Dias
Salt Lake Temple spires.jpg
História
Primeira Visão
Crise na sucessão
Escrituras-padrão
Livro de Mórmon
Doutrina e Convênios
Pérola de Grande Valor
Bíblia
Importantes líderes
Joseph Smith Jr. · Oliver Cowdery
Sidney Rigdon · Brigham Young
Thomas S. Monson
Publicações Periódicas (em português)
A Liahona
Doutrinas
Regras de fé
Estrutura
Primeira Presidência
Quórum dos Doze Apóstolos
Quórum dos Setenta
Conflitos
Guerra Mórmon · Guerra de Utah
Legião Nauvoo · Batalhão Mórmon
Ramificações
A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias
Comunidade de Cristo
Bickertonitas · Strangitas
Igreja de Cristo (Lote do Templo)


O Livro de Mórmon é uma dos quatro livros usados como escritura pela, A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. As demais obras são a Bíblia, a Doutrina e Convênios e a Pérola de Grande Valor.

A exemplo da Bíblia, o Livro de Mórmon é uma coleção de pequenos livros, ou uma biblioteca. O livro ganhou esse nome por conta de um de seus escritores que se chamava, Mórmon, que viveu em aproximadamente 380 DC, considerado pela religião um antigo profeta de Deus. O livro de Mórmon é considerado pelos membros como "O outro testamento de Jesus Cristo".

Os santos dos Últimos Dias são comumente chamados mórmons devido a este livro.

Resumo[editar | editar código-fonte]

O Livro de Mórmon é um "volume de escrituras sagradas comparável à Bíblia" e faz um "registro da comunicação de Deus com os antigos habitantes das Américas" além de "conter a plenitude do Evangelho eterno".[1]

De acordo com o relato do próprio livro, ele foi escrito por muitos profetas antigos, pelo "espírito de profecia e revelação". Suas palavras, escritas originalmente em placas de ouro, foram resumidas por um profeta-historiador chamado Mórmon e por este motivo o livro tem este nome até hoje. O registro contém um relato de duas grandes civilizações. "'Uma' veio de Jerusalém no ano 600 a.C. e posteriormente se dividiu em duas nações, conhecidas como nefitas e lamanitas. A 'outra' veio muito antes, quando o Senhor confundiu as línguas na Torre de Babel. Este grupo é conhecido como jareditas. Milhares de anos depois (segundo a obra) foram todos destruídos, exceto os lamanitas, que (de acordo com os relatos descritos na obra) são os principais antepassados dos índios americanos".[1]

Estes registros teriam sido mantidos por profetas que viveram entre esses povos, até que Mórmon, um desses profetas, fez uma compilação desses anais num único volume, gravado em placas de metal. Morôni, filho de Mórmon, recebeu essas placas e acrescentou nas mesmas o seu próprio registro, e ocultou-as segundo orientação que acreditava ser divina.

O anjo Morôni, na Monte Cumorah, Nova York, entrega a Joseph Smith Jr. as placas de ouro em 1827.

Na narrativa de Joseph Smith Jr, o restaurador da Igreja de Jesus Cristo, apelidada de "mórmon", Morôni visitou-o em 21 de setembro de 1823, instruindo‑o a respeito do antigo registro e da tradução que seria feita para o inglês. Smith também conta que quatro anos mais tarde as placas finalmente lhe foram entregues, traduzindo-as em seguida, acreditando ter auxílio divino. Joseph Smith Jr publicou sua obra pela primeira vez, em inglês, em 1830, como "The Book of Mormon", ou seja, O Livro de Mórmon, em referência ao personagem do livro responsável pela compilação dos registros. Como resultado do trabalho missionário intenso de membros da Igreja, o livro se acha publicado integralmente em 72 línguas, com excertos em mais 32, tendo sido já impressas mais de 120 milhões de cópias.[carece de fontes?] Para os membros da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias esse é um livro sagrado, lado a lado com a Bíblia.

