Tamagnini de Abreu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wikitext.svg
Este artigo ou seção precisa ser wikificado (desde dezembro de 2009).
Por favor ajude a formatar este artigo de acordo com as diretrizes estabelecidas no livro de estilo.
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde dezembro de 2009).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Tamagnini de Abreu
Geral Tamagnini (à esquerda) como o comandante do CEP, juntamente com os generais Richard Haking e Gomes da Costa.
Nome completo Fernando Tamagnini de Abreu e Silva
Nascimento 13 de Maio de 1856 Tomar, Portugal
Morte 24 de Novembro de 1924 (68 anos) Lisboa, Portugal

Fernando Tamagnini de Abreu e Silva GCTEGCCGOAGCA (Tomar, Santa Maria dos Olivais, 13 de Maio de 1856 - Lisboa, 24 de Novembro de 1924) foi um militar português.

Biografia[editar | editar código-fonte]

A 2 de Junho de 1873, assenta praça como voluntário no Regimento de Cavalaria 2. Em 1891 assume o carg de director da Escola Regimental e dois anos mais tarde ingressa na Guarda Municipal de Lisboa. Em 1913, participou na Escola de Repetição e no ano seguinte foi para o Estado-Maior das Armas e Inspector da Cavalaria Divisionária e, em 1915, nomeado comandante interino da Brigada de Cavalaria.

Após a sua promoção a general foi escolhido para comandar a Divisão de Instrução mobilizada em Tancos e posteriormente para Comandante do CEP, o CEP, que combateu na Flandes na I Guerra Mundial, integrado no exército inglês. Após a derrota do CEP na batalha de La Lys, a 9 de Abril de 1918, foi substituído, a 25 de Agosto, no comando daquele mesmo Corpo pelo general Garcia Rosado.

Foi ainda comandante da 5.ª Divisão do Exército e Presidente do Supremo Tribunal de Justiça Militar.

A 15 de Fevereiro de 1919 foi feito Grande-Oficial da Ordem Militar de Avis, a 28 de Junho de 1919 foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem Militar de Cristo, a 14 de Setembro de 1920 com a Grã-Cruz da Ordem Militar da Torre e Espada, do Valor, Lealdade e Mérito e a 31 de Dezembro de 1920 elevado a Grã-Cruz da Ordem Militar de Avis.[1]

Faleceu em 24 de Novembro de 1924 em Lisboa.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]