Vandalism (The Office)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


"Vandalism"
14º episódio da 9ª temporada de The Office
Pam Halpert a informar aos seus colegas o vandalismo no seu mural.
Informação geral
Escrito por Owen Ellickson
Produzido por Steve Burgess
Jenna Fischer
Ed Helms
John Krasinski
Graham Wagner
Rainn Wilson
Direcção Lee Kirk
Edição Jonathan Pledger
Curtis Thurber
Código de produção 9015
Duração 22 minutos
Exibição original 31 de Janeiro de 2013
Convidados
Cronologia
Último
Último
"Junior Salesman"
"Couples Discount"
Próximo
Próximo
Lista de episódios

"Vandalism" é o décimo quarto episódio da nona temporada da série de televisão de comédia de situação norte-americana The Office, e o centésimo nonagésimo da série em geral. O episódio foi escrito por Owen Ellickson. Foi dirigido por Lee Kirk, que é o esposo de Jenna Fischer, membro do elenco principal da série. A sua transmissão original ocorreu através da rede de televisão National Broadcasting Company (NBC) na noite de 31 de Janeiro de 2013. O episódio apresenta participações especiais de Chris Diamantopoulos como Brian, Mark Proksch como Nate, Brad William Henke como Frank, e Ameenah Kaplan como Val.

O seriado — apresentado como se fosse um documentário real — retrata o dia-a-dia dos empregados da filial da Dunder Mifflin, uma empresa de papel ficcional, em Scranton, Pensilvânia. Neste episódio, alguém vandaliza o mural no armazém de Pam Halpert (interpretada por Fischer). Perturbada, ela procura a ajuda de Dwight Schrute (Rainn Wilson) e Nellie Bertram (Catherine Tate), que avidamente ajudam-na a descobrir o vandalizador. Entretanto, no seu apartamento em Filadélfia, Darryl Philbin (Craig Robinson) está incomodado com a falta de limpeza de Jim Halpert (John Krasinski). Em outros lugares, de má vontade, Angela Lipton (Angela Kinsey) dá permissão a Oscar Martinez (Oscar Nunez) e Kevin Malone (Brian Baumgartner) para irem à festa de aniversário do seu filho.

"Vandalism" foi recebido com opiniões mistas pelos críticos televisivos especialistas; muitos acharam que o sub-enredo que envolve Brian estando apaixonado por Pam foi incutido na série e teve pouca função além de criar drama supérfluo. Durante a sua transmissão original norte-americana, o episódio foi assistido por 3.97 milhões de telespectadores e lhe foi atribuída a classificação de 1.9/5 no perfil demográfico dos telespectadores entre os 18 aos 49 anos de idade, de acordo com os dados publicados pelo serviço de registo de audiências Nielsen Ratings. Embora se tenha posicionado em primeiro lugar no seu horário, "Vandalism" empatou com o episódio final de 30 Rock na posição do segundo programa mais assistido da NBC dessa noite.

Produção e desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

"Vandalism" foi escrito pelo produtor supervisor Owen Ellickson, fazendo do episódio o seu terceiro crédito de escrita de argumento na série. Foi dirigido por Lee Kirk. Isto marca a sua primeira aparição como director na série, embora tenha participado uma vez como o personagem terciário Clark no episódio "The Delivery" durante a sexta temporada. Kirk é também o esposo de Jenna Fischer, membro do elenco principal de The Office.

Este episódio apresenta a participação do actor Chris Diamantopoulos como a personagem Brian, o operador do microfone, marcando assim a sua terceira aparição consecutiva. Mark Proksch retornou como a personagem Nate, bem como Ameenah Kaplan como Val. Este é o primeiro episódio a apresentar Brad William Henke como Frank. O produtor executivo Greg Daniels brincou em entrevistas que uma personagem seria despedida "no episódio 15". Apesar de "Vandalism" ter sido o décimo quarto episódio a ser transmitido, foi na verdade o décimo quinto a ser produzido, tendo como base os códigos de produção.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Esta secção contém revelações sobre o enredo.

