Boston Bruins

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes fiáveis e independentes. (desde setembro de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde junho de 2009).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Boston Bruins
[[Imagem:{{{logo}}}|center|200px]]
Conferência Leste
Divisão Nordeste
Fundado 1924 (90 anos)
História Boston Bruins

1924 - presente

Arena TD Banknorth Garden
Cidade Boston
 Massachusetts
 Estados Unidos
Cores do time Preto e dourado
Gerente geral Canadá Peter Chiarelli
Técnico Canadá Claude Julien
Capitão Eslováquia Zdeno Chara
Afiliados nas ligas de baixo Providence Bruins (AHL)

Johnstown Chiefs (ECHL)

Copas Stanley 1928-29, 1938-39, 1940-41, 1969-70, 1971-72, 2010-11
Títulos de conferência 1987-88, 1989-90, 2010-11, 2012-13
Títulos de divisão 1927-28, 1928-29, 1929-30, 1930-31, 1932-33, 1934-35, 1937-38, 1970-71, 1971-72, 1973-74, 1976-77, 1976-77, 1977-78, 1978-79, 1982-83, 1983-84, 1989-90, 1990-91, 1992-93, 2001-02, 2003-04, 2010-11, 2013-14


O Boston Bruins é um time de hóquei no gelo que disputa a NHL, sediado em Boston, Massachusetts. Fundado em 1924, foi o primeiro time dos Estados Unidos a se unir à NHL, bem como o primeiro a vencer a Copa Stanley, em 1928. Suas seis conquistas da NHL tornam o Bruins o segundo time estadounidense com mais conquistas da NHL, atrás de outro dos "Seis Originais", o Detroit Red Wings. Desde 1995 joga no TD Banknorth Garden, substituindo o Boston Garden, onde o time jogava desde 1928. Historicamente, os Bruins possuem a maior rivalidade com o Montreal Canadiens, tendo o recorde de trinta confrontos com o rival nos playoffs.

História[editar | editar código-fonte]

O hóquei chega a Boston[editar | editar código-fonte]

Em 1923, após insistentes investidas de Charles Adams, grande magnata da época, a NHL decidiu expandir-se aos EUA. Adams simplesmente apaixonou-se pelo esporte, enquanto assistia pessoalmente à final da Copa Stanley entre Montreal Canadiens (campeão da NHL) e Calgary Tigers (campeão da WCHL). Ele conseguiu persuadir os dirigentes da NHL a trazer uma franquia a Boston, tendo isso ocorrido em 1.º de novembro de 1924. O presidente do time que Adams contratou, Art Ross, ficou com a responsabilidade de bolar o nome do time, que deveria ser caracterizado por um animal com notória rapidez, agilidade e astúcia. Ross então pegou o termo arcaico para o urso-pardo, "Bruin" (derivado do holandês para marrom). As cores do time, marrom e amarelo, vieram da cadeia de lojas de verduras de Ross.

Estreia na NHL[editar | editar código-fonte]

Em 1 de dezembro de 1924, os Bruins entraram no gelo para seu primeiro jogo na NHL, contra os Maroons, jogando no velho Boston Garden e ganhando por 2 a 1. Na época o time conseguiu campanha de apenas 6-24-0, ficando em último lugar. O Boston ainda jogaria no velho Boston Garden mais três temporadas até a ascensão do novo Boston Garden, que duraria até 1995. O velho Boston Garden ficou com a Northeastern University, que mudou seu nome para Matthews Arena.

Na sua terceira temporada, 1926–27, o time começou a despontar. Ross, tomando vantagem do colapso da Western Hockey League (WHL), trouxe diversas estrelas ao time, incluindo a primeira grande estrela do Bruins, o zagueiro originário de Fort Qu'Appelle (Saskatchewan) Eddie Shore. Os Bruins conseguiriam alcançar as finais da Copa Stanley, mas perderam para os Senators. Em 1929 os Bruins levaram a sua primeira Copa após ganhar do New York Rangers. Os Bruins possuíam na época Shore, Harry Oliver, Dit Clapper, Dutch Gainor e o goleiro Tiny Thompson. A temporada 1928-29 foi a primeira jogada no então novo Boston Garden, construído com o investimento de Adams e de patrocinadores. Na temporada seguinte, 1929–30, os Bruins conseguiram a sua melhor temporada regular de todas, ganhando 38 de 44 jogos, mas acabariam perdendo nas finais.

