Temporada 1918-19 da NHL

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Temporada 1918-19 da NHL foi a segunda temporada da National Hockey League (NHL). Enquanto inicialmente ainda era incerta a operação da NHL, com a possibilidade de que a National Hockey Association (NHA) voltasse a existir, os negócios não terminados do Toronto de Eddie Livingstone e a franquia de Ontário da NHA levaram os donos da NHL a suspender a NHA novamente. Livingstone tentaria superar a administração da NHA, e, falhando naquilo, tantaria operar uma liga rival. A pré-temporada foi recheada de ações legais, decepções e diminuição do público. No fim das contas, a NHL operou com três times, em Montreal, Ottawa e Toronto. Todavia, a temporada terminou cedo, com o Toronto suspendendo suas operações, deixando Montreal e Ottawa lutando pelo campeonato. O Montreal venceria os playoffs e viajaria para Seattle, para a final da Copa Stanley. Mas a série da Copa não seria terminada devido à Gripe Espanhola, infectando totalmente a equipe do Montreal e causando a morte do jogador do time Joe Hall.

Negócios da liga[editar | editar código-fonte]

A pré-temporada viu muitas ações fora do gelo. O dono do Toronto na NHA, Eddie Livingstone, descobriu um parceiro em Percy Quinn, administrador do Toronto Arena Gardens, para competir com os donos da NHA/NHL. Os dois juntos tentaram alugar os cronômetros de tempo na Toronto Arena Gardens, Ottawa Arena e Montreal Jubilee Rink debaixo dos narizes dos donos da NHL, abriram vários processos, tentaram lançar uma liga concorrente e tentaram relançar a NHA, mas no fim foram mal-sucedidos. A NHA, enquanto não operava, encontrou-se três vezes.

Aquisição do Quebec Bulldogs[editar | editar código-fonte]

A primeira ação de Livingstone e Quinn foi a tentativa de Quinn de comprar o Quebec Bulldogs, colocando um pagamento de 600 dólares. À época, a compra de Quinn foi bem-vinda pelos outros donos da NHA, que pensaram que eles ganhariam uma franquia operante. A ação de Quinn deu a ele e a Livingstone três votos nos encontros da NHA. Livingstone ainda tinha os votos das franquias da NHA "Ontarios" e "Torontos".

Segunda suspensão da NHA[editar | editar código-fonte]

Em 27 de setembro de 1918, em Montreal, os diretores da NHA se encontraram de novo. Ottawa, Montreal Wanderers e Canadiens votaram por manter a suspensão das operações da liga. Isso significou que a NHL existiria por uma segunda temporada. A compra por Percy Quinn do Quebec Bulldogs foi aprovada, mas sua franquia não poderia jogar.[1] A ação dos diretores da NHA levou Livingstone a abrir um processo em 1 de outubro, afirmando que havia uma conspiração entre os donos da NHA, pagos pela Arena Company para suspender as operações da NHA, e pedindo à corte para anular a suspensão.[2]

Em 2 de outubro, Quinn se encontrou com Ted Dey, dono da Ottawa Arena, e entrou em um acordo para alugar a Ottawa Arena. Dey aceitou um cheque de Quinn, mas não o compensou. Ele tinha planos, que envolviam a aquisição do Ottawa Senators, fazendo com que parecesse aos administradores dos Senators que eles não tinham estádio para jogar. Antes de deixar o time encerrar, Martin Rosenthal entrou em um acordo para vender os Senators a Dey.

Processo contra a Arena Company[editar | editar código-fonte]

Desde que o Toronto venceu a Copa em 1917–18, os planos dos outros donos de se verem livres de Livingstone foram atrapalhados. Seu time tinha uma estimativa de valer vinte mil dólares, e Livingstone queria esse valor. A Arena Company ofereceu sete mil dólares, mas Livingstone, em vez disso, cobrou à Arena e a Charlie Querrie os vinte mil.[3] Nos dias seguintes ao processo contra a Arena, Hubert Vearncombe, tesoureiro da Toronto Arena Company, formou a separada Toronto Arena HC.[3] Isso separou o clube de hóquei dos processos de Livingstone, embora a franquia ainda usasse os jogadores de Livingstone sem permissão.