Martin Harris, Oliver Cowdery e David Whitmer pediram a Joseph Smith que orasse e perguntasse ao Senhor se eles poderiam ser as testemunhas prometidas. Joseph assim o fez, sendo-lhe dito que se exercessem fé e tivessem sincero propósito de coração teriam o privilégio de ver as placas sagradas, o peitoral, a espada de Labão, o Urim e o Tumim usados pelo irmão de Jarede e a Liahona - a bússula miraculosa dada a Leí no deserto. Foi-lhes declarado que "É por vossa fé que os vereis, sim, por aquela fé que possuíam os profetas da antiguidade". Essas três testemunhas foram incumbidas de prestar testemunho dessas coisas e testificaram sobre a veracidade do Livro de Mórmon. Depois mais oito testemunhas testificaram essas coisas, sendo todos os testemunhos registrados nas páginas iniciais do Livro de Mórmon.

Para os Santos dos Últimos Dias, o Livro de Mórmon é uma escritura que complementa a Bíblia, sendo um "Outro Testamento de Jesus Cristo", "destina-se a mostrar aos remanescentes da casa de Israel as grandes coisas que o Senhor fez por seus antepassados; e para que possam conhecer os convênios do Senhor e saibam que não foram rejeitados para sempre, e também para convencer os judeus e os gentios de que Jesus é o Cristo, o Deus eterno, que se manifesta a todas as nações."[2] "O livro expõe as doutrinas do evangelho, delineia o plano de salvação e explica aos homens o que devem fazer para ganhar paz nesta vida e salvação eterna no mundo vindouro."

[1]

Jesus Cristo[editar | editar código-fonte]

Dito na página principal do Livro de Mórmon, o propósito central do livro é convencer o judeu e gentio que Jesus é O Cristo, O Eterno Deus, manifestando-se a todas as nações. O livro descreve Jesus e sua missão aqui na terra como nosso Salvador e Redentor. Os autores do Livro de Mórmon escrevem muito sobre a importância de ter fé em Cristo e segui-lo.

O Livro de Mórmon também descreve a visita de Jesus Cristo nas Americas depois de se ressucitar. Jesus ensina o povo muitas coisas que ensinou entre os judeus e abençoa o povo. Durante sua visita, Jesus diz para o povo que sua visita nas Americas foi predito para os judeus quando Ele falou de “outras ovelhas” que ouviriam a sua voz (veja João 10:16).

A Promessa de Morôni[editar | editar código-fonte]

Os que acreditam no Livro de Mórmon acredita que todos podem receber uma testemunha da veracidade do livro através do Espírito Santo. No final do livro, um dos autores do livro, Môroni, promete que se os leitores oram sobre o livro, Deus vai indicar através do Espírito Santo que o livro é verdadeiro. Os Santos dos Últimos Dias convidam a todos (membros da igreja e não-membros) a perguntarem a Deus para saber se o livro é verdadeiro. Eles acreditam que todos os que perguntam a Deus com um coração sincero vão receber um testemunho de Deus.

Os nomes e a ordem dos livros do Livro de Mórmon[editar | editar código-fonte]

  1. Primeiro Livro de Néfi
  2. Segundo Livro de Néfi
  3. Livro de Jacó
  4. Livro de Enos
  5. Livro de Jarom
  6. Livro de Ômni
  7. As Palavras de Mórmon
  8. Livro de Mosias
  9. Livro de Alma
  10. Livro de Helamã
  11. Terceiro Néfi
  12. Quarto Néfi
Pagina do livro de mormon.jpg
Livros do Livro de Mórmon
  1. Livro de Mórmon
  2. Livro de Éter
  3. Livro de Morôni

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas e referências

  1. a b c (O Livro de Mórmon | Pref. Introdução:3)
  2. (O Livro de Mórmon | Pref. Folha de rosto:2)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]