Thurn e Taxis

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
O brasão de armas dos príncipes de Thurn und Taxis.

A casa principesca de Thurn e Taxis (Alemão: Das Fürstenhaus Thurn und Taxis) é uma família alemã que desempenhou um grande papel no serviço postal na Europa durante o século XVI, sendo hoje bastante conhecida por ser proprietária de cervejarias e construtora de inúmeros castelos.

História[editar | editar código-fonte]

No século XII, a família lombarda Tasso (que significa texugo) residia em Camerata Cornello, Bérgamo. O texugo (Dachs, em alemão) tornou-se o brasão de armas da família. Em 1624, tornaram-se condes (grafen). Por volta de 1500 eles mudaram seu sobrenome para Thurn (Torre) und Taxis, e o imperador alemão e rei da Espanha em 1650, finalmente deu sua permissão para isso.[1] Em 1695, a família recebeu seu título principesco de Leopoldo I.[2]

Um selo de correio da Thurn und Taxis (1852).

Ruggiano de Tassis fundou um serviço postal na Itália. Mais tarde, no dia 11 de dezembro de 1489, em Innsbruck, Janetto von Taxis foi apontado chefe-mestre dos Serviços Postais.[3] A família conservou essa exclusiva posição por séculos. Em 12 de novembro de 1516,[4] a família Taxis estabeleceu um serviço postal em Bruxelas, onde o grande armazém epônimo e o complexo de pátio de manobras está atualmente à exibição como um centro cultural. Este chegava a Roma, Nápoles, Espanha, Alemanha e França através de estafetas.

A companhia Thurn und Taxis duraria até 1794,[5] quando foi comprada pelo herdeiro ao trono espanhol.

O escritor Rainer Maria Rilke escreveu e dedicou As Elegias de Duíno enquanto visitava a princesa Marie de Thurn und Taxis, nascida princesa de Hohenlohe, no castelo de sua família em Duino-Aurisina em Janeiro de 1912.[6] Rilke, mais tarde, dedicaria sua obra Os Cadernos de Malte Laurids Brigge à princesa, que era sua patrona. Marie (1855-1934) era casada com Alexander Thurn und Taxis,[7] membro do ramo da família que, no século XIX, estabelecer-se-ia na Boêmia, hoje República Tcheca, tornando-se fortemente ligada à cultura nacional tcheca.

Muitos membros da família tornaram-se cavaleiros da Ordem Soberana e Militar de Malta.

O atual chefe da casa de Thurn und Taxis é S. A. S. Albert II, filho de Johannes e de sua esposa Gloria von Thurn und Taxis. A família é uma das mais ricas da Alemanha e tem residido, desde 1748, no Castelo de St. Emmeram, em Ratisbona. A cervejaria da família foi vendida para o Grupo Paulaner de Munique, em 1996; mas ainda produz cerveja sob a marca Thurn und Taxis.

Príncipes de Thurn and Taxis (1695-presente)[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Angelika Humann, Ing. Hans Joachim Lenz Stiftung. KulturForumWissen 2011, Volume 26 of Edition Erneuerung geistiger Werte KulturForum Wissen. [S.l.]: BoD, 2012. 33 pp. ISBN 393808829X.
  2. Whaley, Joachim. Germany and the Holy Roman Empire: Volume II: The Peace of Westphalia to the Dissolution of the Reich, 1648-1806. [S.l.]: Oxford University Press, 2011. 60 pp. ISBN 0199693072.
  3. (em alemão) Corradini, Richard. Veröffentlichungen des Instituts für Österreichische Geschichtsforschung, Volumes 33-34. [S.l.]: H. Böhlaus, 1997. 107 pp. ISSN 1012-5752
  4. Stamp Collectors Exchange Club. The Stamp-collector's magazine. [S.l.]: Oxford University, 1863. 7 pp.
  5. Akkerman, Nadine. The Correspondence of Elizabeth Stuart, Queen of Bohemia. [S.l.]: Oxford University Press, 2011. 1077 pp. ISBN 0199551081.
  6. Universidade de Lisboa. Runa : revista portuguesa de estudos germanisticos. [S.l.]: Grupo de Estudos Germanísticos da Faculdade de Letras de Lisbon, 1992. 134-136 pp. ISSN 0870-0672
  7. Pocknell, Pauline. Franz Liszt and Agnes Street-Klindworth: A Correspondence, 1854-1886. [S.l.]: Pendragon Press, 2000. 424 pp. ISBN 1576470067.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]