Tentativa de lançar a CHA[editar | editar código-fonte]

Uma nova ameaça à NHL apareceu. Livingstone, junto com Quinn, tentou lançar a opositora Canadian Hockey Association (CHA).[4] Quinn agora planejava realocar o time de Quebec para Toronto com o nome de Shamrocks.[4] Quando as notícias da aquisição chegaram ao conhecimento de Frank Calder, presidente tanto da NHA quanto da NHL, ele exigiu que Quinn declarasse suas intenções em ser membro da NHL ou CHA. Calder publicamente marcou a data-limite de 11 de novvembro para que Quinn declarasse suas intenções. Quinn não foi ao encontro, e Calder declarou a suspensão da franquia de Quebec para a temporada. Em 2 de outubro, Quinn assinou um acordo de aluguel com Ted Dey, da Ottawa Arena, para ter direitos exclusivos de hóquei profissional ali. Entretanto, Dey enganou Quinn, não compensando seu cheque, e assinando um acordo de cinco anos com a NHL para uso da instalação.[5] Os três times da NHL assinarariam um acordo para se manter na NHL pelos cinco anos seguintes.

Os diretores da Arena Company of Montreal, donos das arenas de Montreal e Toronto, encontraram-se e decidiram desativar a CHA, contra os desejos de Quinn, efetivamente finalizando a tentativa de começar a CHA para a temporada de 1918-19. Apesar da suspensão e da ameaça pública, Quinn concordou em se encontrar com Calder, mas não chegou a um acordo. Calder publicamente ofereceu uma proposta de paz para Quinn se juntar à NHL.[6]

Dispensa do processo contra o 228.º[editar | editar código-fonte]

Enquanto isso estava acontecendo, o processo da NHA para recuperarr 3 500 dólares da seguradora do time de hóquei 228.º Batalhão de Toronto foi executado e dispensado. A NHA processou o 228.º Batalhão por sair da NHA em 1917. Eu sem julgamento, o juiz Falconbridge alegou que uma obrigação de seguro posta pelo 228.º nunca poderia ter sido executada, e que eles recebiam ordens de além-mar sem nenhuma responsabilidade por seus erros, além de não haver status legal do time, que havia jogado sob a franquia do não-operante Ontario Hockey Club.[7]

Perda do processo contra o Ottawa[editar | editar código-fonte]

Um julgamento ocorreu contra Livingstone em 20 de novembro de 1918. Livingstone reivindicava que o Ottawa havia interferido no bom andamento da NHA quando a liga suspendeu o clube de Toronto em fevereiro de 1917. Os juiz julgou que a NHA operou conforme sua constituição, já que nenhuma regra sobre como operar com menos de seis times foi escrita.[8]

Tentiva de arrendar o Montreal Jubilee Rink[editar | editar código-fonte]

Com planos de desenvolvimento conjunto, Livingstone entrou em um acordo com os donos do Jubilee Rink para alugá-lo para hóquei. O administrador e arrendatário do Jubilee Rink, Albert Allard, assinou o contrato contra os desejos do dono do Jubilee Rink, a Jubilee Rink Company. Quando a Rink Company demitiu Allard e terminou seus planos, o Rink foi fechado por segurança, deixando os donos sem permissão para entrar. Uma ação legal foi julgada em 16 de dezembro, quando Lucien Riopel ganhou um julgamento na corte expulsando Allard.[9]

Tentativa de relançar a NHA[editar | editar código-fonte]

Em dezembro de 1918, Livingstone e Quinn organizaram um encontro da antiga NHA, tentando forçar a NHA a recomeçar, baseados nos três votos de Quinn e Livingstone e em uma tentativa de desautorizar o voto dos Canadiens. Apesar de Calder chamar o encontro de "ilegal", Ottawa, Canadiens e Wanderers participaram. Todavia, a tentativa se provou fútil já que discussões acaloradas emergiram entre o lado de Livingstone e os outros donos.[10] Após o encontro, Livingstone e Quinn afirmaram que controlavam a NHA. Eles afirmaram que os jogadores seriam propriedade da NHA e disseram que todos os jogadores que disputaram a temporada anterior "a leste de Port Arthur" tinham de se dirigir à NHA. Calder agora ordenou todos os times a pagarem duzentos dólares em dívidas legais. Separadamente, os donos de Montreal e Ottawa na NHA se encontraram e pagaram as taxas devidas à NHA e Calder multou "Torontos", "Ontarios" e Quebec em mais duzentos dólares.[11] Calder agora publicamente prometeu registrar uma queixa na corte para "varrer" a organização da NHA. Quando a NHL decidiu continuar os campeonatos, Livingstone e Quinn ameaçaram medidas para parar a NHL de operar. Todavia, as ameaças não tiveram seguimento, e a temporada da NHL começou conforme o calendário.

