Vostok III

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Vostok 3
Insígnia da missão
Sinal de chamada Сокол (Sokol - Falcão)
Estatísticas da missão
Número de tripulantes 1
Lançamento 11 de agosto de 1962
08:24 UTC
Cosmódromo de Baikonur
Aterrissagem 15 de agosto de 1962
06:52 UTC
42°2′N 75°45′E
Órbitas 64
Duração 3d 22h 28min
Imagem da tripulação
Andrian Nikolayev
Andrian Nikolayev
Navegação
Último
Último
Vostok-2 mission patch.jpg Vostok 2
Vostok 3 4 Mission Patch.svg Vostok 4
Próximo
Próximo

Vostok 3 (russo:Восток-3 - Leste 3 ou Oriente 3) foi a terceira missão do Programa Vostok, o primeiro projeto tripulado do programa espacial soviético. O cosmonauta foi Andrian Nikolayev. O voo ocorreu entre 11 e 15 de agosto de 1962 e foi a primeira missão conjunta da exploração espacial, realizada com a Vostok 4.

O objetivo do programa foi testar as condições de habilidade do ser humano exposto a um longo período na falta de gravidade e a resistência da espaçonave Vostok 3KA a longos voos. Nikolayev passou quatro dias no espaço, nos quais completou 64 órbitas terrestres, feito que só seria superado pelo programa espacial norte-americano após o início do projeto Gemini.[1]

As naves Vostok 3 e Vostok 4 foram lançadas com um dia de diferença, numa trajetória que as colocou a 6,5 km uma da outra na órbita terrestre. Esta foi a primeira vez em que duas espaçonaves estiveram simultaneamente no espaço, o que permitiu aos controladores soviéticos em terra aprenderem a lidar com esta situação.[2]

Tripulação[editar | editar código-fonte]

Parâmetros da missão[editar | editar código-fonte]

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Gherman Titov havia sofrido de náuseas e doença do espaço no voo anterior da Vostok 2, que teve a duração de 24 horas. Esta condição era desconhecida até então, o que levou os soviéticos a desejarem estudar melhor as condições humanas no espaço por um período mais prolongado.[3]

O cientista-chefe do programa espacial, Sergei Korolev, queria um voo de três dias de duração em seguida. Estes planos receberam a oposição do chefe do departamento de cosmonautas da Roskosmos, Nikolai Kamanin, assim como do próprio corpo de cosmonautas. Os planos para uma missão com três dias só puderam prosseguir depois da aprovação pessoal de Nikita Krushev. No fim, a missão da Vostok 3 acabaria durando quatro dias, um dia a mais do planejado anteriormente.[2]

Um dos objetivos da missão conjunta era testar como dois cosmonautas reagiriam no espaço por tempo prolongado, realizando uma série de testes sob as mesmas circunstâncias. As órbitas próximas e o quase-encontro das duas naves, tornariam o número de variáveis de um voo mínimas, permitindo a avaliação de diferenças individuais na adaptação a um voo espacial. As cápsulas Vostok tiveram seus sistemas modernizados para conter um aumento na capacidade e volume de dados coletados sobre a tripulação e as condições de voo.[3]

A seleção dos cosmonautas para este voo incluiu treinamento específico para as condições de isolamento e enjoo no espaço e os selecionados foram os que demonstraram menor suscetibilidade a isso.[3] De posse das informações trazidas por Titov na Vostok 2, o treinamento incluiu manobras da espaçonave e outras atividades planejadas num simulador.

O lançamento da Vostok 3 ocorreu apenas um ano após o da Vostok 2, em parte devido à explosão de um foguete, durante a tentativa mal-sucedida do lançamento de um satélite, que danificou seriamente a plataforma de lançamentos em Baikonur.[2] Autoridades soviéticas também argumentaram que os voos espaciais ficaram impossibilitados durante semanas, por causa de um suposto teste nuclear norte-americano realizado em órbita na época, possivelmente o Starfish Prime.[3]

Missão[editar | editar código-fonte]

A Vostok 3 foi lançada do Cosmódromo de Baikonur as 08:24 UTC do dia 11 de agosto de 1962. Durante seu primeiro dia em órbita, o cosmonauta Andrian Nikolayev soltou-se do cinto de segurança do assento, tornando-se o primeiro homem a flutuar livremente na microgravidade.[3]

Selo comemorativo das missões conjuntas Vostok 3 e Vostok 4.

Seu companheiro de missão conjunta, Pavel Popovich, tripulante da Vostok 4, foi lançado no dia seguinte. Os dados dos parâmetros orbitais das duas naves, transmitidos periodicamente pela agência de notícias soviética TASS, pareciam indicar uma mudança na trajetória orbital da Vostok 3, cerca de dez horas após o lançamento da IV, levando à especulações de que a primeira havia mudado sua órbita para ficar em condições de encontro com a segunda. Os planos iniciais eram para que as naves chegassem a uma distância mínima de quase contato de 5 km, mas a menor distância conseguida foi de 6,5 km. No início da 33ª órbita da Vostok 3, a distância aumentou para 850 km e na 64ª e última chegou a 2850 km.[4]

As duas naves mantiveram contato por rádio de ondas-curtas por toda a missão e Nikolayev reportou aos controles de terra que via a Vostok 4 à distância, quando as duas entraram na mesma órbita. Ele e Popovich passaram vários períodos livres do cinto de segurança flutuando na cabine, enquanto realizavam tarefas pré-determinadas para avaliar suas capacidades de trabalho e de habilidade de manobras físicas no espaço. Cada um destes testes tinha a duração aproximada de um hora. O estado mental e físico dos cosmonautas foi monitorado por sensores biométicos que transmitiam as estatísticas vitais para o solo. A coordenação motora e comportamento dos dois foi transmitida para a terra por monitores por câmeras de vídeo instaladas nas cabines. Os resultados dos testes foram considerados positivos, demonstrando a capacidade humana de realizar tarefas comuns por períodos prolongados na microgravidade.

Especial atenção foi prestada quanto à capacidade de dormir normalmente dos homens e seus sinais vitais transmitidos durante o período de sono. Nikolayev acordava sempre depois de seis horas de sono, antes do período estipulado de oito horas, mas dizendo-se sempre descansado e recuperado.[3]

A missão Vostok 3 terminou na manhã de 15 de agosto, com a ignição dos retrofoguetes e a reentrada da cápsula na atmosfera, com Nikolayev, após a ejeção da nave - como Gagarin e Titov -, pousando de pára-quedas às 06:52 UTC (09:52 Hora de Moscou), perto de Qaraghandy, no Casaquistão.[5]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. NASA NSSDC Spacecraft Details NASA. Visitado em 2009-03-17.
  2. a b c Vostok 3 Encyclopedia Astronautica. Visitado em 2009-03-21.
  3. a b c d e f (6 September 1962) ""Group Space Flight" Described – Part 2" (PDF). Flight 82 (2791): 389–391. London: Iliffe Transport Publications.
  4. Gatland, Kenneth. Manned Spacecraft, Second Revision. New York: Macmillan Publishing Co., Inc., 1976. 117–118 pp. ISBN 0025428209
  5. NASA NSSDC Spacecraft Trajectory Details NASA. Visitado em 2009-03-17.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]