Vivien Thomas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Dr. Vivien Theodore Thomas (29 de agosto de 191026 de novembro de 1985) foi um técnico cirúrgico afro-americano negro que auxiliou no desenvolvimento de procedimentos usados para o tratamento da síndrome dos bebês azuis na década de 1940. O nome é feminino porque quando sua mãe estava grávida, queria uma menina e quando nasceu um garoto ela não quis mudar o nome.

Ressalva:"Cultura Africana o Dr. Negro que Mudou a Medicina Cardíaca" Na História Recente Mundial, houve muitos Africanos e ou Afrodescendentes que tiveram Reconhecimento de seus Feitos, tais como Nelson Mandela, Malcom X, Martin Luther King entre outros... Estranhamente houve um Revolucionário na Área da Medicina, pouco, ou, quase nada Divulgado, seu nome foi; Vivien Theodoro Thomas, de 1910 à 1989, era de início de Carreira um Marceneiro de primeira Linha, um Detalhista Dedicado, mas, que Sonhava em Formação em Medicina, na Resseção da década de 30 e 40, suas Economias Bancárias, faliram e desapareceram junto com a Instituição Financeira. O Sistema Bancário falido, mais, o Desemprego Assolando o País Norte Americano, Vivien, procurou uma Nova Colocação no Mercado de Trabalho, que o Levou a uma Clinica de Pesquisas, comandada pelo Dr.Alfred Blalock, que desenvolvia Pesquisas na Área de Cirurgias. Vivien dedicado como sempre tornou-se seu Assistente, após ser seu Faxineiro. Com o passar do tempo; na Década de 40, existia um Desafio para a Medicina, conhecido como o "Mal dos Bebês Azuis", uma Cardiopatia, nesta Época o Coração era Intocável, o Mundo não conhecia Técnicas para tal Feito, portanto todos os Bebês Azuis estavam fadados á Falecer. Mas com a autorização do Dr. Alfred, Vivien seu Assistente de Laboratório, desenvolveu a Técnica e os Instrumentos Cirúrgicos e de Apoio Revolucionários, que podemos dizer, que o Dr. Alfred, por ser um Caucasiano, Levou os Créditos. Mas sem Vivien, jamais teria Conseguido. Está Historia, é um Divisor de Águas, mas, o Racismo deixara uma Lacuna de espaço e tempo, pois, a Universidade Johns Hopkins, em Baltimore, Maryland, não aceitava Negros com Cargos acima de Copeiros e Faxineiros. Mas com muita Luta e dedicação; Vivien recebeu em sua Homenagem da Universidade, após o Falecimento do Dr. Alfred Blalock, o Certificado Honorário, de Doutorado Honorário. Esta é mais uma História Africana por Ascendência, ou, Afro-americana, que Modificou o Mundo, mas, o Racismo, o Preconceito instaurado deixa de Fora dos Livros de História. Existe um Filme com o Título, "Quase Deuses", que trás a História de Vida deste Cidadão que Mudou o Mundo. "Corrente do Bem". Asé para nós.

Foi o assistente do Dr. Alfred Blalock (famoso por ter descorbeto a cura para tetratologia de Fallot) na Universidade de Vanderbilt em Nashville, Tennessee e, posteriormente, na Universidade Johns Hopkins, em Baltimore, Maryland.

Com um limitado grau de educação formal e sem nunca ter cursado uma faculdade, Thomas lutou contra a pobreza e o racismo para se tornar um pioneiro na área da cirurgia cardíaca e um professor para estudantes que se tornariam os melhores cirurgiões dos Estados Unidos. Vivien Thomas recebeu o título em Doutorado Honorário.

A história de Vivien Thomas é contada no filme Quase Deuses, parcialmente baseado no artigo jornalístico "Something the Lord Made", escrito por Katie McCabe e publicado no Washingtonian. Um documentário sobre Vivien Thomas foi produzido em 2004 pela HBO.


Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Portal A Wikipédia possui o portal:
Portal A Wikipédia possui o portal:
Em inglês


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.