Década de 1930[editar | editar código-fonte]

Os anos 1930 foram marcados por Shore, Thompson, Clapper, Babe Siebert e Cooney Weiland. O time liderou a liga cinco vezes nessa década. Em 1939 houve a mudança nas cores do uniforme do time, saindo de marrom e amarelo para os atuais preto e amarelo, conquistando ainda nesse ano a sua segunda Copa Stanley. Thompson foi trocado por um goleiro novato de nome Frank Brimsek. Este foi espetacular, tendo ganho os troféus Vezina e Calder, tornando-se o primeiro novato nomeado para a seleção honorária da liga, levando o então apelido de "Mr. Zero". Em 1940 Shore foi trocado para o péssimo New York Americans, em sua última temporada como time da NHL. Em 1941 os Bruins ganharam sua terceira Copa Stanley, tendo o time perdido apenas oito jogos e terminado em primeiro na temporada regular.

Essa seria sua última Copa durante 29 anos.

A era dos Seis Originais[editar | editar código-fonte]

A Segunda Guerra Mundial afetou os Bruins mais do que qualquer outro time: Brimsek e "Krauts" saíram após a vitória da Copa Stanley em 1941 para servir ao exército na guerra, prejudicando a continuação de seus mais produtivos anos. Cowley, Clapper e Busher Jackson foram as estrelas que sobraram no time.

Em 1943 a NHL foi reduzida para seis times, os chamados "Seis Originais". Nesse período houve uma escassez de grandes estrelas. As estrelas retornariam à liga em 1945–46, e Clapper lideraria o Bruins na conquista de mais uma Copa Stanley. Clapper aposentou-se como jogador após a temporada posterior ao título, tornando-se o primeiro jogador na história a jogar vinte temporadas na NHL. Ele ainda tornar-se-ia técnico dos Bruins por dois anos.

Com o fim da Segunda Guerra Mundial, Brimsek não voltou tão bom quanto era antes de ir para a guerra. Depois de 1946 os Bruins perderam por três anos seguidos na primeira fase dos playoffs, o que levou à demissão de Clapper, ex-jogador e até então o técnico do time. Brimsek foi trocado para o último colocado, Chicago Black Hawks, em 1949. O único jovem jogador com qualidade que ainda ficou nos Bruins na época foi Johnny Peirson, que se tornaria, nos anos 1970, um dos comentaristas do time na TV. Durante a temporada de 1948–49 o uniforme dos Bruins passou a contar com o número 24 do lado esquerdo do B e 49 do lado direito. "24" por ser a primeira temporada dos Bruins na NHL e "49" a atual temporada que o time disputava. Outro apelido que o time levaria na época seria "The Hub".

Os anos 1950 iniciaram-se com o filho de Charles Adams, Weston (que era presidente do time desde 1936), encarando sérios problemas financeiros. Weston foi forçado a aceitar a oferta de Walter A. Brown, comprador do Boston Celtics, da liga de bola ao cesto, e do Garden, em 1951. Apesar de períodos de altos e baixos, os Bruins conseguiram entre 1947 e 1967 ganhar apenas quatro temporadas regulares. Eles perderam oito anos consecutivos nos playoffs entre 1960 e 1967.

Os Bruins assinariam em 1962 contrato com oganhador da medalha de ouro dos Jogos Olímpicos de Inverno pela seleção americana, Tommy Williams. Nessa época ele seria o único americano jogando na NHL. A "Uke Line" — composta por jogadores ucranianos e descendentes — foi formada por Johnny Bucyk, Vic Stasiuk e Bronco Horvath. Eles foram a Boston e realizaram quatro produtivas temporadas.

Em 18 de janeiro de 1958 o primeiro negro a jogar pela NHL entrou no gelo defendendo o Boston Bruins. Willie O'Ree era um ponta-esquerda originário de Fredericton, New Brunswick. Ele jogaria 45 partidas pelos Bruins nas temporadas de 1957–58 e 1960–61, marcando seis gols e dez assistências em sua carreira.

