Aeródromo Militar de Lisboa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

O Aeródromo de Trânsito n.º 1 (AT1) da Força Aérea Portuguesa é o terminal militar do Aeroporto de Lisboa.[1]

Histórico[editar | editar código-fonte]

A criação do Aeródromo Militar de Lisboa teve origem na instalação da aviação militar no Aeroporto de Lisboa, a 1 de maio de 1944, altura em que - em virtude das ameaças surgidas com a Segunda Guerra Mundial[1] - aí passou a estar estacionada a Esquadrilha Independente de Aviação de Caça. Essa unidade tinha por missão assegurar a defesa aérea imediata da cidade de Lisboa. Por essa ocasião, começaram também aí a instalar-se outras unidades aéreas militares, nomeadamente a Esquadrilha B das Forças Aéreas da Armada, constituída por aviões de luta anti-submarina de base terrestre da Marinha Portuguesa.

Com a criação da Força Aérea Portuguesa (FAP), é criado em 1955, o Aeródromo-Base n.º 1 (AB1) vocacionado para as missões de transporte aéreo militar. O AB1 serve de sede aos Transportes Aéreos Militares (TAM), que agrupam as esquadras de transporte aéreo estratégico da FAP, equipadas com aeronaves Douglas DC-6 e mais tarde Boeing 707. Em 10 de outubro de 1978, o aeródromo passa a designar-se "Aeródromo de Trânsito n.º 1".[1]

Características[editar | editar código-fonte]

Estando localizado no aeroporto da capital portuguesa, o AT1 é o principal centro de transporte aéreo militar de Portugal. É popularmente conhecido por "Aeroporto Militar do Figo Maduro",[2] em referência à antiga Azinhaga de Figo Maduro, sita na freguesia do Prior Velho, confinante com o terminal militar.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b c «HISTÓRIA». Aeródromo de Trânsito N.º 1. EMFA - Estado-Maior da Força Aérea. Consultado em 28 de maio de 2020 
  2. Manuel Carlos Freire (11 de agosto de 2017). «O cantinho militar da Portela por onde passam todos os VIP». Diário de Notícias. Consultado em 28 de maio de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]