Teoria Kaluza-Klein

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou se(c)ção não cita fontes fiáveis e independentes (desde dezembro de 2011). Por favor, adicione referências e insira-as no texto ou no rodapé, conforme o livro de estilo. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.

Em física, a teoria Kaluza-Klein é um modelo que procura unificar as forças fundamentais da gravitação e eletromagnetismo. A hipótese original foi apresentada por Theodor Kaluza, que remeteu seus resultados a Einstein em 1919,[1] e a teoria foi publicada pela primeira vez em 1921,[2] que estendeu a relatividade geral para um espaço-tempo a cinco dimensões. As equações resultantes podem ser separadas em conjuntos de equações, um desses conjuntos é equivalente as equações de campo de Einstein, outra equivalente as equações de Maxwell para o campo electromagnético e a parte final um campo escalar extra atualmente denominada de "radion" ou "dilaton". Atualmente, sabe-se que essa teoria está sendo usada para a elaboração de uma nova síntese teórica devido à suposição de uma nova partícula no modelo padrão.

A métrica penta-dimensional tem 15 componentes. 10 componentes são identificados com as a métrica espaço-tempo tetra-dimensional, 4 componentes com o vetor potencial eletromagnético, e um componente com um não identificado campo escalar algumas vezes chamado "radion" ou "dilaton".


Translation Latin Alphabet.svg
Este artigo ou secção está a ser traduzido. Ajude e colabore com a tradução.

Referências

  1. Pais, Abraham. Subtle is the Lord ...: The Science and the Life of Albert Einstein. Oxford: Oxford University Press, 1982. 329–330 pp.
  2. Kaluza, Theodor. (1921). "Zum Unitätsproblem in der Physik". Sitzungsber. Preuss. Akad. Wiss. Berlin. (Math. Phys.): 966–972.