Expansão da liga e ascensão dos "Big Bad Bruins"[editar | editar código-fonte]

Weston Adams readquiriu os Bruins em 1964, após a morte de Walker A. Brown. Com o objetivo de reconstruir a franquia, Adams assinou contrato com um zagueiro de Parry Sound, Ontário, chamado Bobby Orr, que entrou na liga em 1966 e se tornou, aos olhos de muitos, o maior jogador de todos os tempos. Nessa mesma temporada ele seria o ganhador do Troféu Memorial Calder como novato do ano e nomeado para a seleção honorária da liga.

Os Bruins obtiveram ainda jovens atacantes como Phil Esposito, Ken Hodge e Fred Stanfield do Chicago em uma negociação em que o único beneficiário foi o time de Boston. Hodge e Stanfield tornaram-se elementos chaves para o sucesso dos Bruins, e Esposito, que se tornou o central da linha de Hodge e Wayne Cashman, tornou-se o principal goleador da liga e o primeiro a quebrar a marca de cem pontos em uma temporada. Esposito é um dos quatro jogadores a conseguir ganhar o Troféu Art Ross quatro vezes consecutivas (os outros três são Jaromir Jagr, Wayne Gretzky e Gordie Howe). Com outras estrelas, como os atacantes Bucyk, John McKenzie, Derek Sanderson e Hodge, e os defensivos Dallas Smith e o goleiro Gerry Cheevers, os "Big Bad Bruins" tornaram-se um dos principais times do final dos anos 1960 ao final dos anos 1970.

A volta da Copa Stanley[editar | editar código-fonte]

Bobby Orr ganhou a Copa Stanley duas vezes com os Bruins, e é considerado o melhor jogador da história da equipe.

Em um ataque dos Bruins em que Orr foi deslocado por Noel Picard, ainda voando — mas antes da queda — estendeu seus braços ao ar após o gol da vitória, marcado na prorrogação, que deu a Copa Stanley ao Boston em 1970. Após 29 anos a Copa finalmente retornaria a Boston, tendo os Bruins derrotado o St. Louis Blues em quatro jogos nas finais. Essa mesma temporada foi marcada pela quantidade de prêmios que Orr ganhou: foi a terceira de oito consecutivas em que ele ganharia o Troféu Memorial James Norris como melhor zagueiro da NHL. Eleainda ficou com os troféus Art Ross, Conn Smythe e Memorial Hart, sendo ele o único jogador da NHL a ter ganho todos esses prêmios em uma única temporada.

A temporada de 1970–71 foi uma das melhores do Boston na década de 1970. Sinden aposentou-se por motivos pessoais, dando lugar ao defensivo Tom Johnson. Os Bruins quebraram recordes, com sete jogadores entre os dez maiores pontuadores da liga, o recorde de vitórias em uma temporada e quatro jogadores com mais de 100 pontos (Orr, Esposito, Bucyk e Hodge). Esses quatro seriam ainda eleitos para a seleção honorária da liga naquele ano. Apesar disso, os Bruins perderam nas finais.

O Boston não desistiu de estabelecer a liderança na outra temporada. Esposito e Orr de novo figuraram entre os artilheiros da liga, seguidos por Bucyk em nono. A Copa Stanley então voltaria a Boston após a vitória sobre os Rangers em seis jogos nas finais. Essa seria a última Stanley Cup que o time ganhou até a temporada 2010-11. O Boston ainda perderia as finais da Copa em 1974, para os Flyers, com a ausência de várias estrelas no time, como Cheevers, McKenzie e Sanderson, que foram jogar na hoje extinta WHA.

Em 1974–75 desembarcou em Boston o polêmico Don Cherry, como técnico dos Bruins. Sob o comando de Cherry, os Bruins continuaram sendo a potência da época, tendo adicionado ao elenco jogadores como Gregg Sheppard, Terry O'Reilly, Stan Jonathan e Peter McNab. Orr deixou os Bruins para ir aos Hawks em 1976 e aposentou-se prematuramente em 1979, após várias cirurgias na perna. Os Bruins trocaram Esposito e Carol Vadnais com os Rangers por Brad Park, Jean Ratelle e Joe Zanussi. O Boston chegaria às semifinais de novo, perdendo novamente para o Flyers.

