Sistema Jornal do Commercio de Comunicação

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde março de 2014).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Sistema Jornal do Commercio de Comunicação
Veículo de reportagem da empresa.
Slogan Orgulho de ser nordestino
Tipo Sociedade Anônima
Gênero Comunicação
Fundação 1 de janeiro de 1919 (95 anos)
Fundador(es) Paraíba F. Pessoa de Queiroz
Sede Band recife.gif Recife, Pernambuco Bandeira de Pernambuco.svg
Locais  Brasil
Proprietário(s) Sergipe João Carlos Paes Mendonça
Subsidiárias Grupo JCPM
Acionistas Grupo JCPM
Antecessora(s) Queiroz Galvão
Sucessora(s) Grupo JCPM

O Sistema Jornal do Commercio de Comunicação é um conglomerado de empresas de comunicação brasileiro com sede em Pernambuco.

História[editar | editar código-fonte]

Jornal[editar | editar código-fonte]

O Sistema Jornal do Commercio de Comunicação teve início em 1919 com a criação do Jornal do Commercio pelo jornalista, empresário e político paraibano F. Pessoa de Queiroz. O primeiro exemplar do jornal foi vendido no dia 3 de abril do mesmo ano.

O Diário da Noite foi outro periódico da empresa, de circulação vespertina, tendo, porém, vida curta.

Rádio[editar | editar código-fonte]

Em 1948, F. Pessoa inaugurou a Rádio Jornal do Commercio, cujo slogan era: Pernambuco falando para o mundo, ancorado em seus transmissores com potência de 100 kw.

Em 1951 a interiorização do rádio teve início, com a Rádio Difusora de Caruaru, seguida das rádios difusoras de Pesqueira, Garanhuns e Limoeiro e por último Petrolina.

Televisão[editar | editar código-fonte]

A TV Jornal do Commercio, em 1960, foi a primeira emissora de televisão de Pernambuco [1]

Crise[editar | editar código-fonte]

Em 1970 o Sistema Jornal do Commercio entrou em crise financeira, com reflexos nos três setores: jornal, rádio e televisão. A crise deveu-se ao afastamento de seu fundador, que foi assumir o mandato de Senador por Pernambuco, e a má gerência então exercida pelo seu filho, Paulo Pessoa de Queiroz.

Em 1974 a Justiça Federal decretou a intervenção no Sistema Jornal do Commercio de Comunicação.

A crise financeira foi responsável pelo fechamento das emissoras de rádio existentes no Interior de Pernambuco e do Diário da Noite, o primeiro a sofrer.

Mudança de controle acionário[editar | editar código-fonte]

Paes Mendonça proprietário da empresa.
foto:Antonio Cruz/ABr

A sucessão de crises administrativas e financeiras do grupo levou a uma grande greve em 1987, que resultou na mudança de controle acionário. O SJCC foi adquirido pelo empresário João Carlos Paes Mendonça, então ex- proprietário da rede de supermercados Bompreço, iniciando a formação do Grupo JCPM, com a aquisição de ações e a administração de shopping centers no Brasil.

Recuperação[editar | editar código-fonte]

A mudança de controle acionário e de administração levou o Sistema a uma recuperação.

Atualmente, o Jornal do Commercio vem mantendo uma liderança há vários anos no setor de jornais impressos. A TV Jornal é afiliada ao SBT e vice-líder de audiência no estado. A Rádio JC FM (90,3), que outrora tinha uma programação popular,integrou a rede CBN por 8 anos e hoje atua como JC News sendo a primeira emissora all-news do Norte/Nordeste do Brasil e a Rádio Jornal ostenta a liderança de audiência entre as emissoras AM na Região Metropolitana do Recife e a vice-liderança entre as emissoras AM em Caruaru.

Empresas[editar | editar código-fonte]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Rádio[editar | editar código-fonte]

Jornal[editar | editar código-fonte]

Internet[editar | editar código-fonte]

Notas e referências

Notas

Referências

  1. Embora a TV Rádio Clube de Pernambuco tenha sido inaugurada duas semanas antes da TV Jornal do Commercio, esta iniciou com muita antecedência as suas transmissões, em caráter experimental.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]