Principais mudanças de regra[editar | editar código-fonte]

  • Para faltas menores (penalidades), substituições não eram permitidas até que o jogador tivesse cumprido três minutos. Para faltas maiores, nenhum substituto era permitido por cinco minutos. Para faltas na partida, nenhuma substituição era permitida para quem ficasse no jogo.
  • Duas linhas foram adicionadas ao gelo, pintadas a vinte pés do centro, criando três zonas de jogo. Passe ofensivo e chutes do disco eram permitidos na zona neutra média.
  • A NHL adotou o disco "Art Ross" em vez do "Spalding".[11]

Pandemia da Gripe Espanhola[editar | editar código-fonte]

A primeira morte no hóquei causada pela Gripe Espanhola foi do jogador do Ottawa Hamby Shore, em outubro de 1918.

Temporada regular[editar | editar código-fonte]

Era previsto que o fim da Primeira Guerra Mundial liberaria muitos veteranos para seus antigos clube, mas muito poucos foram desmobilizados em tempo para fazê-lo. A temporada regular procedeu com três times e um calendário de vinte jogos. Todavia, a segunda metade da temporada foi reduzida para oito jogos quando os Arenas, jogando muito mal e com receitas muito baixas, anunciaram após sete jogos que não poderiam continuar. Calder persuadiu Vearncombe a jogar o 18.º jogo, e a temporada da NHL terminou com dezoito jogos. O Arena HC desistiu da liga em 20 de fevereiro de 1919 por conta de dificuldades financeiras.

Deixada com apenas dois times, a liga teve sua primeira série melhor-de-sete para determinar quem enfrentaria o campeão da Pacific Coast Hockey Association pela Copa Stanley.

Classificação final[editar | editar código-fonte]

Primeira Metade
PJ V D E Pts GP GC
Montreal Canadiens 10 7 3 0 14 57 50
Ottawa Senators 10 5 5 0 10 39 39
Toronto Arenas 10 3 7 0 6 42 49
Segunda Metade
PJ V D E Pts GP GC
Ottawa Senators 8 7 1 0 14 32 14
Montreal Canadiens 8 3 5 0 6 31 28
Toronto Arenas 8 2 6 0 4 22 43

[12] Nota: PJ = Partidas Jogadas, V = Vitórias, D = Derrotas, E = Empates, Pts = Pontos, GP = Gols Pró, GC = Gols Contra
Times que se classificaram aos play-offs estão destacados em negrito.

Artilheiros[editar | editar código-fonte]

PJ = Partidas Jogadas, G = Gols, A = Assistências, Pts = Pontos, PEM = Penalidades em Minutos

Jogador Time PJ G A Pts PEM
Newsy Lalonde Montreal Canadiens 17 22 10 32 40
Odie Cleghorn Montreal Canadiens 17 22 6 28 22
Frank Nighbor Ottawa Senators 18 19 9 28 27
Cy Denneny Ottawa Senators 18 18 4 22 58
Didier Pitre Montreal Canadiens 17 14 5 19 12
Alf Skinner Toronto Arenas 17 12 4 16 26
Harry Cameron Toronto Arenas / Ottawa Senators 14 11 3 14 35
Jack Darragh Ottawa Senators 14 11 3 14 33
Ken Randall Toronto Arenas 15 8 6 14 27
Sprague Cleghorn Ottawa Senators 18 7 6 13 27

Goleiros líderes[editar | editar código-fonte]

PJ = Partidas Jogadas, V = Vitórias, D = Derrotas, E = Empates, TNG = Tempo no Gelo (minutos), GC = Gols Contra, P = Penalidades, MGC = Média de gols contra

Jogador Time PJ V D E TNG GC P MGC
Clint Benedict Ottawa Senators 18 12 6 0 1152 53 2 2.76
Georges Vézina Montreal Canadiens 18 10 8 0 1117 78 1 4.19
Bert Lindsay Toronto Arenas 16 5 11 0 998 83 0 4.99

Playoffs[editar | editar código-fonte]

Todas as datas em 1919

Com a NHL reduzida a dois times e com dezoito jogos em vez dos vinte previstos, uma decisão foi feita de ter os dois times — coincidentemente os dois times liderando cada metade da temporada — competindo em uma série melhor-de-sete para ver que time iria para o Oeste para batalhar contra o campeão da Pacific Coast Hockey Association. Com a estrela do Ottawa Frank Nighbor perdendo a maioria da série devido a problemas familiares, o Montreal venceu a série por quatro jogos a um e enfrentou o Seattle Metropolitans pela Copa.

