Short Tucano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Short Tucano
Short Tucano da RAF
Descrição
Fabricante Short Brothers
Entrada em serviço 1989 (Royal Air Force)
Missão treinamento
Tripulação 1 (monoposto) ou 2 (biposto)
Dimensões
Comprimento 9.86 m
Envergadura 11.28 m
Altura 3.40 m
Área (asas) 19.3 m²
Peso
Peso total 2,017 kg
Peso bruto máximo 3,275 kg
Propulsão
Motores 1 × Garrett TPE331-12B turboélice, 1,100 CAv (820 kW)
Performance
Velocidade máxima 507 km/h
Alcance 1,665 km
Teto máximo 10,365 m
Relação de subida 17.8 m/s

O Short Tucano T1 (S.312)[1] é uma aeronave de treinamento turboélice de dois lugares e é utilizado pela Força Aérea Real. É uma versão de licença de construção do Embraer EMB-312 Tucano, e também é usado pelas forças aéreas do Quénia e Kuwait.

Design e Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

O Short Tucano foi desenvolvido pela empresa britânica Short Brothers, a fim de atender a os requisitos para substituir o Jet Provost como o treinador de base para a RAF, como previsto no Air Staff Target 412. É uma adaptação do Embraer EMB-312 Tucano equipado com o mais potente 1.100 shp (820 kW) Garrett motor Turboélice no lugar dos motores 750 shp (560 kW) Pratt & Whitney Canada PT6 do Tucano da Embraer, para proporcionar um desempenho maior nas subidas.

Além de um motor diferente, as outras diferenças entre o Shorts Tucano e o Tucano da Embraer são:

  • A estrutura reforçada
  • Um layout do cockpit semelhante ao cockpit do treinador avançado Hawk da RAF
  • Uma hélice de quatro pás, ao contrário de três pás
  • Freios aerodinâmicos e remodelação na ponta das asas
  • A instalação de assentos ejetáveis Martin-Baker MB 8LC para a tripulação
  • Um novo sistema de oxigênio
  • Um novo gravador de dados de voo
  • Um canopy modificado

O Tucano foi selecionado em 1985,ao ganhou a licitação para a renovação dos treinadores da RAF,competiu com o Suiço Pilatus PC-9 e o Britanico NDN Firecracker

Variantes[editar | editar código-fonte]

Tucano T1
De dois lugares para treinamento básico para a RAF - 130 entregues (uma outra aeronave (T42) foi severamente danificado por uma explosão com uma bomba na montagem final e nunca foi concluída).
Tucano Mk.51
Versão de exportação para o Quênia - 12 entregues (13 foram levados mas o primeiro foi perdido em ensaios em fevereiro 1990, matando o piloto de testes Allan Deacon).
Tucano Mk.52
Versão de exportação para o Kuwait - 16 entregues

Operadores[editar | editar código-fonte]

Short Tucano do No. 72 Squadron da RAF
 Quênia
Kuwait
 Reino Unido

Especificações[editar | editar código-fonte]

Características Gerais[editar | editar código-fonte]

  • Tripulação: 1-2
  • Comprimento: 9.86 m
  • Envergadura: 11.28 m
  • Altura: 3.40 m
  • Área da Asa: 19.3 m²
  • Peso vazio: 2,017 kg
  • Peso Máximo de Decolagem: 3,275 kg
  • Motor: 1 × Garrett TPE331-12B turboélice, 1,100 CAv (820 kW)

Performance[editar | editar código-fonte]

  • Nunca exceder a velocidade: 518 km/h
  • Velocidade Máxima: 507 km/h
  • Velocidade de Cruzeiro: 407 km/h
  • Velocidade de Stol: 128 km/h
  • Alcance: 1,665 km
  • Altura Máxima: 10,365 m
  • Taxa de subida: 17.8 m/s
  • Peso por asa: 140 kg/m²
  • Potência/massa: 0.250 kW/kg

Armamento[editar | editar código-fonte]

  • Previsão para 454 kg de armazenamentos em quatro pontos sobre as asas, mas não nos Tucanos do Reino Unido

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências