Rolling Stone

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Rolling Stone
Editor Jann Wenner
Frequência mensal
Editora Wenner Publishing
Circulação Total: 1,4 milhão
Categoria Música, política, cultura popular
País  Estados Unidos
Idioma Português, Inglês, Francês, Espanhol, Alemão, Italiano, Japonês, Turco, Russo, Chinês
Formato 25,5 x 30,5 cm[1]
Primeira edição 1967
www.rollingstone.com

Rolling Stone é uma revista mensal baseada nos Estados Unidos dedicada à música, política, e cultura popular.

Início em São Francisco[editar | editar código-fonte]

A Rolling Stone foi fundada em 1967, na cidade de São Francisco, Califórnia, por Jann Wenner (editor e publicador) e pelo crítico musical Ralph J. Gleason. Para fazer a revista sair do chão, Wenner pediu emprestado US$7.500,00 de seus parentes e da família de Jane Wenner, sua noiva na ocasião.[2]

A Rolling Stone, a princípio, foi uma revista dedicada à contracultura hippie da década. Contudo, a revista foi se distanciando dos jornais underground da época, como o Berkeley Barb,[3] adotando padrões jornalísticos mais tradicionais e evitando as políticas radicais do jornalismo underground. Na primeira edição, Wenner escreveu que o Rolling Stone "não é só sobre música, mas sobre as coisas e atitudes que a música envolve." Isto se tornou o de facto motto da revista.

Nos anos de 1970, Rolling Stone começou a fazer sua marca pela sua cobertura política, como o jornalismo gonzo de Hunter S. Thompson escrevendo para a seção de política da revista.

A revista era tão popular durante este tempo que foi feito um single, interpretado por Dr. Hook & the Medicine Show, chamado "Cover of the Rolling Stone" ("Capa da Rolling Stone"---escrito por Shel Silverstein) que tornou-se um sucesso. Dr Hook, eventualmente, teve o seu sonho realizado e acabou saindo na capa da revista Rolling Stone.

Atual[editar | editar código-fonte]

Na década de 1980 a revista mudou-se para a cidade de Nova Iorque, para ficar mais próxima das agências de propaganda, e muitos dizem que sua mudança de cultura começou neste ponto. No início da década de 2000, encarando uma competição maior de revistas masculinas como FHM, a Rolling Stone reinventou-se contratando o ex-editor da FHM, Ed Needham. A revista começou a focalizar numa faixa etária menor, e oferecendo conteúdo mais orientado para cada sexo, o que levou freqüentemente a focalizar em sexy jovens atores de filmes ou televisão e também de música pop. Na ocasião alguns leitores fiéis protestaram contra a revista, dizendo que ela tinha caído de sua qualidade musical e observadora da contracultura para um tablóide superficial, com mais ênfases no estilo do que na substância.[4] Desde então, Rolling Stone retornou a sua mistura tradicional de conteúdo, incluindo entrevistas políticas a fundo, e tem visto suas publicações (atualmente 1.4 milhões) e lucros subindo. Em 2007 o lucro da revista subiu 23,3 porcento.[5]

Em 2007 a revista ganhou o National Magazine Award por excelência em geral.[6]

Indo em direção a edição da revista de título "50th Anniversary of Rock" (50º aniversário do Rock), em 2004, Rolling Stone começou a publicar uma série de listas de "melhores de todos os tempos" para reconhecer realizações históricas no campo de Música. Os 100 melhores guitarristas de todos os tempos e os 500 melhores álbuns de todos os tempos apareceram em 2003, seguidos pelos 50 momentos que mudaram a história do Rock & Roll e "500 melhores canções de todos os tempos" em 2004. A revista também publicou: "Os imortais da Rolling Stone" e a lista de "100 melhores artistas do nosso tempo".

Em 2006 a Rolling Stone publicou a sua 1000ª tiragem. A capa da revista, que foi influenciada pela capa do disco dos Beatles, Sgt. Pepper's Lonely Heart Club Band, mostrava alguns dos mais influenciais celebridades sobre as quais a Revista já havia escrito matérias.


