Aeroporto de Badajoz

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Aeroporto de Badajoz
Aeroporto
IATA: BJZ - ICAO: LEBZ
Características
Tipo Civil/Militar
Administração Aena
Serve Badajoz, Mérida e Cáceres
Localização Badajoz (Espanha)
Altitude 185 m (607 ft)
Notas
Fonte: Aena[1]

O Aeroporto de Badajoz (código IATA: BJZcódigo OACI: LEBZ) é um aeroporto espanhol da Aena que está situado a 14 quilómetros do centro urbano da cidade de Badajoz (Espanha), mas dentro de seu termo municipal, junto à Base Aérea de Talavera la Real, também dentro do termo municipal de Badajoz, e a 45 km de Mérida, capital de Estremadura. O aeroporto encontra-se ligado a ambas cidades pela Autovia de Estremadura (A-5).[2][3]

Compartilha pista e torre de controle com uma base aérea do exército do ar espanhol, a de Talavera la Real. O terminal civil e a base aérea estão separadas pela pista, diferenciando assim as duas instalações.

Entre 2006 e 2007, o aeroporto sofreu uma série de obras para fazer efectiva uma ampliação do terminal (de 2.500 m² a 4.400 m²), da plataforma de aeronaves (de 16.000 m² a uma para aviação comercial de 30.000 m² e outra de aviação geral de 5.000 m²) e do estacionamento (passando de 129 a 245 praças, todas gratuitas).[4] Em 28 de julho de 2010 pôs-se fim a todas as obras com a posta em funcionamento do resto de instalações.

Ademais, em janeiro de 2009 se licitou o aumento e a repavimentação da pista de aterragem e a rua auxiliar até a plataforma civil, com um custo de 6.7 milhões de € e 6 meses de prazo de execução, já finalizada.

Também se encontram em diferentes fases partidas para melhorar as comunicações e o controle do Aeroporto, bem como a construção de uma nova Central Elétrica por um custo de 4 milhões de €.[5]

Em 2007 marcou seu recorde de passageiros, com 91.789 (fonte: AENA).

Este aeroporto obteve no ano 2008 o certificado internacional ISO-9001.[6]

História[editar | editar código-fonte]

Durante a guerra civil constrói-se nas cercanias de Badajoz o campo de voo militar das Bardocas. Devido a sua situação geográfica (a zona encontra-se encaixada entre os rios Guadiana e Xévora) não é possível a ampliação das instalações. Esta circunstância obriga a construir um novo aeródromo próximo de Talavera la Real, a 14 quilómetros de Badajoz.

A princípios de 1951, inicia-se a terraplanagem da pista de voo e no verão desse mesmo ano termina-se a torre de controle. As duas pistas inicialmente previstas, ficaram reduzidas a uma, com orientação 13-31, e que na actualidade, depois de várias ampliações, tem uma longitude de 9.348 pés (2.805m), e está equipada com as "crash barriers" (Barreiras de contenção), que tanto impressionaram ao Ministro do Ar, General Gallarza, em sua visita aos Estados Unidos de América em maio de 1954. A pista conclui-se a princípios de 1953, e em dezembro instala-se a Escola de Reactores do Exército do Ar.

A base aérea melhora as suas instalações e a 12 de setembro de 1958 abre-se ao tráfico aéreo nacional. Em junho de 1954 estabelecem-se as serviços aeronáuticas de Talavera, posteriormente modificadas em 1968.

Os primeiros voos comerciais que partiram de Badajoz para Madrid o fizeram nos anos 40, usando como base o aeródromo das Bardocas, e não foi até 12 de setembro de 1958 em que se abriu ao tráfico aéreo nacional, o aeroporto de Badajoz, sendo operada a linha aérea Madrid-Badajoz pela companhia Aviaco. A primeira linha aérea regular da companhia Ibéria inaugura-se a 14 de julho de 1976 com a linha Madrid-Badajoz, e utilizam-se as instalações da base aérea para a atenção dos passageiros.

Os problemas que surgem pelo uso conjunto do aeroporto aconselham a construção de uma plataforma de estacionamento de aeronaves e um edifício terminal independentes no lado oposto da pista. As obras iniciam-se em 1981 e concluem em 1983, ainda que o terminal não se utiliza até 1990, momento no que se estabelecem dois voos diários com Madrid e dois voos por semana com Barcelona.

Outras linhas aéreas que têm operado no Aeroporto de Badajoz e que actualmente não o fazem são Air Europa Express, Lagun Air e Spanair.