Em 1976 Cheevers retornou à WHA, e os Bruins passaram pelos Flyers nas semifinais, perdendo as finais para os Canadiens. A história se repetiria em 1978 — com um ataque balanceado o time teve onze jogadores com mais de vinte gols, sendo ainda recorde na NHL. Na temporada seguinte os Bruins chegariam de novo às finais e perderia mais uma vez para os Canadiens. Deois dessa temporada houve a despedida de Bucyk do gelo, tendo sido ele um marco na história do time. A semifinal de 1979 contra os Habs foi a última de Don Cherry como treinador dos Bruins. O Boston perderia o jogo 7 na prorrogação.

No Madison Square Garden, após partida contra os Rangers, em 23 de dezembro de 1979, um torcedor dos Rangers começou a agredir com tacos de madeira Stan Jonathan. Imediatamente Terry O'Reilly, conhecido por seu temperamento forte e por ser um exímio lutador, junto com os demais jogadores dos Bruins, partiu para cima dos torcedores envolvidos. O'Reilly, futuro capitão dos Bruins, recebeu oito jogos de suspensão pelo incidente. Houve nessa década ainda a ascensão de Ray Bourque no gelo de Boston. Ele defenderia o time por duas décadas.

Os anos 1980 e 1990[editar | editar código-fonte]

Ray Bourque ficou 29 anos em Boston e liderou o time a duas finais.

Após a demissão de Cherry, assumiu Fred Creighton, que seria mais tarde substituído pelo ex-goleiro Cheevers. Os Bruins chegariam aos playoffs todos os anos da década de 1980, tendo no elenco estrelas como Park, Bourque e Rick Middleton. O time ainda teve a melhor campanha da liga em 1983. Nesse ano o goleiro Pete Peeters levaria o Troféu Vezina, apesar de uma particiapção muito fraca nos playoffs. No final dos anos 1980 Bourque, Cam Neely, Keith Crowder e Bob Sweeney liderariam o Bruins para mais uma final de Copa, em 1988, contra o Edmonton Oilers, com vitória canadense. A série foi marcada por um acontecimento curioso: um estranho blecaute tomou o estádio no jogo 4 — os fusíveis teriam estourado. A partida estava empatada em 3 a 3 e foi remarcada a continuação dela em Edmonton, tendo o Oilers ganhado e levantado a Copa.

Em 1990 Boston retornou às finais com Neely, Bourque, Craig Janney, Bobby Carpenter, o novato Don Sweeney e o goleiro Andy Moog, mas novamente perderia para o Oilers. Em 1988, 1990, 1992 e 1994 os Bruins varreram os Canadiens nos playoffs, aumentando ainda mais a rivalidade entre ambos. Em 1991 e 1992 os Bruins perderam duas finais de conferências seguidas para o eventual campeão da Copa Stanley Pittsburgh Penguins, liderado por Mario Lemieux. Desde a temporada de 1993 o Boston não consegue passar da segunda fase dos playoffs, apesar de talentos do time como Adam Oates, Rick Tocchet e Jozef Stumpel.

A temporada de 1993 foi decepcionante por várias razões. Apesar de o time ter tido a segunda melhor campanha na temporada regular, ficando abaixo apenas do Pittsburgh, o time foi varrido na primeira fase dos playoffs pelo Buffalo Sabres. Após o fim dessa temporada o time levou vários prêmios: Bourque pegou o Norris, Oates ficou com o Art Ross e o Troféu Lady Byng, Joe Juneau (que quebrou o recorde da NHL de assistências em uma temporada feita por um ponta-esquerda, recorde que ele até hoje mantém) pegou o Troféu Memorial Calder, Dave Poulin ficou com o Troféu Frank J. Selke, Moog com o Troféu William M. Jennings e Brian Sutter com o Troféu Jack Adams. Bourque seria ainda nomeado para a seleção honorária e Juneau, para a seleção honorária novata.

Em 1997 o Boston não foi aos playoffs pela primeira vez em trinta anos, tendo o time o recorde norte-americano de mais temporadas consecutivas indo aos playoffs. A temporada de 1994-95 seria a última jogada no Boston Garden. O último jogo lá foi em 28 de setembro de 1995, um amistoso contra os Canadiens. O time foi para a arena nova, na época conhecida como FleetCenter e agora conhecida como TD Banknorth Garden.

