Guerra de Utah

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Pode encontrar ajuda no WikiProjeto História.

Se existir um WikiProjeto mais adequado, por favor corrija esta predefinição.

Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Pode encontrar ajuda no WikiProjeto História.

Se existir um WikiProjeto mais adequado, por favor corrija esta predefinição.

Guerra de Utah
Data 18571858
Local Utah, Wyoming
Desfecho Alfred Cumming torna-se Governador de Utah
Combatentes
 Estados Unidos Legião Nauvoo
Principais líderes
Estados Unidos James Buchanan
Estados Unidos Albert S. Johnston
Bringham Young
Daniel H. Wells
Lot Smith
Forças
2.500 Desconhecido
Série temática sobre os
Santos dos Últimos Dias
Salt Lake Temple spires.jpg
História
Primeira Visão
Crise na sucessão
Escrituras-padrão
Livro de Mórmon
Doutrina e Convênios
Pérola de Grande Valor
Bíblia
Importantes líderes
Joseph Smith Jr. · Oliver Cowdery
Sidney Rigdon · Brigham Young
Thomas S. Monson
Publicações Periódicas (em português)
A Liahona
Doutrinas
Regras de fé
Estrutura
Primeira Presidência
Quórum dos Doze Apóstolos
Quórum dos Setenta
Conflitos
Guerra Mórmon · Guerra de Utah
Legião Nauvoo · Batalhão Mórmon
Ramificações
A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias
Comunidade de Cristo
Bickertonitas · Strangitas
Igreja de Cristo (Lote do Templo)


A Guerra de Utah (1857-1858) é o nome dado ao conflito nos Estados Unidos da América entre os Santos dos últimos dias e o governo federal dos Estados Unidos, pela hegemonia e comando do Estado de Utah.

A Guerra de Utah, também conhecida como a Expedição Utah ou mancada de Buchanan, foi uma disputa armada entre os Santos dos Últimos Dias ("Mórmon") colonos do Utah e do governo federal dos Estados Unidos. O confronto durou de maio de 1857 até julho 1858. Nesta guerra não houve batalhas especialmente sangrentas e a maioria das baixas foram civís não-mórmones, acabando por ser resolvida através de negociação. No entanto, segundo o historiador William P. MacKinnon, a guerra do Utah foi a mais cara e extensiva intervenção militar durante o período compreendido entre a guerra com o México e a guerra civil, em última análise, quase um terço do Exército dos E.U.A. fora empregado contra os Mormons que cresciam muito no país, dominando a regiao oeste por seu adimiravel sucesso em todos os sentidos.

Governo dos EUA[editar | editar código-fonte]

O governo dos EUA receava que os mormons, pelo seu sucesso surpreendente, conseguissem dividir o país, enquanto que por seu lado estes alegaram que simplesmente instalaram-se na regiao oeste pois era o unico lugar onde não eram perseguidos, sendo a chave para o seu sucesso a união dos seus membros, onde as formas de corrupção não funcionavam, mas não pretendiam dividir ou dominar o país, e sim pregar o evangelho de Jesus Cristo. Mas os EUA, ainda com receio decidiu tomar comando sobre eles gerando conflitos.

Visão geral[editar | editar código-fonte]

A partir de 1857 a 1858, a administração de Buchanan tentou abafar o que poderia ser percepcionada como uma rebelião no Utah, em território mórmon. Temerosa de que a numerosa expedição militar federal enviada para a região procedessem a um extermínio, os mórmons bloquearam a entrada do exército no vale de Salt Lake. O confronto entre os mórmons, apelidados de Legião Nauvoo, e o exército dos E.U.A envolveu apenas a destruição de propriedades e algumas breves escaramuças no que é hoje o sudoeste do Wyoming, não havendo um verdadeiro confronto entre forças militares em batalha.

Outros incidentes de violência também podem ser ligados à Expedição, tais como um ataque índio aos SUD em missão no Fort Limhi em Território de Oregon oriental, que matou e feriu dois mórmons e vários outros. Brigham Madsen historiador refere que "a responsabilidade pelo [Fort Limhi raid] estabelecem principalmente com o Bannock. Acima e além de qualquer influência exercida pelo comerciante, soldado, nem missionário, existia uma situação em fevereiro de 1858, que deu o Bannock uma oportunidade para quase sem precedentes para saciar a sua antiga alfândega de roubar cavalos e guerra." No entanto, David Bigler conclui que o bombardeio foi provavelmente instigado pelos membros da Expedição Utah que estavam a tentar repor as suas lojas de animais. Os Mormons resistiram a todos os ataques de forma inacreditavel, o exercito americano teve que aceitar as propostas, e decidiram negociar.

No final, as negociações entre os Estados Unidos e os Santos dos Últimos Dias resultou em uma hierarquia inteiro indulto para os mórmons, a transferência de Utah do governo da igreja Presidente Brigham Young para não-mórmon Alfred Cumming, e os pacíficos entrada do exército em Utah.


Ícone de esboço Este artigo sobre História dos Estados Unidos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.