Subespécie

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde junho de 2009).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Em taxonomia, uma subespécie ou raça é uma subdivisão da espécie. Normalmente isso ocorre quando duas ou mais populações de uma mesma espécie se separam indo viver em regiões diferentes e por ficarem separados por barreiras geográficas por muitas e muitas gerações e não existindo trocas de genes entre essas populações isoladas umas das outras os grupos isolados uns dos outros sofrem mutações com o tempo e assim aparecendo diferenciações genéticas e surgimento de novas subespécies ou raças nessa mesma espécie.

  • As populações evoluem de maneiras distintas, dando origem à raças ou subespécies diferentes.

Se indivíduos da mesma espécie mas de raças diferentes forem cruzados entre si, produzem descendentes férteis, com características intermediárias entre as raças ou subespécies que os geraram, produzindo os mestiços.

Qualquer espécie pode possuir diversas raças ou subespécies mas nem sempre isso acontece.

Em zoologia, o nome científico de uma espécie é obrigatoriamente escrito em latim e em negrito ou itálico sublinhado. Primeiro se escreve o nome do género em letra maiúscula seguido imediatamente pelo nome da espécie em letra minúscula, por exemplo Pinus nigra.

Os zoólogos consideram a raça como um sinónimo de subespécie, sendo que no “Código Internacional de Nomenclatura Zoológica” (4ª edição, 2000) não existe nenhuma norma para considerar categorias sistemáticas abaixo da espécie.

Os botânicos – de acordo com o “Código Internacional de Nomenclatura Botânica” - as variantes duma espécie são explicitamente denominadas subespécies.

Por exemplo, para o pinheiro negro europeu, Pinus nigra, são aceitas três subespécies ou raças:

  • Pinus nigra nigra -pinheiro-negro-austríaco;
  • Pinus nigra caramanica-pinheiro-negro-turco; e
  • Pinus nigra pallasiana-pinheiro-negro-da-crimeia.

Portanto "nigra", "caramanica" e "pallassiana" são as raças ou subespécies da espécie pinheiro negro europeu.

O código norma ainda os nomes de “variedades” criadas artificialmente, chamadas “cultivares” – os nomes destas variantes são colocados entre aspas (sem ser em latim). Por exemplo:

  • Clematis alpina "Ruby" é um cultivar infraspecífico; nesse caso "Ruby" significa apenas uma variedade cultivada e não uma subespécie ou raça.

Exemplo de rara exceção:

  • Magnolia "Elizabeth" é um híbrido produzido a partir de duas espécies diferentes do género Magnolia mas por ser um produto do cruzamento de espécies diferentes não produz sementes e por conseguinte não se reproduz; exemplo semelhante é o cruzamento de burro com égua produzindo mús ou mulas que também são estéreis e não constituem em si uma nova espécie e muito menos uma raça ou subespécie, é o que denominamos como bestas. Outro exemplo é o Ligre cruzamento de leão com tigresa.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Domínio ou Super-reino Superordem Superfamília Superespécie
Reino Filo/Divisão Classe Ordem Família Tribo Gênero Espécie
Sub-reino Subfilo Subclasse Coorte Subordem Subfamília Subtribo Subgênero Subespécie
Infrarreino Infrafilo Infraclasse Legião Infraordem Seção Infraespécie
Parvclasse Parvordem