Na temporada de 1999-2000, com os Bruins tendo uma má temporada e prestes a não se classificar para os playoffs, Bourque pediu para a direção da equipe trocá-lo, garantindo uma última chance para ganhar a Copa Stanley. O presidente Harry Sinden mandou-o, junto com Dave Andreychuk, para o Colorado Avalanche, em troca de Brian Rolston, Martin Grenier, Sammy Pahlsson e uma escolha no recrutamento. Bourque eventualmente conseguiria seu único título no Avalanche em 2001.

Queda de rendimento nos anos 2000[editar | editar código-fonte]

Após campanha de 3-4-1, os Bruins demitiram o então técnico Pat Burns e contrataram Mike Keenan para o resto da temporada. Em 2000-01 os Bruins ficariam fora dos playoffs por apenas um ponto. O goelador do time na época foi Jason Allison. Na temporada seguinte os Bruins ganharam o primeiro título da divisão desde 1993, tendo em seu elenco jogadores como Joe Thornton, Sergei Samsonov, Brian Rolston, Bill Guerin, Mike Knuble e a recente aquisição Glen Murray. Mas o time perderia nos playoffs para os arquirrivais Canadiens na primeira fase.

Na temporada de 2002–03 houve uma disputa intensa pela titularidade no gol do Bruins, entre Steve Shields e John Grahame, durando até o fim da temporada. No meio da temporada, os Bruins trouxeram ao elenco Jeff Hackett e demitiram o então técnico Robbie Ftorek, tendo o gerente geral da época, Mike O'Connell, se autointitulado técnico do time. Os Bruins chegariam em sétimo no Leste para disputar os playoffs e perderiam para os eventuais campeões Devils em cinco jogos.

Em 2003–04 os Bruins iniciaram a temporada com o ex-goleiro do Leafs Felix Potvin. Perto do fim da temporada haveria a ascensão do goleiro novato Andrew Raycroft, que ganharia o Troféu Memorial Calder naquela temporada. Os Bruins ganhariam ainda mais um título da divisão, mas acabariam perdendo para os Canadiens nos playoffs com uma virada depois de estar vencendo por 3 a 1 na série.

Na temporada de 2004–05 houve o locaute, e os Bruins tiveram muito espaço sob o teto salarial para investir na temporada de 2005–06. O GG Mike O'Connell evitou contratações de agentes livres, beneficiando velhos veteranos como Alexei Zhamnov e Brian Leetch. Em novembro uma bomba caiu em cima da torcida de Boston, com o anúnicio de uma surpreendente troca: Joe Thornton, ganhador dos troféus Art Ross e Hart, líder e capitão do time, foi trocado para o San Jose Sharks. Os Bruins receberiam em seu elenco Marco Sturm, Brad Stuart e Wayne Primeau. Após perder dez de onze jogos na temporada, após essa troca os Bruins deram a volta por cima, ganhando do então líder da tabela Ottawa Senators. Os Bruins na época estreavam em seu gol o jovem goleiro novato Hannu Toivonen, que obteve seu primeiro shutout na carreira. Porém, em janeiro Toivonen se contundiria, perdendo assim o resto da temporada. Assumiria as redes do Bruins Tim Thomas, que ajudaria o time a ganhar dezesseis jogos consecutivos, deixando-o com chances de chegar aos playoffs. Mas os Bruins caíram de rendimento, terminando a temporada em trigésimo lugar. O Boston ficou então de fora dos playoffs pela primeira vez em cinco anos, causando então a demissão do técnico e GG O'Connell.

Reconstrução e novo título[editar | editar código-fonte]

Por ter sido um dos últimos na temporada, os Bruins tiveram a oportunidade de ser um dos primeiros na escolha do recrutamento, tendo pego no sorteio a quinta posição na ordem de escolha. Os Bruins aproveitaram a chance contratando Phil Kessel, que saiu da Universidade de Minnesota para assinar contrato com os Bruins em 17 de agosto de 2006. Algumas mudanças ocorreram na mesma época:

  • Peter Chiarelli foi contratado como novo gerente geral do time.
  • Mike Sullivan foi demitido e Dave Lewis foi contratado como técnico.
  • Zdeno Chara, um dos mais cobiçados zagueiros da NHL, veio dos Senators.
  • Marc Savard, que tinha terminado a temporada 2005–06 com 97 pontos, jogando pelo Atlanta Trashers, assinaria longo contrato.
  • Patrice Bergeron teve seu contrato renovado em agosto de 2006, para um longo período também.

