Vivien Thomas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Dr. Vivien Theodore Thomas (29 de agosto de 191026 de novembro de 1985) foi um técnico cirúrgico afro-americano negro que auxiliou no desenvolvimento de procedimentos usados para o tratamento da síndrome dos bebês azuis na década de 1940. O nome é feminino porque quando sua mãe estava grávida, queria uma menina e quando nasceu um garoto ela não quis mudar o nome.

Foi o assistente do Dr. Alfred Blalock (famoso por ter descorbeto a cura para tetratologia de Fallot) na Universidade de Vanderbilt em Nashville, Tennessee e, posteriormente, na Universidade Johns Hopkins, em Baltimore, Maryland.

Com um limitado grau de educação formal e sem nunca ter cursado uma faculdade, Thomas lutou contra a pobreza e o racismo para se tornar um pioneiro na área da cirurgia cardíaca e um professor para estudantes que se tornariam os melhores cirurgiões dos Estados Unidos. Vivien Thomas recebeu o título em Doutorado Honorário.

A história de Vivien Thomas é contada no filme Quase Deuses, parcialmente baseado no artigo jornalístico "Something the Lord Made", escrito por Katie McCabe e publicado no Washingtonian. Um documentário sobre Vivien Thomas foi produzido em 2004 pela HBO.


Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Portal A Wikipédia possui o portal:
Portal A Wikipédia possui o portal:
Em inglês


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.