Alberto, 8.º Príncipe de Thurn e Taxis

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Alberto de Thurn e Taxis
8.º Príncipe de Thurn e Taxis
8.º Príncipe de Thurn e Taxis
Reinado 2 de junho de 1885
a 22 de janeiro de 1952
Predecessor Maximiliano Maria, 7.º Príncipe de Thurn e Taxis
Sucessor Francisco José, 9.º Príncipe de Thurn e Taxis
Nome completo
Alberto Maria José Maximiliano Lamoral
Casa Thurn e Taxis
Pai Maximiliano António de Thurn e Taxis
Mãe Helena Carolina da Baviera
Nascimento 8 de maio de 1867
Ratisbona, Reino da Baviera
Morte 22 de janeiro de 1952 (84 anos)
Ratisbona, Baviera, Alemanha
Enterro Gruftkapelle, Abadia de Santo Emerano, Ratisbona
Religião Católica

Alberto, 8.º Príncipe de Thurn e Taxis, ou Alberto Maria José Maximiliano Lamoral (Ratisbona, 8 de maio de 1867  — 22 de janeiro de 1952), foi o oitavo príncipe de Thurn e Taxis e chefe da família com o mesmo nome entre 2 de junho de 1885 e a sua morte a 22 de janeiro de 1952.

Família[editar | editar código-fonte]

Alberto era o filho mais novo do príncipe-herdeiro Maximiliano António de Thurn e Taxis e da sua esposa, a duquesa Helena Carolina da Baviera, irmã mais velha da imperatriz Isabel (Sissi) da Áustria. Inicialmente, era Helena quem estava destinada a casar-se com o imperador Francisco José I, mas este acabou por preferir a sua irmã mais nova.[1] O seu pai morreu quando ele tinha menos de dois meses de idade.

Maximiliano tinha duas irmãs mais velhas, a princesa Luísa de Thurn e Taxis, casada com o príncipe Frederico de Hohenzollern-Sigmaringen, e a princesa Isabel de Thurn e Taxis, casada com o duque Miguel de Bragança, e um irmão mais velho, Maximiliano Maria, 7.º Príncipe de Thurn e Taxis, casado com a arquiduquesa Margarida Clementina da Áustria.

Sucessão[editar | editar código-fonte]

Em 1871, morreu o avô de Alberto, Maximiliano Carlos, 6.º Príncipe de Thurn e Taxis, sendo sucedido pelo seu irmão mais velho, Maximiliano Maria, 7.º Príncipe de Thurn e Taxis. Maximiliano morreu a 2 de Junho de 1885 e Alberto sucedeu-o, tornando o oitavo príncipe de Thurn e Taxis. A sua mãe foi sua regente até Alberto completar vinte-e-um anos de idade em 1888. A 8 de Maio de 1889, o príncipe-regente Leopoldo da Baviera nomeou-o duque de Wörth e Donaustauf. A 30 de Novembro foi armado cavaleiro da Ordem do Tosão de Ouro, da Áustria.

Casamento e Descendência[editar | editar código-fonte]

A 15 de Julho de 1890, Alberto casou-se em Budapeste com a arquiduquesa Margarida Clementina da Áustria, filha do arquiduque José Carlos da Áustria. Alberto comprou a "Tiara Imperatriz Eugénia" como presente de casamento para a sua nova esposa; a tiara, criada por Gabriel Lemmonier em 1853, fazia parte das jóias da coroa francesa e actualmente encontra-se em exposição no Museu do Louvre, em Paris.[2]

Alberto e Margarida tiveram oito filhos:

  1. Francisco José, 9.º Príncipe de Thurn e Taxis (21 de Dezembro de 1893 - 13 de Julho de 1971), casado com a princesa Isabel Maria de Bragança, filha do duque Miguel de Bragança; com descendência.
  2. José Alberto de Thurn e Taxis (4 de Novembro de 1895 - 7 de Dezembro de 1895), morreu com um mês de idade.
  3. Carlos Augusto, 10.º Príncipe de Thurn e Taxis (23 de Julho de 1898 - 26 de Abril de 1982), casado com a princesa Maria Ana de Bragança, filha do duque Miguel de Bragança; com descendência.
  4. Luís Filipe de Thurn e Taxis (2 de Fevereiro de 1901 - 22 de Abril de 1933), casado com a princesa Isabel de Luxemburgo, filha do grão-duque Guilherme IV de Luxemburgo; com descendência.
  5. Max Emanuel de Thurn e Taxis (1 de Março de 1902 - 3 de Outubro de 1994), nunca se casou nem teve filhos.
  6. Isabel Helena de Thurn e Taxis (15 de Dezembro de 1903 - 22 de Outubro de 1976), casada com o marquês Frederico Cristiano de Meissen; com descendência.
  7. Rafael Ricardo de Thurn e Taxis (30 de Maio de 1906 - 8 de Junho de 1993), casado com a princesa Margarida de Thurn e Taxis, pai do príncipe Max Emanuel de Thurn e Taxis, actual herdeiro presumível de Thurn e Taxis.
  8. Filipe Ernesto de Thurn e Taxis (7 de Maio de 1908 - 23 de Julho de 1964), casado com a princesa Eulália de Thurn e Taxis; com descendência.

Morte[editar | editar código-fonte]

Alberto morreu em Ratisbona, onde se encontra enterrado junto da esposa na capela da cripta do Schloss Santo Emerano, antiga Abadia de Santo Emerano.

Genealogia[editar | editar código-fonte]

Os antepassados de Alberto, 8.º Príncipe de Thurn e Taxis em três gerações
Alberto, 8.º Príncipe de Thurn e Taxis Pai:
Maximiliano António de Thurn e Taxis
Avô paterno:
Maximiliano Carlos de Thurn e Taxis
Bisavô paterno:
Carlos Alexandre, 5.º Príncipe de Thurn e Taxis
Bisavó paterna:
Teresa de Mecklemburgo-Strelitz
Avó paterna:
Guilhermina de Dörnberg
Bisavô paterno:
Ernesto de Dörnberg
Bisavó paterna:
Guilhermina Henriqueta Maximiliana de Glauburg
Mãe:
Helena Carolina da Baviera
Avô materno:
Maximiliano, duque da Baviera
Bisavô materno:
Pio Augusto da Baviera
Bisavó materna:
Amélia Luísa de Arenberg
Avó materna:
Luísa Guilhermina da Baviera
Bisavô materno:
Maximiliano I José da Baviera
Bisavó materna:
Carolina de Baden

Referências

  1. Nibbs, Ann, The Elusive Empress, Youwriteon, 2008
  2. "Magnificent Jewels and Noble Jewels". Sothebys.