Com o fim da temporada de 2006–07 e o time no último lugar da divisão, os Bruins mandaram os defasados Brad Stuart e Wayne Primeau para o Calgary Flames. Em troca, receberam o zagueiro Andrew Ference e o atacante Chuck Kobasew. A temporada de 2007–08 terminou muito bem para os Bruins, que conseguiram garantir-se nos playoffs e ainda forçar até o jogo 7 contra os Canadiens. Mas nem tudo foi às mil maravilhas nessa temporada, tendo em vista a séria lesão de Bergeron.

Jovens estrelas surgiram no time, como Milan Lucic e David Krejci. Essa foi a temporada em que os dois mostraram seu potencial. Nas férias os Bruins perderiam Glen Metropolit para os Flyers, mas, para compensar, assinaram com Michael Ryder e Blake Wheeler, que tinha deixado o Minnesota Golden Gophers. Os Bruins ainda rescindiriam o contrato com Murray, que tivera sua pior temporada com o uniforme do Bruins, e Andrew Alberts foi enviado aos Flyers.

Barack Obama recebe os Bruins e a Copa Stanley em 2011.

A temporada de 2010-11 viu ressurgir os Bruins, que tiveram boas campanhas em temporadas regulares anterior, mas fracassaram nos playoffs. Naquela temporada, o time venceu sua divisão e classificou-se para a pós-temporada em terceiro lugar no Leste. Após bater Canadiens, Flyers e Lightning, os Bruins chegaram à final, onde venceram o Vancouver Canucks em sete partidas e conquistaram a Copa Stanley pela primeira vez em 39 anos.

Na temporada 2011-12, os Bruins voltaram a ter bons desempenhos e fecharam em segundo lugar no Leste, mas, mesmo forçando um sétimo jogo na primeira rodada dos playoffs, acabaram perdendo para o Washington Capitals.

O time campeão do Leste em 2013.

Antes da temporada seguinte, que seria encurtada por um locaute e começaria só em janeiro de 2013, Thomas declarou que queria descanso do hóquei. Eventualmente, os Bruins enviaram-no para o Florida Panthers. Durante a temporada, trocas mandaram para Boston os veteranos Jaromír Jágr e Wade Redden. Mesmo perdendo o título da divisão na última rodada, boas atuações do goleiro Tuukka Rask e do capitão Chara levaram os Bruins de volta para as finais da Copa Stanley, derrotando os Maple Leafs — que chegaram a liderar a série e o jogo 7 —, na primeira rodada, os Rangers, na segunda, e, nas finais do Leste, os Penguins, que, apesar de terem fechado a temporada regular como melhor time da conferência, foram varridos em quatro jogos. Nas finais, os Bruins perderam por 4 a 2 para o Chicago Blackhawks.

Dados[editar | editar código-fonte]

Fundação: 1924
Títulos da Copa Stanley: 6 — 1928-29, 1938-39, 1940-41, 1969-70, 1971-72, 2010-11
Vice-campeonatos: 13 — 1926-27, 1929-30, 1942-43, 1945-46, 1952-53, 1956-57, 1957-58, 1973-74, 1976-77, 1977-78, 1987-88, 1989-90, 2012-13
Títulos da Conferência Leste: 4 — 1987-88, 1989-90, 2010-11, 2012-13
Títulos de Divisão: 25 - 1927-28, 1928-29, 1929-30, 1930-31, 1932-33, 1934-35, 1937-38, 1970-71, 1971-72, 1973-74, 1975-76, 1976-77, 1977-78, 1978-79, 1982-83, 1983-84, 1989-90, 1990-91, 1992-93, 2003-04, 2008-09, 2010-11, 2011-12, 2013-14
Estádios: TD Banknorth Garden; Conhecida como Fleet Center até 2005.
Ex-estádios: Boston Arena (1924-1927); Boston Garden (1928-1995)
Rivais: Montreal Canadiens, Toronto Maple Leafs, Ottawa Senators, New York Rangers, Buffalo Sabres