Alguém vandaliza o mural do armazém de Pam Halpert (interpretada por Jenna Fischer) ao desenhar imagens obscenas nele. Perturbada, ela procura pela ajuda de Dwight Schrute (Rainn Wilson) e Nellie Bertram (Catherine Tate), que concordam em ajudá-la a descobrir o vandalista. Os três, eventualmente, descobrem que o criminoso era um funcionário do armazém chamado Frank (Brad William Henke). Como forma de vingança, Pam e Dwight pintam imagens infantis na sua carrinha adorada com tinta lavável. Contudo, ao ver isto, Frank fica irado e mostra sinais de que vai atacar Pam fisicamente. Então, Brian (Chris Diamantopoulos), o operador do microfone da equipa do documentário, quebra as regras de protocolo e intervém ao atingir o funcionário do armazém no rosto com o seu microfone. No fim, descobre-se que ambos Frank e Brian foram despedidos da Dunder Mifflin e do documentário, respectivamente. Quando vai-se embora, Brian diz a Pam que ele sempre estará lá para caso ela precise de alguém.

Enquanto isso, no seu apartamento em Filadélfia, Darryl Philbin (Craig Robinson) está desconfortado com a falta de higiene por parte de Jim Halpert (John Krasinski). Após Jim ter usado a chávena do café de Darryl acidentalmente, os dois começam a brigar; ambos sentem que o outro não está a ser racional. Eventualmente, Jim decide fazer um esforço para limpar e manter limpo o apartamento, e Darryl decide não ser tão retentivo sobre a limpeza das suas coisas.

Em outros lugares, Angela Lipton (Angela Kinsey) e o Senador Robert Lipton (Jack Coleman) celebram o primeiro aniversário do seu filho Phillip. Angela fica chocada ao saber que Robert convidou Oscar Martinez (Oscar Nunez) para a festa, mesmo apesar de ela ter avisado a Robert que não o queria lá. Então, Angela convida Kevin Malone (Brian Baumgartner), ambos em retaliação e também para impedi-lo de ficar sozinho com as contas bancárias do escritório. Oscar, que acredita que foi convidado pois desconfia que Robert está apaixonado por ele, fica surpreso ao descobrir que foi convidado para aumentar a opinião sobre Robert nas eleições dentro da comunidade Latina. Após a festa, contudo, Kevin agradece a Angela e Robert pela comida, mas diz a Robert que ele é uma pessoa horrível por usar os seus amigos para ganhar apoio político.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Transmissão e repercussão[editar | editar código-fonte]

Audiência[editar | editar código-fonte]

"Vandalism" foi originalmente transmitido na NBC após o episódio "Junior Salesman" na noite de 31 de Janeiro de 2013. Durante esta transmissão, o episódio foi assistido por uma média de 3.97 milhões de telespectadores norte-americanos, fazendo dele o segundo episódio da série, após "The Target" mais cedo nesta temporada, a atingir uma audiência menor que 4 milhões. Foi-lhe atribuída a classificação de 1.9 e 5 por cento de share por entre os adultos entre as idades de 18 a 49. Isso significa que ele foi visto por 1.9 por cento de todas as pessoas dos 18 aos 49 anos de idade, e por 5 por cento de todas as pessoas dos 18 aos 49 anos de idade que estavam a assistir à televisão no momento da emissão.

The Office posicionou-se na primeira posição no horário em que foi transmitido, e empatou com o episódio final de 30 Rock na segunda posição das séries mais assistidas da noite, embora 30 Rock tenha sido assistida por um número maior de telespectadores. Ambos "Vandalism" e o episódio final de 30 Rock foram superados por "Junior Salesman".

Análises da crítica[editar | editar código-fonte]

O sub-enredo do episódio que envolvia o actor Chris Diamantopoulos (esquerda) foi recebido com escória pela crítica.

