Alexandr Zakhartchenko

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Alexandr Zakhartchenko
Nascimento 26 de junho de 1976
Donetsk
Morte 31 de agosto de 2018 (42 anos)
Donetsk
Residência Donetsk
Sepultamento Donetsk
Cidadania União Soviética, Ucrânia, República Popular de Donetsk
Ocupação político, militar
Prêmios Ordem da Amizade
Religião cristianismo
Causa da morte traumatismo cranioencefálico
Página oficial
http://av-zakharchenko.su/
Assinatura
Signature of Aleksandr Zakharchenko.png

Alexándr Vladímirovitch Zakhártchenko (em russo: Алекса́ндр Влади́мирович Заха́рченко, pronúncia russa: [ɐlʲɪˈksandr vlɐˈdʲimʲɪrəvʲɪtɕ zɐˈxartɕɪnkə]; em ucraniano: Олекса́ндр Володи́мирович Заха́рченко, transl. Olexándr Volodýmyrovytch Zakhártchenko, Pronúncia ucraniana: [ɔlɛˈksɑndr wɔlɔˈdɪmɪrɔwɪtʃ zɑˈxɑrtʃɛnkɔ]; 26 de junho de 197631 de agosto de 2018) foi um político, militar e líder separatista,[1][2] que foi presidente e primeiro-ministro (sucedendo Alexandr Borodai) da autoproclamada República Popular de Donetsk, que declarou independência da Ucrânia em 2014.[3]

Abuso aos direitos humanos[editar | editar código-fonte]

Durante a guerra no Donbass houve muitos casos de desaparecimentos forçados na República Popular de Donetsk. Zakharchenko disse que suas forças detinham até cinco "subversivos ucranianos” por dia. Estima-se que cerca de 632 pessoas foram detidas ilegalmente pelas forças separatistas até 11 de dezembro de 2014.[4] O jornalista Stanislav Aseyev foi raptado em 2 de junho de 2017. Inicialmente, o governo recusou saber seu paradeiro, contudo em 16 de julho um agente do Ministério de Segurança do Estado da DNR confirmou que Aseyev estava sob custódia,[5] sob a alegação de ser suspeito de espionagem. A mídia independente não tem permissão para denunciar a partir do território controlado pela DNR. A Anistia Internacional exigiu que Zakharchenko libertasse Aseyev, contudo, em julho de 2018 ele ainda estava sob custódia fato que o levou a iniciar uma greve de fome.[6]

Assassinato e reações[editar | editar código-fonte]

Zakhartchenko foi assassinado em 31 de agosto de 2018 numa explosão no café Separ, em Donetsk.[7] O ministro das finanças de Donetsk, Alexandr Timofeev, também foi ferido no atentado.[8]

O Ministério do Exterior da Rússia condenou o assassinato, apontando que tinha motivos para crer que o governo ucraniano estaria por trás. O Serviço de Segurança da Ucrânia, contudo, negou envolvimento, atribuindo a explosão a dissidentes civis novorrussos.[7] O presidente russo, Vladimir Putin, chamou sua morte de "assassinato desprezível", mandando condolências para a família do morto.[9] O líder interino da República Popular de Lugansk, Leonid Pasetchnik, prestou tributo a Zakhartchenko em seu funeral, dizendo que o Donbass jamais perdoaria sua morte.[10]

Referências

  1. «Ukraine rebel leader Zakharchenko 'wants 100,000 men'». BBC News (em inglês). 2 de fevereiro de 2015 
  2. «EU gets tough with Russian military leaders – and Soviet-era 'Sinatra'». The Guardian (em inglês). 16 de fevereiro de 2015 
  3. «Донецькі бойовики за ніч порахували голоси: "переміг" Захарченко» Donetski boiovyky za nitch porakhuvaly holosy: "peremih" Zakhartchenko. Pravda (em ucraniano). 3 de novembro de 2014 
  4. «Report on the human rights situation in Ukraine: 1 December 2014 to 15 February 2015» (PDF). Office of the United Nations High Commissioner for Human Rights. p. 4, 9 
  5. «Urgent Action: Imprisoned Journalist Must Be Released» (PDF) (Nota de imprensa). Amnesty International 
  6. «Journalist im Hungerstreik | Amnesty International». www.amnesty.de (em alemão) 
  7. a b «Стали известны обстоятельства гибели Захарченко» Stali izvestny obstoiatelstva gibeli Zakhartchenko. Lenta (em russo). 31 de agosto de 2018 
  8. «Ukraine crisis: Blast kills top Donetsk rebel Zakharchenko». BBC (em inglês). 31 de agosto 2018 
  9. «После убийства Захарченко Путин пообещал, что "Россия всегда будет с народом Донбасса"» Posle ubiistva Zakhartchenko Putin poobeschal, tchto "Rossia vsegda budet s narodom Donbassa". NEWSru.com (em russo). Consultado em 2 de setembro de 2018 
  10. «Donbass will not forgive Zakharchenko's murder – acting head of LPR». TASS (em inglês). 1 de setembro de 2018. Consultado em 1 de setembro de 2018 
Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Categoria no Commons
Wikinotícias Notícias no Wikinotícias