PIIGS

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
PIGS, PIIGS e PIIGGS

PIGS é um acrónimo pejorativo originalmente usado na imprensa de língua inglesa, sobretudo britânica, para designar o conjunto das economias de Portugal, Itália, Irlanda, Grécia e Espanha (Spain em inglês). Em inglês o acrónimo significa "porcos", animais por vezes usado em caricaturas para ilustrar a má performance económica dos 5 países. A expressão "economias porcinas" é também usada.[1] Expressões similares, como the Olive Belt (o cinturão da azeitona)[2] ou "Club Med",[3] [4] também foram aplicados ao mesmo (ou quase o mesmo) agrupamento de países do sul da Europa, durante a crise econômica de 2008-2009, quando as economias de Portugal, Itália, Irlanda, Grécia e Espanha foram consideradas particularmente vulneráveis, em razão do alto ou crescente endividamento e do alto deficit público em relação ao PIB.

Em Setembro de 2008 o uso do acrónimo pelo jornal Financial Times levou ao protesto de empresários espanhóis e do ministro português da economia, Manuel Pinho. [5] Mas já antes havia sido usado por publicações como a Newsweek,[6] The Economist[7] ou o jornal The Times.[8]

No final de 2011, a Itália foi também incluída no lote,[8] e o acrônimo PIGS ganhou mais um "I".[9] (menos frequentemente, o I também se referia à economia da Irlanda). [10] [9] Mais recentemente, também o Reino Unido foi associado ao acrônimo, que, por isso, ganhou mais um G, transformando-se em PIIGGS.[11] [12] [13] [14] [15]

O termo original data de meados da década de 1990 quando foi usado para se referir às economias do sul da Europa. Durante a crise financeira de 2008-2009[9] [16] [17] era utilizado especialmente quando se tratava de dívida soberana e deficit público, considerando-se que essas economias se caracterizam pelo altos níveis de endividamento e de deficit público em relação ao PIB, ainda que, em geral, sejam comparáveis ao restante da Eurozona.[18]

Como a lista de economias com problemas não parou de crescer, um novo acrônimo foi cunhado pela imprensa anglo-saxônica - STUPIDs - de modo a incluir Espanha, Turquia, Grã-Bretanha, Portugal, Irlanda e Dubai.[19]

As soluções propostas[editar | editar código-fonte]

Nas primeiras semanas de 2010, ansiedade a excessivos níveis de endividamento, em alguns países da UE e, mais genericamente, sobre a saúde do euro se espalhou da Irlanda e da Grécia a Portugal, Espanha e Itália.

Alguns think tanks sobre a Europa, como o Canadian European Economic Council têm argumentado que a situação, na qual a Grécia e a Espanha estão hoje, resulta de uma década de endividamento excessivo impulsionada por políticas keynesianas perseguidas pelos responsáveis políticos locais e pela complacência dos banqueiros centrais da UE [20] . Outros economistas [carece de fontes?] têm recomendado a aplicação de uma bateria de políticas corretivas para controlar a dívida pública e de drásticas medidas de austeridade, com impostos substancialmente mais elevados.

Alguns altos responsáveis políticos alemães foram tão longe como dizer que o socorro de emergência deverá trazer penalidades rígidas aos beneficiários da ajuda da UE, como a Grécia ou Espanha [21] .

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Why Pigs Can’t Fly - Economists have a new theory as to why the porcine economies of Southern Europe are still so sluggish, por Juliane von Reppert-Bismarck. Newsweek 7-14 de julho de 2008.
  2. Greece Q&A: Crisis in the olive belt. What's next? Por Sean O'Grady. The Independent, 2 de maio de 2010.
  3. Club Med contagion – Should Canadians worry?,por Andrew Pyle. Yahoo! Canada Finance, 28 de abril de 2010.]
  4. Jovanović, Miroslav The economics of European integration: limits and prospects. Edward Elgar Publishing. Cheltenham, UK 2005; p.40|isbn=1843766914
  5. "Portugal Min Shocked At FT’s "Pigs In Muck"", Capital, 9 de Julho de 2008.
  6. Von Reppert-Bismarck, Juliane. "Why Pigs Can’t Fly", Newsweek, 7-14 de Julho de 2008.
  7. "Ten years on, beware a porcine plot", The Economist, 5 de Junho de 2008.
  8. a b Reform failures may still kill off the euro, por David Smith. The Sunday Times, 25 de Maio de 2008.
  9. a b c Chorafas, Dimitris Globalization's limits: conflicting national interests in trade and finance; p.19–20. Gower Publishing. Farnham, England]
  10. Will the Peso Rise or Fall? por Benjamin Diokno. Businesss World
  11. STUPID idea, por Mark Hawthrone. The Age 9 de fevereiro de 2010.
  12. We Europeans are all 'PIIGS'… and Anglo-Saxons are 'Usuk' por Masha Loyak. Newropeans Magazine
  13. Resümee 1. Quartal und Ausblick 2. Quartal 2010 Entwicklung internationaler Anleihen- und Aktienmärkte e-Fund Research.
  14. Berlusconi diz que Portugal está mais frágil do que Itália, por Carla Pedro. Negocios online.
  15. Shipbuilding going strong in Balamban por Cherry Lim. Sun Star.
  16. Spain, Italy should lose ‘PIGS’ tag: Alfredo Pastor interview, por Alex Monro. Risk, 13 de abril de 2010.
  17. What CIOs Think por Frank Gullone. Investor Daily.
  18. Poor PIIGS, por por Adam Carr. Business Spectator, 23 de abril de 2010.
  19. Which countries are the STUPIDs? NZI Business, 30 de Abril de 2010.
  20. 'Orthodoxie financière et régulation bancaire: les leçons du Glass-Steagall Act', http://www.canadianeuropean.com/yahoo_site_admin/assets/docs/Bank_Regulation_and_Financial_Orthodoxy__RAF__Jan_2010.784613.pdf , por Nicolas Firzli. Analyse financière n° 34 jan - fev- mar, 2010.
  21. 'Merkel Economy Adviser Says Greece Bailout Should Bring Penalty', http://www.businessweek.com/news/2010-02-15/merkel-economy-adviser-says-greece-bailout-should-bring-penalty.html  Bloomberg Businessweek, 15 de fevereiro de 2010,

Ligações externas[editar | editar código-fonte]