Entre março de 2007 e maio de 2009 a Air Nostrum operou uma rota regular com Bilbau, com duas frequências semanais.

Depois de uma pausa nas actividades do aeroporto, causadas pela negativa da Junta da Estremadura a renovar a subvenção à companhia Air Nostrum em janeiro de 2012, a companhia Helitt, toma o relevo das operações com voos regulares a Madrid, Barcelona e Málaga desde março do mesmo ano.

Em fevereiro de 2013 a companhia Helitt cancela todas suas operações desde o Aeroporto de Badajoz.

Na primavera de 2014, iniciaram-se negociações com o Aeroporto de Melilla, situada em dita cidade espanhola, e tem-se previsto o início de operações com este aeroporto, para tráfico aéreo de tipo civil, em verão desse mesmo ano.

A frequência civil da Torre de Talavera é 122.1 MHz.

Evolução do tráfego de passageiros[editar | editar código-fonte]

Em 2018, o Aeroporto de Badajoz já recebeu um total de 10.295 passageiros.[carece de fontes?]

Evolução de trafégo de passageiros


Evolução do Número de Operações[editar | editar código-fonte]

Em 2018, o Aeroporto de Badajoz já realizou 268 operações.[carece de fontes?]

Evolução de trafégo de passageiros


Infra-estruturas[editar | editar código-fonte]

Obras de ampliação do terminal de passageiros do Aeroporto de Badajoz em setembro de 2008.

Este aeroporto dispunha no ano 2008 das seguintes infra-estruturas:

  • 1 pista de 2.850 metros.
  • 1 plataforma de aeronaves de 16.000 m².
  • 1 Terminal de passageiros dotada de:
    • 4 Balcões de facturação.
    • 1 Filtro de Segurança.
    • 2 Portas de Embarque.
    • 1 linha de recolhida de bagagens.
    • Cafetaria - Restaurante.
    • Balcões de linhas aéreas.
    • Escritórios de aluguer de carros.
    • Escritório de escola de aviação.
  • 1 estacionamento gratuito de 129 praças.
  • 1 praça de Táxis.

Assim ficou em julho de 2010 após a ampliação:

  • 1 pista de 2.850 metros.
  • 2 plataformas de aeronaves, de 30.000 e 5.000 m².
  • 1 Terminal de passageiros dotada de:
    • 8 Balcões de facturação + 1 para bagagens especiais.
    • 1 Filtro de segurança.
    • 3 Portas de embarque.
    • 1 Hipódromo em pátio de saídas.
    • 2 Linha de recolhida de bagagens + 1 para bagagens especiais.
    • Sala de controle de passaportes.
    • Cafetaria - Restaurante.
    • Zona comercial.
    • Balcões das linhas aéreas.
    • Escritórios de aluguer de carros.
    • Escritórios escola de aviação.
  • 1 estacionamento gratuito de 245 praças.
  • 1 praça de Táxis.

Códigos Internacionais[editar | editar código-fonte]

Linhas aéreas e destinos[editar | editar código-fonte]

Cidade Nome do Aeroporto Linhas aéreas
Nacional
Catalunha
Barcelona Aeroporto de Barcelona-El Prat Espanha Air Nostrum (Iberia regional)
Comunidade de Madri
Madrid Aeroporto de Madrid-Baralhas Espanha Air Nostrum (Iberia regional)
Ilhas Baleares (Estacional)
Ibiza Aeroporto de Ibiza Espanha Air Nostrum (Iberia regional)
Palma de Mallorca Aeroporto de Palma de Maiorca Espanha Air Nostrum (Iberia regional)
Ilhas Canárias
Tenerife Aeroporto de Tenerife Norte Espanha Air Nostrum (Iberia regional)

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

O aeroporto de Badajoz é um dos poucos aeroportos espanhóis onde tem estado presente o Concorde da Air France. Este facto se sucedeu a 5 de junho de 1989, e foi motivo para prémio para os vencedores de um concurso organizado pela Caixa de Badajoz celebrando o seu centenário de criação, e a razão mais provável pela que aterrou neste aeroporto é que por aquele então possuía uma das pistas de aterragem de maior longitude de todo o país, o que era idôneo para o Concorde.[necessário esclarecer] Este facto suscitou uma grande expectação entre a população, ainda que não se guardam registos de noticiários daquele dia, pelo que não se pode medir até que ponto chegou.[7]

Ajudas à navegação[editar | editar código-fonte]

Dispõe de diferentes rádio-ajudas à navegação.[8]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências