Romanée-Conti

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Romanée-Conti
Barris na adega subterrânea da vinícola da Domaine Romanée-Conti
Designação Romanée-Conti
Denominação
principal
Grand Cru
Tipo de denominação Grand Cru
Ano de inclusão 1972
País  França
Região principal Borgonha
Cidade Vosne-Romanée
Clima Temperado
Solo Argiloso e calcário
Superfície
plantada
1.81 ha [1]
Cepa dominante Pinot noir [1]
Vinhos produzidos Tinto [1]
Produção (hl) 45 hl (6.000 garrafas) [1] [2]

O Romanée-Conti é um vinho francês produzido em Vosne-Romanée, na Côte de Nuits, Leste da França. Ele é classificado como "Grand Cru" [1] e é considerado o maior vinho da Borgonha e um dos melhores da França, reverenciado por enólogos e enófilos de todo o mundo.[3]

O Conti é feito exclusivamente com uvas pinot noir resultando num vinho elegante, com aromas e sabores florais, manteiga, frutas vermelhas, terra e animal. Ele se distingue dos outros terroirs na mesma região pela sua coloração rubi, sabor aveludado e aromas que encantam. É um vinho de guarda que exige maturação entre 6 e 12 anos quando atinge seu ápice.

Todos os vinhos produzidos pela Domaine de La Romanée-Conti são grands crus tratados com a mesma atenção. A colheita é tardia, para que a maturação das uvas seja perfeita e a fermentação dura um mês, com temperatura controlada sempre abaixo de 33 °C. Depois disso, o vinho envelhece por cerca de 18 meses em barris de carvalho francês novo.[4]

Vinhedos da Domaine Romanée-Conti

Historia e geografia[editar | editar código-fonte]

O terroir, com 1,8 hectares de solo calcário com altitude, inclinação e drenagem perfeitos, está localizado na região também conhecida como "rota dos Grand Crus" e produz unicamente uvas do tipo "pinot noir".[2]

Os vinhedos remontam do século XV plantados pelos monges de Saint-Vivant. O nome vem do príncipe Louis François de Bourbon-Conti que o comprou em 1760. No entanto, a denominação Romanée-Conti só surgiu em 1794. Hoje a propriedade pertente às famílias de Villaine e de Leroy, que também produzem outros excelentes grands crus na Borgonha.[4]

Atualmente a Domaine de la Romanée-Conti (DRC) é dirigida por Aubert de Villaine.[5]

Em 1945, as vinhas foram atacadas pelo inseto "phylloxera" (Daktulosphaira vitifoliae) que dizimou as plantações e obrigou o replantio. Por essa razão, não foram produzidos vinhos entre os anos de 1946 e 1951.[4]

Grands Crus de Vosne-Romanée[editar | editar código-fonte]

Produção

Vinho Uva Área de cultivo Produção média anual
La Romanée-Conti Pinot noir 1,8 ha 450 caixas
La Tâche Pinot noir 6,06 ha 1.870 caixas
Le Richebourg Pinot noir 3,51 ha 1.000 caixas
Romanée Saint Vivant Pinot noir 5,28 ha 1.500 caixas
Grand Echézeaux Pinot noir 3,52 ha 1.150 caixas
Echézeaux Pinot noir 4,67 ha 1.340 caixas
Le Montrachet Chardonnay 0,67 ha 250 caixas

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Seleção de uvas na Domaine Romanée-Conti
  • Apenas 6.000 garrafas de Romanée-Conti são produzidas por ano.[1] Particularmente, esse vinho não é vendido como os demais - em unidades, dúzias ou caixas - e sim através de um "assortiment", ou seja, uma seleção de 12 vinhos em que apenas UM é o Romanée-Conti. Nem por isso as demais onze garrafas são menos espetaculares pois são todas grands crus produzidos na Côte de Beaune e Côte de Nuits, na mesma região e pela mesma Domaine. O preço do "assortiment" varia bastante mas nunca fica abaixo de US$ 6.000,00. No ano 2000, em Nova Iorque, seis garrafas magnum do Conti 1985 foram vendidas por 134.315 €.
  • As uvas viníferas, particulamente as do tipo pinot noir, começam a fermentar no momento em que as cascas se rompem. Por essa razão o transporte das uvas do terroir para a prensagem é feito em pequenas caixas com a altura equivalente a um cacho de uva para que elas não se amassem - muito diferente da maioria dos viticultores que dispensam grandes cuidados com o transporte. A partir daí as uvas são colocadas sobre um esteira (foto) onde os viticultores descartam as uvas ou cachos que não atendam a este primeiro controle de qualidade. Somente as melhores uvas irão para a prensagem que será chamada de "mosto".
  • Os terroirs da região da Côte-d'Or são separados por pequenas muretas de pedra com cerca de 50 cm de altura (foto). Apesar de vizinhos, os terroirs produzem vinhos bastante diferentes.
  • O Romanée-Conti é considerado um mito entre os vinhos franceses.
  • Os melhores barris de carvalho são produzidos na França, com árvores francesas.

Referências

  1. a b c d e f Bourgognes - Terroirs de Bourgogne - Romanée Conti. Visitado em 14/04/2009.
  2. a b Divine Comedia - la bible des vigns de Bourgogne - Grand Cru Vosne-Romanée. Visitado em 14/04/2009.
  3. Larousse de Vinhos, Editora Larousse - Brasil
  4. a b c Revista Adega - A passagem do cometa Romanée. Visitado em 14/04/2009.
  5. Veja Abril - O monsieur Romanée-Conti. Visitado em 14/04/2009.
  • Partes do texto foram extraídas e traduzidas do mesmo título em francês: Romanée-Conti