Ornitina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde dezembro de 2009).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
L-Ornithine
Alerta sobre risco à saúde
L-Ornithin2.svg
Nome IUPAC L-Ornithine
Outros nomes (+)-(S)-2,5-Diaminovaleric acid
Identificadores
Número CAS 70-26-8
PubChem 6262
DrugBank DB00129
ChemSpider 6026
MeSH Ornithine
Código ATC A05BA50
SMILES
InChI InChI=1/C5H12N2O2/c6-3-1-2-4(7)5(8)9/h4H,1-3,6-7H2,(H,8,9)/t4-/m0​/s1
Propriedades
Fórmula molecular C5H12N2O2
Massa molar 132.16 g/mol
Ponto de fusão

140 °C [1]

Rotação quiral [α]D +11.5 (H2O, c = 6.5)
Compostos relacionados
Aminoácidos relacionados Norvalina (ácido 2-amino-valérico)
Ácido delta-aminovalérico
Glutamina (ácido 2-amino-4-carbamoil-butanoico)
Arginina (ácido 2-amino-5-(diaminometilideno-amino)-pentanoico)
Lisina (ácido 2,6-diamino-hexanoico)
Excepto onde denotado, os dados referem-se a
materiais sob condições PTN

Referências e avisos gerais sobre esta caixa.
Alerta sobre risco à saúde.

L-Ornitina é um aminoácido usado como suplemento dietético e no tratamento da hiperamoniemia e distúrbios hepáticos. Juntamente com a carnitina e a arginina, é usada para mobilizar as gorduras do organismo. Ajuda a estimular o sistema imunológico e tem grande influência na energia corporal, ajuda também na regeneração da célula hepática. Não deve ser usada em pessoas com tendência a esquizofrenia.

Em doses elevadas, a L-ornitina pode estimular a glândula pituitária a liberar hormônio do crescimento, podendo apresentar atividade anabólica e, desta forma, melhorar o desempenho físico de atletas. Entretanto, estudos demonstraram que a L-ornitina obtém maior efeito anabólico quando administrada em associação com a L-arginina.

As fontes naturais de L-ornitina são alimentos de origem animal como carnes em geral, ovos e leite e derivados. Como suplemento, a L-ornitina está disponível na forma de cápsulas, comprimidos, pós e em preparações orais e enterais, sozinho ou em associação com outros aminoácidos, como a L-arginina.

Referências

  1. Hermann Römpp, Jürgen Falbe und Manfred Regitz: Römpp Lexikon Chemie. 9. Auflage, Georg Thieme Verlag, Stuttgart, 1992.