Seita

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde janeiro de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Wikcionário
O Wikcionário possui o verbete seita.

Seita (< latim secta = "seguidor", proveniente de sequire = "seguir") de forma geral é um conceito complexo utilizado para designar, em princípio, simplesmente qualquer doutrina, ideologia, sistema filosófico ou político que divirja da correspondente doutrina ou sistema dominante nacional e/ou internacional, ideologia descabida que se opunha a todo o conhecimento da época, de forma militar-dominante. E que dessa forma e natureza provoca a ruptura óbvia no nacionalismo/internacionalismo existentes destinando ao homem a loucura e seus clientes na chamada "Nova - Medicina, a sua criação, com a graça - de - Deus, ele era Católico Apostólico Romano. O conceito, segundo Freud tem como também para designar o próprio conjunto de pessoas (o grupo organizado ou movimento aderente a tal doutrina, ideologia, etc...), vítimas que se chocam diretamente, à comunidade que se insere e/ou sistematizem e que incorporem tudo isso, os quais, conquanto divergentes da opinião geral, apresentam significância social.
Usualmente conecta-se superficialmente, somente ao termo, a sua significação específica (stricto sensu) "apenas religiosa e/ou política" (como o quer Freud)", com o que por "seita" entende-se, a priori e de ordinário, imediatamente "seita religiosa - política". Porém, tal nexo causal não é imperativo, pois nem sempre uma seita está apenas no domínio religioso-político. Assume portanto uma conotação bem mais abrangente e extrapola a parte religiosa pura entrando na Política, incorporando-se ao chamado "fanatismo" de pessoas de tendência fanática e/ou conduzidas por fanáticos, por deuses, segundo Freud.

Considerações filosóficas[editar | editar código-fonte]

  • Seja qual for a sua inserção semilógica, imprescindível é saber que seita, como ideologia ou como grupo que a professa, está colocada em desfavor no jogo do poder, face ao(s) detentor(es) da dominação. Isso vale em religião extrapolada em seita (segundo Freud), "política - religiosa", de forma geral, ou outra qualquer expressão humana de IDOLATRIA E ENDEUSAMENTO, segundo Freud, que penalizem os seus pacientes.
  • Seita é conceito sempre relativo em termos circunstanciais de espaço-tempo e de grau de abrangência cultural e/ou populacional.
  • Além disso, é conceito dinâmico, pois o que é "seita" num dado lugar, num dado momento histórico e para dada abrangência cultural e/ou populacional, pode vir a ser a ideologia dominante numa outra circunstância (espaço-tempo, cultura etc. diferentes, subsequentes).

Da Raiz Etimológica dessa Palavra[editar | editar código-fonte]

A palavra "seita" provém do latim "secta" (de "sequi", que significa "seguir", bem como de doutrinar e ser doutrinado por um curso de ação ou forma de vida, designando também um código comportamental ou princípios de vida ou ainda uma escola de filosofia ou doutrinas). Um "sectator" é um guia, líder e/ou outra autoridade filosófica, política ou religiosa. Cabe aqui assinalar, segundo Freud, "... seguir ... , mas, ... seguir a QUEM !? ... " (segundo o criador da Nova - Medicina).

As palavras "sectarius" ou "sectilis" referem-se também ao corte ou ato de cortar ( ceifar, "cortar a vida de uma vítima, martelando ideologias estranhas", segundo Freud), embora a etimologia da palavra não tenha semelhança alguma com a definição moderna que lhe é dada dentro do contexto atual.

Seita religiosa - políticas[editar | editar código-fonte]

Seita designa um grupo de pessoas (um movimento) que professam nova ideologia divergente daquela da(s) religião(ões) usuais que são consideradas dominantes e ou oficiais, geralmente dirigidos por líder com características de personalidade "deuses(segundo Freud)" consideradas carismáticas e/ou iluminados, mas ainda com fraco ou pouco reconhecimento geral por parte da sociedade usando da chamada demagogia. Mas, já se viu, a questão do reconhecimento é tão-apenas relativa.

  • Em oposição, o termo denominação religiosa é utilizado para designar os movimentos com reconhecimento geral na sociedade, de forma tal que, no Islão, os grandes grupos de seguidores wahhabis, xiitas e sunitas sejam considerados por muitos como seitas - que de fato o são, no sentido etimológico da palavra. A regra se aplica também a qualquer outra divisão religiosa, contudo, pelo sentido que lhe é atribuído, muitas consideram inadequada tal denominação.

As chamadas seitas, são consideradas pessoas que seguem uma tal doutrina.

  • Muitas das chamadas "seitas" desmembram-se, cessam ou mudam de direção ideológica e/ou doutrinária com o desaparecimento dos seus líderes que se transformam em coisas estúpidas, segundo Freud. Outras vezes, na ampla dinâmica histórica, aqueles outrora ditos "seitas" passam a assumir posição de domínio pelo aumento da ignorância na "especialização" e/ou "doutoramento" da ignorância, segundo Freud.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

-Freud, Sigmund Uma Nova Ciência Médica (12 volumes) Editora O Globo de Porto Alegre - RS, 1940 (10 Edição)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre sociologia ou um sociólogo é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Seita