Yamaha XTZ 250 Lander

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Yamaha XTZ 250 Lander
Fabricante Yamaha Motor Company
Apelido Lander 250
Produção 2006-atual
Predecessora Yamaha XT 225
Sucessora Não tem
Tipo On/Off-road
Motor Mono-cilíndrico, 4 tempos, SOHC, 250 cc, alimentação por injeção eletrônica, partida elétrica.
Potência 20,7 CV a 8.000 rpm
Torque 2,09 kgf-m a 6.500 rpm
Freios Disco ventilado de 245 mm na frente; disco ventilado de 203 mm na traseira.
Pneus 80/90-21 M/C na frente; 120/80–18 M/C atrás.
Altura do Assento 875 mm
Entre Eixos 1.390 mm
Comprimento 2.125 mm
Tanque 11 L
Reserva 4,3 L
Similar Honda XR 250 TORNADO,Sundown STX 200, Yamaha XTZ 250 Ténéré
Modelo 2009.

A XTZ 250 Lander é uma motocicleta da categoria On-Off Road fabricada pela Yamaha[1] .

Características[editar | editar código-fonte]

Possui freio a disco nas duas rodas, sendo o disco dianteiro com 245mm de diâmetro (pistão duplo) e o traseiro com 203mm (pistão simples). Foi a moto escolhida pela ROCAM de São Paulo para compor a frota de 2008[2] . Com propulsor monocilíndrico, quatro tempos, OHC (Over Head Camshaft) de exatos 249 cc revestido por camisa com tratamento cerâmico ,mesma tecnologia da Yamaha R1, desenvolve 21 cv a 7.500 rpm e é comandado por um sistema que controla um conjunto de dez diferentes leituras. A Unidade de Controle Eletrônico (ECU) monitora e analisa as informações de cada sensor e transmite os comandos aos vários sistemas para que funcionem de forma ideal para atender às mais diferentes condições de pilotagem. A Injeção Eletrônica aliada ao Sistema de Indução de Ar (Air Induction System) - um dispositivo no qual através de válvulas interligadas com o filtro de ar, injeção, cabeçote e catalisador asseguram menores emissões de gases poluentes. A alimentação por injeção eletrônica resulta no funcionamento eficiente do motor, tornando a Lander 250 mais econômica em razão da melhor queima do "combustível", além de permitir respostas rápidas em quaisquer regimes de giro. O conjunto mecânico ainda conta com outros componentes que colaboram para a segurança, robustez e qualidade dos componentes da Lander 250, como; engrenagem compensada com mola amortecedora instalada na extremidade direita do eixo balanceador, engrenagens das 5 marchas reforçadas, caixa de filtro de ar com grande capacidade.

O tanque de combustível tem capacidade para 11 litros com tratamento em zinco - anticorrosão. O painel de instrumentos acomoda um único mostrador de cristal liquido multifuncional com hodômetro total e dois parciais (TRIP-1 e TRIP-2), mais hodômetro do combustível (F-TRIP), indicador do nível de combustível, relógio e contagiros, também digital, além de leds; indicador do neutro, farol alto, luz de direção e alerta do motor.

Modelos e incrementações[editar | editar código-fonte]

Lançada em 2006 manteve toda sua mecânica original até 2009, quando recebeu novos grafismos, novo catalisador e sensor de O², para atender a resolução que define limites para emissão de poluentes atmosféricos.

Lander x Tornado[editar | editar código-fonte]

Até 2009 a Lander foi concorrente direta da tornado, que deixou de ser fabricada no mesmo ano para dar lugar a Honda XRE 300, uma moto um pouco fora dos padrões off-road, as principais revistas de motociclismo brasileiras realizaram diversos testes comparativos, e destacaram os seguintes fatores em prol da Lander.[3] [4]

  • Sistema Air Induction, interligado ao sistema de injeção eletrônica, ao filtro de ar, ao catalisador e ao cabeçote, que, além de render melhores resultados em baixas e médias rotações, auxilia na diminuição da emissão de poluentes;
  • Globo ótico do tipo multirefletor, com estruturas diferentes, resulta em melhor foco de luminosidade;
  • Painel de instrumentos totalmente digital(tornado é pioneira no painel digital), conta com marcadores de gasolina, reserva, relógio, velocímetro e rotações digitais, além do odômetro de três fases, Comum, Ftrip1 e Ftrip2 que são marcadores de kilometragem percorrida e resetáveis, muito utilizado em trilhas e viagens;
  • Injeção eletrônica de combustível (maior economia e menores níveis de emissões);
  • Peso a seco de apenas 130 kg;( tornado possui 135kg, e tem mais potencia e torque).
  • Motor mais esperto em baixas rotações, porém barulhento SOHC (sistema com comando simples de válvulas);

Em prol da tornado, pode se destacar os seguintes itens

  • Maior potência e torque(24 cv/2,50 kgf torque) contra (21cv/2,10kgf torque da LANDER).
  • Motor DOHC com 4 válvulas, derivado de motos superesportivas, DOHC diminui a flutuação das válvulas em alta rotação, obtendo assim, maior rendimento somente em alta rotação.
  • Rodas de alumínio mais leves e duráveis da D.I.D, o da lander possui maior peso e menor resistência à oxidação, pois é de ferro;
  • Peças herdadas da XTZ 125 e YBR (comandos de punho);
  • Balança traseira alumínio (para alguns, mais leve para trilha) contra a balança de ferro da lander;
  • A lander possui pneu dianteira muito fino, e faz com que a moto tenha maior saida de "frente" que sua concorrente;
  • Possui corrente de transmissão mais forte e mais duradoura, por ser mais grossa (520) do que o modelo lander.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Yamaha XTZ 250 X

Referências