Phone Booth

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Phone Booth
Cabine Telefónica[1]  (PT)
Por um Fio (BR)
 Estados Unidos
2002 • Cor • 81 min 
Direção Joel Schumacher
Roteiro Larry Cohen
Elenco Colin Farrell
Forest Whitaker
Kiefer Sutherland
Katie Holmes
Radha Mitchell
Género ação, thriller
Idioma inglês
Página no IMDb (em inglês)

Phone Booth (br: Por um Fio / pt: Cabine Telefónica) é um filme americano de 2002, realizado por Joel Schumacher, sobre um homem que é encurralado numa cabine telefónica por um atirador.

A película foi programada originalmente para ser lançada no outono de 2002, mas o lançamento foi adiado até 4 de abril de 2003 devido aos ataques do franco-atirador de Beltway.

Elenco[editar | editar código-fonte]

História[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Stu Shepard (Colin Farrell), um publicitário, é encurralado por um homem que telefona-lhe para uma cabine telefónica - um assassino em série armado com um fuzil sniper - e lhe diz que caso ele desligue o telefone ele será morto. A uma certa altura do filme, prostitutas querem utilizar a cabine, e Stu, não podendo desligar o telefone, manda-as embora e as chama diretamente de prostitutas. Uma delas chama Leon, um cafetão, que tenta tirar Stu da cabine com um taco de baseball e durante o ato de violência, o atirador pergunta a Stu se precisa de ajuda, ele responde que sim, e o homem é assassinado no meio da rua, chamando assim atenção da polícia, que agora pensa que Stu está armado dentro da cabine e que poderá tentar se suicidar.

Stu há dois meses ligava para uma cliente todos os dias, tentando seduzí-la a partir da mesma cabine para que sua esposa não visse as chamadas nas faturas do seu celular. Ele só não pensava que alguém estivesse vigiando essa rotina e inclusive preparasse uma armadilha. Durante dado momento, o atirador manda Stu ligar para sua esposa e pedir a ela que compareça no local. Ele obedece e, sob os olhares da esposa e da cliente, confessa tudo. Logo após, ele desliga o telefone para se entregar, mas, depois de alguns segundos, o chefe da polícia o manda atender o telefone, para evitar que o atirador faça mais uma vítima. Depois de suados minutos, a polícia consegue rastrear a ligação - que estava com um bloqueio eletrônico para evitar o rastreamento imediato - e se dirige ao suposto apartamento onde está o atirador.

No momento do desfecho, Stu pega uma pistola que foi colocada na cabine pelo atirador e começa a gritar: "Sou eu quem você quer! Atire em mim!". Ele acaba por ser baleado, e, segundos depois, a SWAT chega ao apartamento e encontra um corpo e o fuzil. Stu é atendido no local e se vê que ele foi atingido por uma bala de borracha. O corpo encontrado é mostrado a Stu, que o reconhece como um homem que queria lhe vender uma pizza e que ele mandou-o se ferrar. No entanto, o verdadeiro atirador aparece depois, com o fuzil numa mala e caminhando sem levantar suspeitas - Stu o reconhece pela voz -. O filme termina com uma última risada do atirador e com um último toque do telefone.

Recepção da crítica[editar | editar código-fonte]

Phone Booth tem recepção favorável por parte da crítica especializada. Com tomatometer de 71% em base de 188 críticas, o Rotten Tomatoes publicou um consenso: “A estimulação rápida e desempenho de Farrell ajuda a fazer Phone Booth um tenso mordedor de unha”. Tem 64% de aprovação por parte da audiência, usada para calcular a recepção do público a partir de votos dos usuários do site.[2]

Referências

  1. Cabine Telefónica SAPO - Cinema
  2. Phone Booth (em inglês) Rotten Tomatoes. Página visitada em 17 de abril de 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]