Jogadores[editar | editar código-fonte]

Elenco atual[editar | editar código-fonte]

Dados de 31 de julho, da temporada de 2013-14 [1]

Goleiros
Número Nome Luva Adquirido Local de Nascimento
30 Canadá Chad Johnson E 2013 Calgary, Alberta
40 Finlândia Tuukka Rask E 2006 Savonlinna, Finlândia
Defensores
Número Nome Tacada Adquirido Local de Nascimento
33 Eslováquia Zdeno Chara - Capitão E 2006 Trencin, Checoslováquia
55 Canadá Johnny Boychuk D 2008 Edmonton, Alberta
43 Estados Unidos Matt Bartkowski E 2010 Pittsburgh, Pensilvânia
47 Estados Unidos Torey Krug E 2012 Livonia, Michigan
27 Canadá Dougie Hamilton D 2011 Toronto, Ontario
54 Canadá Adam McQuaid E 2007 Charlottetown, Prince Edward Island
56 Estados Unidos Kevan Miller D 2011 Los Angeles, Califórnia
44 Alemanha Dennis Seidenberg E 2010 Schwenningen, Alemanha
Atacantes
Número Nome Tacada Posição Adquirido Local de Nascimento
11 Canadá Gregory Campbell E C 2010 London, Ontário
17 Canadá Milan Lucic E LW 2006 Vancouver, Colúmbia Britânica
23 Canadá Chris Kelly - A E C 2011 Toronto, Ontário
63 Canadá Brad Marchand E LW 2006 Halifax, Nova Scotia
46 República Checa David Krejčí - A D C 2004 Sternberk, República Tcheca
20 Canadá Daniel Paille E LW 2009 Welland, Ontário
38 Canadá Jordan Caron E RW 2009 Sayabec, Quebec
12 Canadá Jarome Iginla D RW 2013 Edmonton, Alberta
18 Canadá Reilly Smith E RW 2013 Toronto, Ontário
22 Canadá Shawn Thornton D RW 2007 Oshawa, Ontario
34 Suécia Carl Soderberg E C 2013 Malmö, Suécia
21 Suécia Loui Eriksson E RW 2013 Gotemburgo, Suécia
37 Canadá Patrice Bergeron - A D C/RW 2003 L'Ancienne-Lorette, Quebec
91 Canadá Marc Savard E C 2006 Ottawa, Ontario

Números aposentados[editar | editar código-fonte]

No. Jogador Posição Carreira Aposentadoria
2 Eddie Shore D 1926–40 1947
3 Lionel Hitchman 1 D] 1925–34 1934
4 Bobby Orr D 1966–76 1979
5 Aubrey "Dit" Clapper LW, D 1927–47 1947
7 Phil Esposito C 1967–75 1987
8 Cam Neely RW 1986–96 2004
9 Johnny Bucyk LW 1957–78 March 13, 1980
15 Milt Schmidt C 1936–55 1980
24 Terry O'Reilly RW 1972–85 2002
77 Ray Bourque D 1979–2000 2001
99 2 Wayne Gretzky C - 2000
Notas:
  • 1 Hitchman foi o primeiro profissional da história a ter seu número aposentado por um time.
  • 2 Gretzky nunca jogou pela franquia, a NHL retirou seu número 99 de circulação por todos os times.

Líderes em pontos da franquia[editar | editar código-fonte]

Esses são os dez maiores pontuadores da história do Boston Bruins. Os números são atualizados ao final de cada temporada da NHL.

Note: GP = Jogos, G = Gols, A = Assistências, Pts = Pontos

Player POS GP G A Pts
Raymond Bourque D 1518 395 1111 1506 .99
Johnny Bucyk LW 1436 545 794 1339 .93
Phil Esposito C 625 459 553 1012 1.63
Rick Middleton RW 881 402 496 898 1.02
Bobby Orr D 631 264 624 888 1.41
Wayne Cashman LW 1027 277 516 793 .77
Ken Hodge RW 652 289 385 674 1.03
Terry O'Reilly RW 891 204 402 606 .68
Cam Neely RW 525 344 246 590 1.12
Peter McNab C 595 263 324 587 .99
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Boston Bruins