Tyler Burge

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Portal A Wikipédia possui o:
Portal de Filosofia

Tyler Burge (nascido em 1946) é um filósofo bastante discutido por causa do seu antiindividualismo, ou externalismo. Ele também apresentou contribuições sobre a teoria dos nomes próprios e novas interpretações da obra de Gottlob Frege.

Nomes[editar | editar código-fonte]

Em oposição à certas teorias descritivistas dos nomes, Saul Kripke apresenta uma teoria -- ou como ele prefere dizer, uma "imagem" (picture) -- segundo a qual nomes referem-se diretamente aos nomeados (por defender essa tese, Kripke é considerado um dos advogados da teoria da referência direta). Burge, todavia, não aceita tal concepção de Kripke. Para ele, nomes 'desempenham o papel lógico de um predicado' (cf. "Reference and Proper Names", Philosophical Review (1973), 81:208-28) . A análise de um nome próprio como 'Júlio César' é 'o Júlio César', ou 'este Júlio César', por oposição a 'aquele Júlio César'. Em "The Predicate View of Proper Names" (cf. Preyer, G. and Peter, G. (eds.), Logical Form and Language, New York: Clarendon Press, 2002) Reinaldo Elugardo argumenta que a posição de Burge, embora pareça surpreendente, merece, todavia, um exame mais cuidadoso por parte dos seus críticos. Em particular, Elugardo defende a tese de que os usos predicativos dos nomes não são parasitários dos seus eventuais usos referenciais. (A distinção entre usos refenciais e usos atributivos de certas expressões, em especial, descrições definidas, remonta pelo menos aos trabalhos de Keith Donnellan, em suas críticas à teoria das descrições definidas de Bertrand Russell.)

Antiindividualismo[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre filosofia / um filósofo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.