Os 100 maiores discos da música brasileira
100 mejores discos del rock nacional argentino[7]
150 Album Indonesia Terbaik
100 Greatest Japanese Rock Albums
Los 50 mejores discos chilenos
100 disques essentiels du rock français[8]
Los 50 mejores discos del rock español[9]
Die 50 besten deutschen Alben[10]

Edições internacionais[editar | editar código-fonte]

 Alemanha[editar | editar código-fonte]

Publicado na Alemanha desde 1994 pela AS Young Mediahouse.

 Argentina[editar | editar código-fonte]

Rolling Stone é publicada pela Publirevistas S.A. desde Abril de 1998.

 Austrália[editar | editar código-fonte]

Um suplemento do Rolling Stone começou em 1969 na revista Go-Set. Se tornou título em 1972 e agora é publicada pela Next Media Pty Ltd, Sydney.

 Brasil[editar | editar código-fonte]

Rolling Stone Brasil publicada no Brasil desde Outubro de 2006 pela Spring Comunicações.

 Chile[editar | editar código-fonte]

Rolling Stone foi publicada por Edu Comunicaciones desde Maio de 2003. Atualmente é publicada por El Mercurio, desde Janeiro de 2006.

 China[editar | editar código-fonte]

Rolling Stone mantém uma licença na China a One Media Group de Hong Kong e publica em sociedade com a "China Record Corporation". A revista e em chinês com artigos traduzidos e também com conteúdos locais. Esta cooperação foi lançada em março de 2006 como "Rolling Stone" em língua inglesa sob o nome em chinês: "音像世界" ("Mundo Audio Visual").

 Colômbia[editar | editar código-fonte]

Editada em Bogotá para a Colômbia, Peru, Panamá e Venezuela.

Flag of Spain.svg Espanha[editar | editar código-fonte]

Rolling Stone é publicado pela PROGRESA em Madrid, desde 1999.

 Estados Unidos[editar | editar código-fonte]

Lançou em 1967 pela Wenner Publishing.

 França[editar | editar código-fonte]

Lançou em 2002. Esta edição temporariamente parou em 2007 e foi relançada em maio de 2008 sob uma licença com "1633SA publishing group."

 Índia[editar | editar código-fonte]

Lançou em fevereiro de 2008 pela MW Com, editor da revista Man's World.

Indonésia[editar | editar código-fonte]

Publicado na Indonésia desde junho de 2005 pela JHP Media.

 Itália[editar | editar código-fonte]

Publicado na Itália desde novembro de 2003, primeiro por IXO Publishing e agora por Editrice Quadratum. Como na China, a versão italiana do Rolling Stone tem conteúdo local e artigos traduzidos.

 Japão[editar | editar código-fonte]

Lançou em março de 2007. Como outras edições, ela consiste de material traduzido da edição americana assim como cobertura da música japonesa.

 México[editar | editar código-fonte]

Rolling Stone Mexico é publicado pela Prisa Internacional desde 2002.

 Turquia[editar | editar código-fonte]

Publicado na Turquia desde junho de 2006 por GD Gazete Dergi.

 Rússia[editar | editar código-fonte]

Rolling Stone é publicado pela Izdatelskiy Dom SPN desde 2004.

Referências

  1. Sobre a Rolling Stone Site Oficial da Rolling Stone Brasil. Visitado em 09/06/2010.
  2. Salon.com People (em inglês) "O Mundo de Wenner".
  3. Berkeley Barb - Um jornal underground the Berkeley que foi publicado de 1965 até os anos de 1980. O primeiro de tais jornais da época que cobria matérias anti-guerra e de direitos civis
  4. "Literalmente 'Rolling Stone' se vende" (em inglês).
  5. Matéria sobre os lucros do Rolling Stone (em inglês).
  6. "National Magazine Awards Database". Página visitada em 2007-11-06.
  7. http://www.rollingstone.com.ar/899791
  8. Rolling Stone; n° 18; febrero 2010; ISSN 1764-107L
  9. http://www.rollingstone.es/specials/view/los-50-mejores-discos-del-rock-espanol-1
  10. http://www.rollingstone.de/magazin/features/article63672/Die-50-besten-deutschen-Alben-die-Top-20.html

Ligações externas[editar | editar código-fonte]