Quadrophenia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Para o filme baseado neste álbum, veja Quadrophenia (filme)
Quadrophenia
Álbum de estúdio de The Who
Lançamento 19 de outubro de 1973
Gravação Maio de 1972 e junho de 1973
Gênero(s) Opera rock
Duração 81:36
Gravadora(s) MCA Records
Produção The Who, Kit Lambert, Glyn Johns
Cronologia de The Who
Último
Último
Meaty Beaty Big and Bouncy
(1971)
Odds & Sods
(1974)
Próximo
Próximo
Críticas profissionais
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
allmusic 4.5 de 5 estrelas.Star full.svgStar full.svgStar full.svgStar half.svg link
Rolling Stone 4 de 5 estrelas.Star full.svgStar full.svgStar full.svgStar empty.svg link
PopMatters Favorável link

Quadrophenia é o sexto álbum de estúdio do The Who. Lançado em 19 de outubro de 1973, é uma das duas óperas rock em larga escala do grupo.[1] [2] O nome é uma modificação a partir de uma noção não-científica da esquizofrenia, aqui como uma doença de personalidade múltipla; o protagonista da ópera sofre de personalidade quádrupla, cada uma delas associadas a um integrante do The Who. O encarte do álbum traz as descrições:

  • Um cara durão, um dançarino incapaz. ("Helpless Dancer" - Roger Daltrey)
  • Um romântico, sou eu por um momento? ("Is It Me?" - John Entwistle)
  • Um maldito lunático, eu até mesmo carrego tuas malas. ("Bell Boy" - Keith Moon)
  • Um mendigo, um hipócrita, amor, reine sobre mim. ("Love Reign O'er Me" - Pete Townshend)

Além de descrever a personalidade de cada membro da banda, os quatro comentários referem-se às quatro músicas-tema que retratam o personagem Jimmy: “Helpless Dancer”, “Doctor Jimmy”, “Bell Boy”, e “Love Reign O’er Me”. Os quatro temas misturam-se na penúltima faixa do disco, uma elaborada peça instrumental chamada “The Rock”.

História[editar | editar código-fonte]

A história cobre aproximadamente dois dias da vida de um certo Jimmy, participante do movimento mod na Inglaterra no começo dos anos 60. “A história começa numa rocha, no meio do oceano…”, disse o compositor Pete Townshend durante uma apresentação ao vivo. Sua observação parece indicar que a ópera representa as lembranças de Jimmy dos dois dias anteriores, que resultaram na triste situação em que ele se encontra no final da história. A narrativa é difícil de se aperceber só pelos versos das músicas, mas é complementada pelos “comentários” de Jimmy sobre vários assuntos em um encarte incluído no disco.

Já que pode-se dizer que Quadrophenia é a narrativa de uma história, esta história é contada então na primeira pessoa. A primeira metade da ópera trata das frustrações e inseguranças que guiam a vida de Jimmy, incluindo breves momentos de sua vida caseira, seu trabalho, seu psicanalista, e suas tentativas infrutíferas de ter uma vida social. Na metade da ópera ele canta “I’ve Had Enough” (“Eu já tive o bastante”), vendo-se chutado de casa depois que seus pais encontram anfetaminas em seu quarto, depois do qual ele se droga e pega um trem para Brighton, rouba um bote e o dirige para uma rocha no meio do oceano, esfacelando-se emocionalmente. Sem mais nenhum motivo para viver, ele encontra a redenção na chuva (uma manifestação da fixação espiritual por Townshend pela água).

Quadrophenia foi lançado originalmente como um vinil duplo, em embalagem formato livro, que trazia as letras das músicas e uma versão textual da história, além de um encarte que vinha à parte, com fotografias para ilustrar o conto. A MCA relançou-o em CD em 1985, com as letras e o texto mas sem o encarte. A versão remasterizada de 1996 traz o encarte original completo em miniatura.

No encarte da versão remasterizada de Odds and Sods, Townshend revela que Quadrophenia evoluíu de uma idéia para uma auto-indulgente autobiografia da banda. Duas das faixas da ópera datam de 1972, um ano que viu o Who produzir compactos referentes à banda, como “Join Together” e “Long Live Rock” (o último só lançado em 1974). Entretanto, na época em que Quadrophenia foi lançado, o papel da banda na história era apenas simbólico, através das quatro personalidades de Jimmy.

Os versos da canção “The Punk and the Godfather” deixam a impressão de que Townshend estava ciente da rebelião musical chamada punk já em 1973, com uma interpretação dúbia sobre Townshend ser o “punk” os executivos de sua gravadora o “godfather” e/ou músicos novatos inventando novos estilos como os “punks” e Townshend como o “godfather”.

Quadrophenia seria posteriormente transformado em filme, com várias canções adicionais acrescentadas pela banda na trilha sonora.

Em 2003 o canal de TV VH1 nomeou Quadrophenia o 86º melhor álbum de todos os tempos.

Faixas[editar | editar código-fonte]

Todas as canções compostas por Pete Townshend.

Esta é a lista de faixas da versão em LP. Nas versões em CD, a divisão entre os dois discos é no mesmo ponto, entre “I’ve Had Enough” e “5:15”..

Disco Um[editar | editar código-fonte]

Lado A[editar | editar código-fonte]

  1. "I am the Sea" - 2:08
  2. "The Real Me" - 3:22
  3. "Quadrophenia" - 6:15
  4. "Cut my Hair" - 3:46
  5. "The Punk and the Godfather" - 5:10

Lado B[editar | editar código-fonte]

  1. "I'm One" - 2:39
  2. "The Dirty Jobs" - 4:30
  3. "Helpless Dancer" - 2:32
  4. "Is it in my Head" - 3:46
  5. "I've Had Enough" - 6:14

Disco Dois[editar | editar código-fonte]

Lado A[editar | editar código-fonte]

  1. "5:15" - 5:00
  2. "Sea and Sand" - 5:01
  3. "Drowned" - 5:28
  4. "Bell Boy" - 4:56

Lado B[editar | editar código-fonte]

  1. "Doctor Jimmy" - 8:42
  2. "The Rock" - 6:37
  3. "Love, Reign O'er Me" - 5:48

Referências

  1. The Complete Guide to the Music of The Who. Chris Charlesworth. Omnibus Press. ISBN 071194306-0 (1995)
  2. Anyway Anyhow Anywhere: The Complete Chronicle of The Who, 1958-1978. Andy Neill & Matt Kent. Sterling Publishing Company, Inc. ISBN 1402766912 (2009)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]