Alcides Bernal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Alcides Bernal
Alcides Bernal prefeito.jpg
62º Prefeito de Campo Grande Bandeira cg ed.jpg
Período 25 de agosto de 2015
até 31 de dezembro de 2016
Vice-prefeito Nenhum
Antecessor Gilmar Olarte
Sucessor Marquinhos Trad
Período 1º de janeiro de 2013
até 12 de março de 2014
Vice-prefeito Gilmar Olarte
Antecessor Nelsinho Trad
Sucessor Gilmar Olarte
Deputado estadual do Mato Grosso do Sul
Período 1º de janeiro de 2011
até 1° de janeiro de 2013
Dados pessoais
Nome completo Alcides Jesus Peralta Bernal
Nascimento 14 de julho de 1965 (53 anos)[1]
 Corumbá
Alma mater Fucmat
Primeira-dama Mirian Elzi Gonçalves[2]
Partido PP

Alcides Jesus Peralta Bernal (Corumbá, 14 de julho de 1965) é um político brasileiro, ex-prefeito de Campo Grande. Trabalhava na Rede MS e apresentava o Refazenda e Cruzando Fronteiras, da Rede MS de Rádio. Foi vereador, deputado estadual de Mato Grosso do Sul, antes de ser eleito prefeito.

Carreira política[editar | editar código-fonte]

Foi vereador por Campo Grande - MS por 4 mandatos, e em 2010, foi eleito deputado estadual. Em 2012 lançou campanha para prefeito da capital de Mato Grosso do Sul, elegendo-se com 62,55% dos votos válidos[3] devido ao um vídeo que escandalizou o principal rival. Assim um candidato de partido nanico tornou-se prefeito, caso que lembra o ex-presidente Collor tanto na eleição como na cassação.

Eleições de 2012: polêmicas[editar | editar código-fonte]

Em setembro de 2012 o diretor-geral do Google Brasil, Fábio José Silva Coelho, foi preso pela Polícia Federal do Brasil sob o argumento de que o Google não tirou do ar vídeos postados no YouTube contra Alcides Bernal, então candidato a prefeito da cidade de Campo Grande.[4] O vídeo em questão relaciona o candidato como incentivador da prática de aborto e ter praticado crimes de embriaguez, lesão corporal contra menor, enriquecimento ilícito e preconceito contra os mais pobres.[5] O deputado envolveu-se ainda numa polêmica em relação a empréstimo feito a uma cooperativa de táxis,[6] um processo por não pagar pensão alimentícia de um de seus filhos[7] e, segundo a ONG Transparência Brasil, é um dos líderes na apresentação de projetos sem importância na Assembleia Legislativa.[8]

Foi eleito prefeito com 62,55% dos votos válidos, contra 37,45% do adversário Edson Giroto (PMDB).[9]

Processo de cassação e recondução ao cargo[editar | editar código-fonte]

Foi cassado do cargo de prefeito, segundo os vereadores de oposição, por nove crimes politicos-administrativos. Foi o único caso de prefeito cassado da história de Campo Grande.[10]

Em maio de 2014, decisão do juiz David de Oliveira Gomes Filho, da 2ª Vara de Direitos Difusos Coletivos e Individuais Homogêneos de Campo Grande, suspendeu a cassação e concedeu liminar para a volta de Bernal ao cargo.[11] Imediatamente após a decisão, Bernal e aliados marcharam rumo à prefeitura e a ocuparam.[12] No entanto, a decisão foi revertida pelo Tribunal de Justiça do MS apenas oito horas depois, reempossando Gilmar Olarte no cargo.[13]

Em 25 de agosto de 2015, a decisão foi novamente revertida pela decisão liminar da 1ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, reempossando Alcides Bernal novamente ao cargo de prefeito.[14]

Eleições de 2016: desgaste[editar | editar código-fonte]

Concorreu à reeleição em 2016, mas ficou fora do segundo turno por 2.630 votos.[15] Apoiou Marquinhos Trad (PSD) no segundo turno,[16] levando à eleição do deputado estadual.[17]

Referências

  1. Biografia no G1 (em português)
  2. Jornal O Estado: Alcides Bernal é acusado de lavagem de dinheiro
  3. G1 (em português)
  4. Estadão: Diretor-geral do Google no Brasil é preso pela Polícia Federal
  5. Correio do Estado: Google diz que não vai tirar vídeo que acusa Bernal
  6. Portal I9: Cooperativa não tem registro de empréstimo de Bernal, diz presidente
  7. STJ: Processo 2009/0068886-5
  8. Difusora 1340: Cabo Almi e Alcides Bernal são campeões em projetos sem relevância
  9. «Alcides Bernal (PP) vence segundo turno e é eleito prefeito de Campo Grande». UOL. 28 de outubro de 2012. Consultado em 30 de outubro de 2016 
  10. «Por 23 votos a 6, vereadores de Campo Grande cassam mandato de Alcides Bernal». Midiamax. 12 de março de 2014. Consultado em 13 de março de 2014 
  11. Juiz concede liminar para volta de Bernal à prefeitura de Campo Grande, G1
  12. Após decisão judicial, Alcides Bernal e aliados vão à prefeitura Campo Grande, TV Morena
  13. TJ cassa liminar que empossa Bernal e mantém Olarte no cargo
  14. Bernal voltará à prefeitura da capital de MS 1 ano e 5 meses após cassação - G1
  15. Ludyney Moura e Celso Bejarano (2 de outubro de 2016). «Fora do 2º turno, Bernal não lamenta e lança candidatura ao governo estadual em 2018». Midiamax. Consultado em 30 de outubro de 2016 
  16. «Bernal oficializa apoio a Marquinhos Trad no 2º turno em Campo Grande». G1 - Mato Grosso do Sul. 8 de outubro de 2016. Consultado em 30 de outubro de 2016 
  17. «Marquinhos Trad (PSD) é eleito prefeito de Campo Grande». G1 - Mato Grosso do Sul. 30 de outubro de 2016. Consultado em 30 de outubro de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Nelson Trad Filho
Prefeito de Campo Grande
20132014
Sucedido por
Gilmar Olarte
Precedido por
Gilmar Olarte
Prefeito de Campo Grande
20152016
Sucedido por
Marquinhos Trad