Os Deuses Devem Estar Loucos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de The Gods Must Be Crazy)
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde abril de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
The Gods Must Be Crazy
Os deuses devem estar loucos (PT/BR)
1980 • cor • 109 min 
Direção Jamie Uys
Roteiro Jamie Uys
Elenco N!xau
Marius Weyers
Sandra Prinsloo
Género comédia
País Botswana / África do Sul
Idioma inglês
Página no IMDb (em inglês)

Os Deuses Devem Estar Loucos (The Gods Must Be Crazy, no original) é um filme que foi lançado em 1980, escrito e dirigido por Jamie Uys. Conta a história de Xixo, um bosquímano do Kalahari (protagonizado por N!xau, um fazendeiro Namibiano) cuja tribo não tinha contato ou conhecimento do mundo além desta.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Num certo dia, de um avião de passagem, o piloto joga fora uma garrafa de vidro de Coca-Cola e inicialmente esse artefato estranho parece ser um presente dos deuses, com muitos usos a serem descobertos. Mas na tribo, os conflitos foram aumentando, já que há somente um frasco para dividir entre todos da tribo. Então, decide-se que o frasco deve ser jogado fora do planeta. Xi se oferece para a tarefa, e enquanto viajava para cumpri-la, ele encontra membros da civilização ocidental pela primeira vez. O filme apresenta uma visão diferente da civilização vista por Xi.

Xi acidentalmente encontra um lugar chamado Janela dos Deuses e chamou a esta de Transvaal Oriental, África do Sul (hoje Mpumalanga), e atira a garrafa de lá. Aquela região está entre as escarpas das terras altas e terras baixas da África do Sul. Então Xi descobriu que havia uma camada contínua de nuvens que obscureciam a paisagem lá embaixo, dando uma ilusão e convencendo Xi de que era lá que ele devia jogar o frasco.

Sequência[editar | editar código-fonte]

Foi liberado ao público uma continuação do filme em 1989 The Gods Must Be Crazy II, no qual os dois filhos mais novos de Xixo encontram caçadores clandestinos no Kalahari e inocentemente viajam no caminhão dos malfeitores. Xixo então, para salvá-los, viaja grandes distâncias e novamente encontra diversas pessoas do mundo ocidental que estão procurando por seus próprios destinos.

Uma grande parcela da audiência dos ocidentais brancos achou o filme divertido, houve grande debate sobre a política racial mostrada no filme, pois Xixo é retratado como um nativo inocente, incapaz de entender o sentido da palavra Deus, o que é considerado por muitos como uma coisa muito ofensiva.

Houve três imitações baratas desse filme, filmadas em Cantonês, por cineastas de Hong Kong, que queriam fazer um dinheiro rápido e fácil:

  • Fei zhou he shang 非洲和尚,:UM MONGE BUDISTA AFRICANO (1991) (aproximadamente Safari Louco, Os vampiros devem estar loucos ou Os deuses devem estar loucos III)
  • Heonggong ya fungkwong (1993) (aproximadamente Hong Kong louca ou Xianggang ye feng kuang (香港也瘋狂, literalmente: E Hong Kong fica louca, título em mandarim))
  • Fei zhou chao ren (非洲超人, literalmente: Um Super-Homem africano) (1994) (aproximadamente Os deuses devem ser engraçados na China)

A intenção destes era a de serem puras comédias, e não são considerados de tão boa qualidade como os dois primeiros filmes.

}

Ícone de esboço Este artigo sobre um filme é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

wuláca tchicájk:botzuana master freze