Com a série empatada após cinco jogos (com um empate), o sexto foi marcado para 1 de abril de 1919, quando a epidemia da Gripe Espanhola forçou o cancelamento da série. Vários jogadores de ambos os times ficaram doentes, e esta doença iria eventualmente tirar a vida do atacante dos Canadiens Joe Hall cinco dias depois. O administrador dos Canadiens, George Kennedy, nunca se recuperaria completamente. Essa foi a única vez na história em que a Copa Stanley não foi entregue após o início dos playoffs.

Campeonato da NHL[editar | editar código-fonte]

Montreal Canadiens vs. Ottawa Senators

Data Visitante Placar Mandante Placar Notas
22 de fevereiro Ottawa Senators 4 Montreal Canadiens 8
27 de fevereiro Ottawa Senators 3 Montreal Canadiens 5
1 de março Montreal Canadiens 5 Ottawa Senators 3
3 de março Montreal Canadiens 3 Ottawa Senators 6
6 de março Ottawa Senators 2 Montreal Canadiens 4

Montreal venceu a série melhor de sete por quatro jogos a um para ganhar a Copa O'Brien

Final da Copa Stanley[editar | editar código-fonte]

Montreal Canadiens vs. Seattle Metropolitans

Data Visitante Placar Mandante Placar Notas
19 de março Montreal Canadiens 0 Seattle Metropolitans 7
22 de março Seattle Metropolitans 2 Montreal Canadiens 4
24 de março Montreal Canadiens 2 Seattle Metropolitans 7
26 de março Seattle Metropolitans 0 Montreal Canadiens 0 20:00 OT
30 de março Montreal Canadiens 4 Seattle Metropolitans 3 15:57 OT

A série terminou com 2-2-1 e nenhum campeão foi premiado – os playoffs foram encurtados devido à Gripe Espanhola.

Artilheiros dos playoffs da NHL[editar | editar código-fonte]

PJ = Partidas Jogadas, G = Gols, A = Assistências, Pts = Pontos,

Jogador Time PJ G A Pts
Newsy Lalonde Montreal Canadiens 10 17 1 18

Estreias[editar | editar código-fonte]

Esta é uma lista de jogadores importantes que jogaram seu primeiro jogo na NHL em 1918–19 (listados com seu primeiro time, asterisco(*) marca estreia nos playoffs):

Últimos jogos[editar | editar código-fonte]

Esta é uma lista de jogadores importantes que jogaram seu último jogo na NHL em 1918-19 (listados com seu último time):

Referências

  1. "Hockey Moguls Marking Time", The Globe, September 30, 1918, p. 11.
  2. "Pro Hockey in Courts Again", The Globe, October 2, 1918, p. 11.
  3. a b "Querrie Tells Arena's Plans", The Globe, October 4, 1918, p. 11.
  4. a b "Some Job", The Globe, October 1, 1918, p. 12.
  5. "No Armistice in this War", The Globe, November 12, 1918, p. 12.
  6. "The NHL Has The Best of It", The Globe, November 21, 1918, p. 10.
  7. "Dismisses Action to Recover Bond", The Globe, October 10, 1918, p. 10.
  8. "Torontos Beaten In Their Appeal", The Globe, November 21, 1918, p. 10.
  9. "Riopel and Allard May Join Hands", The Toronto Daily Star, December 16, 1918, p. 26.
  10. "Meeting Ends in Burlesque", The Globe, December 12, 1918, p. 11.
  11. a b "Claims Quinn Wants to Get Into the NHA", The Toronto Daily Star, December 17, 1918, p. 22.
  12. Standings: NHL Public Relations Department. In: Dave McCarthy et al. THE NATIONAL HOCKEY LEAGUE Official Guide & Record Book/2009. [S.l.]: National Hockey League, 2008. p. 145. ISBN 978-1-894801-14-0

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Holzman, Morey; Joseph Nieforth. Deceptions and doublecross : how the NHL conquered hockey. Toronto, ON, Canada: Dundurn Press, 2002. ISBN 1–55002–413–2
  • 1918–19 National Hockey League [NHL] hockeydb.com. Página visitada em 2008–08–29.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Precedido por
1917-18
Anexo:Lista de temporadas da NHL
1918-19
Sucedido por
1919-20