Michael Tedder, para a coluna Vulture da revista New York Magazine, premiou este episódio — juntamente com "Junior Salesman" — com quatro estrelas a partir de uma escala de cinco. Ele apreciou o momento de Kevin no fim do episódio, no qual ele foi capaz de repreender o Senador pelo seu mau tratamento com os seus amigos e família, e notou que "o facto de ter vindo com a interpretação indecisa de Kevin apenas melhorou tudo." Contudo, ele criticou o sub-enredo de Brian, chamando-o de "a maneira menos interessante que esta revelação de um membro da equipa poderia ter sucedido". Roth Cornet, para o IGN, premiou o episódio com uma avaliação de 7 a partir de uma escala de 10, comentando que foi um episódio "bom". Apesar de notar que o seriado em si ainda estava bom em comparação com vários outros da televisão, Cornet escreveu que o episódio é um exemplo do "perigo de desnecessariamente arrastar coisas, uma vez que vimos o desperdício de terminar coisas antes de terem a oportunidade de atingir o potencial total no passado." Cornet elogiou a "bomba da verdade" de Kevin, escrevendo que "funcionou lindamente", mas ele achou que "a revelação do 'homem por detrás da cortina' [... foi] um desapontamento doloroso" e um "cop-out"[nota 1] para engatar os telespectadores.

Brett Davinger, para o The California Literary Review, chamou as travessuras de Brian de "arrepiantes", e questionou-se se a personagem iria começar a emular as características da personagem Cathy da oitava temporada, que tentou fazer com que Jim traísse. Contudo, ele ficou agradado com os outros enredos do episódio. Apesar de chamar a história de Jim e Darryl de "ocupante de espaço", ele foi mais positivo para com a história de Oscar e Kevin, notando que o fim foi um "segmento curto, mas bem feito". Bonnie Stiernberg, para a revista Paste, escreveu que a ideia de Brian temporariamente dividir Pam e Jim levou a "um dos episódios mais nada-a-ver" da série. No entanto, ela achou que os argumentistas devem ter "pensado [na ideia] em algum momento da temporada anterior" e que o conceito pareceu forçado. Stiernberg comparou o rápido desenvolvimento do relacionamento de Pam e Brian desfavorável para o lento fortalecimento da atracção inicial de Pam e Jim um para o outro. Nick Campbell, para o Tv.com, escreveu que "Vandalism" — juntamente com "Junior Salesman" — foi muito mais esperto que o julgamento da semana passada em Dullsville". Ele achou que o episódio foi "importante", porque continuou a trama que envolve Brian. Campbell inicialmente não estava satisfeito com o desenvolvimento, mas disse que o enredo será "o teste final da teoria romântica do seriado" que "os homens dóceis (o proletariado) constantemente e rectamente erigiram os homens estabelecidos e negligentes (a burguesia) que vivem com as mulheres do The Office".

Erik Adams, para o jornal de entretenimento The A.V. Club premiou o episódio com um "C-" e criticou amplamente a introdução de Brian como um potencial interesse amoroso para Pam. Ele criticou especialmente a cena final, notando que "riu muito porque eu pensei que Dwight é que tivesse lhe atingido." Contudo, uma vez que se apercebeu que era Brian, ele achou que "uma conclusão para a trama invulgar de Dwight-Pam que fez Pam descer ao nível de Dwight foi recusada." Embora tenha apreciado a tentativa de Greg Daniels de arriscar, ele escreveu que "está a começar a parecer que eles estão a foder tudo agora." Adams, no entanto, foi mais positivo em relação à parte de Kevin no episódio, e chamou isso de um lampejo "de um Office de fim-de-período no seu melhor". Casey Gillins, para o jornal The News & Advance disse que o sucesso total da nona temporada de The Office foi magoado por "Vandalism", bem como por "Junior Salesman". Ela escreveu que, enquanto o episódio "teria sido agradável" por si próprio, após Brian defender Pam "o seriado navegou bem perto daquele tubarão".

Notas

  1. Um "cop-out" é uma pessoa que falha no cumprimento de uma tarefa ou responsabilidade.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]