PLUNA

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
PLUNA
IATA
PU
ICAO
PUA
Indicativo de chamada
PLUNA
Fundada em 20 de novembro de 1936 (77 anos)
Encerrou atividades em 2012
Hub
Focus cities
Programa de milhagem FlyClub
Lounge Blue Lounge
Frota 13 (até a falência)
Destinos 17 (até a falência)
Holding Primeras Líneas Aéreas Uruguayas S.A.
Sede Montevidéu, Uruguai Uruguai
Pessoa(s)
chave
Jorge Lepra
Website www.pluna.com.uy
CX-PUB-1.jpg

PLUNA Líneas Aereas Uruguayas S.A., ou simplesmente PLUNA, foi uma companhia aérea do Uruguai. Em Julho de 2012 decreta falência e é assumida pelo governo do Uruguai.

Missão[editar | editar código-fonte]

Ambos os sócios projetam converter a PLUNA em uma linha aérea mais segura, eficiente e rentável da América do Sul e Montevidéu em um centro de distribuição regional conectando as principais cidades do Hemisfério Sul e servindo como ponte até Europa e Estados Unidos.

Um passo muito importante já concretizado nessa direção foi a renovação da frota. A antiga frota de Boeing 737-200 foi substituída pelos novos e eficientes Bombardier CRJ-900 Next Generation. O primeiro CRJ iniciou suas operações em março de 2008 e sucessivamente chegaram os aviões seguintes, até completar sete aviões novos em Dezembro de 2008.

A nova frota tem permitido incrementar significativamente as frequências entre Montevidéu e Buenos Aires e entre Buenos Aires e Punta del Este. As frequências aos tradicionais destinos São Paulo e Santiago do Chile também tem aumentado e tem-se abertas novas operações a Assunção, Córdoba, Curitiba, Rosario e Rio de Janeiro, criando em Montevidéu um hub (centro de conexões) para o Hemisfério Sul.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • A Pluna possuía alianças comerciais com as empresas Ibéria, American Airlines, tendo destinos para Europa e Estados Unidos e codeshare com a TAM.
  • A Pluna já foi subsidiária da Varig, sendo esta última acionista majoritária da companhia por anos.
  • Quando da administração da Varig, a Pluna já possuiu aeronaves como Boeing 757 e 767, de uso intercontinental.

Frota[editar | editar código-fonte]

Na data de falência a Pluna possui a frota abaixo

Air Class Líneas Aéreas
Aeronave Total Passageiros
(executiva/econômica)
Bombardier CRJ900 13 90 passageiros

Das 13 aeronaves, 7 serão leiloadas pelo governo uruguaio afim de tentar o ressarcimento dos prejuízos e também a estruturação de uma nova linha aérea no Uruguai [1]

Suspensão[editar | editar código-fonte]

Devido a problemas financeiros, a empresa suspendeu todos os voos por tempo indeterminado, devido a impossibilidade de prestar uma operação adequada. O governo uruguaio não encontrou novos investidores para substituição do fundo de investimento anterior. Através de nota emitida dia 5 de julho de 2012, a empresa afirmou que iria entrar em contato com todos os passageiros afetados o mais rapidamente possível. No entanto ocorreram muitos casos de transtornos reportados por passageiros, que ficaram sem informações por parte da empresa, assim como agências de notícias que tentaram contato para esclarecimentos, mas sem sucesso. [2] [3] [4]

Destinos[editar | editar código-fonte]

A Pluna possuía os seguintes destinos na data de falência

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências