Relações entre Israel e Venezuela

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Relações entre Israel e Venezuela
Bandeira de Israel   Bandeira da Venezuela
Mapa indicando localização de Israel e da Venezuela.
  Israel


Entrada do Cemitério Judaico de Coro, localizado na cidade venezuelana de Santa Ana de Coro.

As relações entre Israel e Venezuela são as relações diplomáticas estabelecidas entre o Estado de Israel e a República Bolivariana da Venezuela.

Estas relações deterioraram-se em 2006 devido às condenações do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, relativas ao conflito entre Israel e Líbano em 2006, e em parte devido à política externa de Hugo Chávez relacionada ao Irã e à oposição política de Israel a estas relações.

Na sequência da Operação Chumbo Fundido, uma ofensiva militar israelense realizada na Faixa de Gaza em 2008-2009, a Venezuela rompeu todos os vínculos diplomáticos com Israel, condenando as suas ações e acusando os israelenses de realizarem um "massacre" contra os Palestinos.[1] [2]

Antissemitismo[editar | editar código-fonte]

Em fevereiro de 2012, duas importantes organizações judaicas dos Estados Unidos condenaram os comentários supostamente antissemitas feitos por partidários de Hugo Chávez contra o candidato presidencial da oposição, Henrique Capriles Radonski.[3]

Outra organização judaica, o Centro Simon Wiesenthal, enviou uma carta à rádio estatal venezuelana se queixando do artigo publicado em seu site pelo jornalista Adal Hernández, em que este dizia que os dois caminhos para o país eram a Revolução Bolivariana ou o "sionismo internacional".

Capriles é católico praticante, mas neto de judeus poloneses sobreviventes do Holocausto.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre relações exteriores é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.