Paint.NET

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Paint.NET
Logo Paint.NET-pt.PNG
Desenvolvedor Rick Brewster, Microsoft e outros
Plataforma x86 e x64
Modelo do desenvolvimento Software livre
Lançamento 6 de maio de 2004 (10 anos)
Versão estável 3.5.10 (9 de outubro de 2011; há 163 semanas e 1 dia)
Idioma(s) 9 idiomas
Sistema operativo Windows 7, Windows Vista com (SP1 ou SP2) e Windows XP com (SP3).
Gênero(s) Editores gráficos
Licença Licença MIT
Estado do desenvolvimento Ativo
Tamanho 3,5 MB
Página oficial GetPaint.net (em inglês).

Paint.NET é um programa de computador gratuito e open-source utilizado na manipulação e edição de imagem e fotografia. Foi escrito para a plataforma .NET Framework (daí o nome .NET) e pode ser executado nas versões Microsoft Windows que suportem .NET (Windows XP e superiores) e necessita do .NET Framework instalado no sistema. Pode também ser usado no Linux através do projeto Mono. [1]

História[editar | editar código-fonte]

O programa teve origem em um projeto de ciência da computação na Washington State University (WSU) em 2004. Foi escrito em C# e desde o início com o código fonte aberto (open-source).

O Paint.NET foi concebido com objetivo inicial de ser uma alternativa com mais recursos ao Paint que acompanha todas as versões do Windows. O projeto recebeu apoio e patrocínio da Microsoft que oferecia assistência e suporte nas ferramentas de desenvolvimento. Isso motivou rumores de que o Paint.NET iria substituir o Paint no Windows Vista mas foi desmentido pelos autores e mais tarde pela própria Microsoft.

Ao longo dos anos muitos recursos foram adicionados, o projeto cresceu bastante deixando o Paint.NET mais robusto que acabou se tornando uma alternativa ao Photoshop por trabalhar com camadas, filtros e ter um sistema de plugins.

Rick Brewster, um dos responsáveis pelo projeto disse em seu weblog que a versão 1.0 foi escrita "em 4 meses e tinha 36.000 linhas de código" [2] . Uma versão mais atual, (v3.08), contém aproximadamente 140.000 linhas de código. Em maio de 2006 o programa atingiu a marca de 2 milhões de cópias (downloads) [3] , com uma média de 180.000 cópias por mês [4] .

Conversão para Mono[editar | editar código-fonte]

Miguel de Icaza converteu parcialmente o Paint.NET para Mono, uma implementação em código aberto do Common Language Infrastructure na qual o Microsoft.NET se baseia. Possibilitou assim executar o programa em Linux ou outras plataformas suportadas pelo Mono. Apesar do estado incompleto da conversão e da não disponibilidade de arquivos binários (executáveis), a funcionalidade da conversão fez Icaza acreditar na viabilidade do projeto tendo em vista o pouco tempo e esforço necessário para esta primeira tentativa. [5] [6] Em maio de 2007, iniciou oficialmente um projeto para conversão.[7]

Melhorias no Paint.NET[editar | editar código-fonte]

  • v3.5.10 (Estável)
    • Esta atualização corrige algumas teclas de atalho para o recurso View -> comando Tamanho real.
  • v4.0 (Estágio de desenvolvimento)
    • Esta versão está muito longe de ser lançada, mas o seu desenvolvimento já foi iniciado. Para as últimas informações sobre os últimos desenvolvimentos ocorridos, pode-se conferir no blog [8] do Paint.NET.
    • Recursos previstos para a versão 4.0 inclui uma nova interface, extensibilidade melhorada, sistema de escova, as seleções macio e camadas de ajuste foram melhoradas. As melhorias no modelo de aplicação e mecanismo de renderização também deve habilitar recursos como texto e efeito camadas. A data limite para o lançamento desta versão é no inicio de 2012.

Plugins[editar | editar código-fonte]

O Paint.NET é compatível com plugins que acrescentam funcionalidades como ajustes de imagens, efeitos e suporte a diferentes formatos de arquivos. Dentre os plugins disponíveis estão suporte ao formato de arquivo de ícones ICO, cursores CUR, e suporte parcial ao formato PSD utilizado no Adobe Photoshop. O tipo de plugin mais disponível é o que adicionam efeitos de tratamento de imagem ao programa, variam de simples conversores de imagens em texturas, adição de ruído, esfumaçamento e renderização em formas e padrões. Um plugin, CodeLab, permite escrever novos plugins e ver os resultados instantaneamente. Muitos dos efeitos incluídos no programa eram originalmente plugins.

Requisitos do sistema[editar | editar código-fonte]

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Seções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.

Desde o lançamento do programa já foram lançadas 33 versões diferentes, sendo que a atual é a v3.5.8 lançada em 5 de Março de 2011.[carece de fontes?]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. http://code.google.com/p/paint-mono/
  2. Brewster, Rick (3 de setembro de 2004) Paint.NET v1.1 "Beta 2" Download acessado em 2007-jan-28.
  3. Brewster, Rick (8 de maio de 2006) Paint.NET crosses 2 million downloads, and other news acessado em 2007-jan-28.
  4. Mook, Nate (27 de fevereiro de 2006) Interview: A Look Inside Paint.NET BetaNews, acessado em 2007-jan-28.
  5. de Icaza, Miguel (19 de maio de 2006) Porting Paint.NET to Mono acessado em 2007-ago-26.
  6. de Icaza, Miguel (16 de dezembro de 2006) Paint.NET and SafeHandles acessado em 2007-ago-26.
  7. paint-mono Página do projeto no Google Code acessado em 2007-ago-26.
  8. Blog do Paint.NET

Ligações externas[editar | editar código-fonte]