República Popular de Lugansk

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Луганская народная республика
(Luganskaya narodnaya respublika)

República Popular de Lugansk
Flag of Lugansk People's Republic.svg
COA LPR oct 2014.svg
Bandeira da República Popular de Lugansk Brasão da República Popular de Lugansk

Localização de

Capital Lugansk
Cidade mais populosa Lugansk
Língua oficial Ucraniano e Russo
Governo República
 - Chefe de Estado Leonid Pasechnik
 - Primeiro-ministro Sergey Kozlov
 - Comandante da Guarda de Lugansk German Prokopyev
Independência da Ucrânia  
 - Estabelecida 27 de abril de 2014 
 - Referendo 11 de maio de 2014 
 - Declarada 12 de maio de 2014 
População  
 - Estimativa para 2018 1 464 039 hab. 
Fuso horário (UTC+2)
 - Verão (DST) (UTC+3)

A República Popular de Lugansk (RPL, em russo: Луганская народная республика) é uma entidade estatal não reconhecida[1] na Europa Oriental. Juntamente com a República Popular de Donetsk, é uma das entidades políticas não reconhecidas no território de Donbas.

A República Popular de Lugansk foi proclamada na região de Luhansk, na Ucrânia, a 27 de abril de 2014, durante protestos em massa contra a nova liderança do país, que chegou ao poder como resultado da Euromaidan. A 12 de maio, após o referendo sobre a autodeterminação da República Popular de Luhansk realizado um dia antes, conforme os resultados anunciados pelos organizadores, 96,2% dos eleitores apoiaram a independência da região e a criação da República Popular de Luhansk,[2] as autoridades da RPL declararam a independência, expressaram o seu desejo de aderir à Rússia, e assinaram um acordo com a República Popular de Donetsk para criar a Nova Rússia[3] (um ano mais tarde, o acordo foi congelado de modo a implementar os acordos de Minsk). A 11 de junho de 2014, a RPL pediu à Federação Russa, bem como a 14 outros Estados, que reconhecessem a sua independência.[4] Até à data, a independência da República Popular de Luhansk foi parcialmente reconhecida pelo estado da Ossétia do Sul.[5][6][7][8][9]

Conforme a Constituição da Ucrânia, o território reivindicado pela RPL é parte integrante da Ucrânia. A maior parte do território da RPL reivindicado é controlado pelas autoridades ucranianas; o resto do território da RPL não controlado pelas autoridades ucranianas é considerado pelas autoridades ucranianas como território temporariamente ocupado pelas forças armadas russas, e as estruturas do RPL são consideradas pela Ucrânia como "administração de ocupação russa" ao abrigo da lei "Sobre a garantia dos direitos e liberdades dos cidadãos e regime jurídico em território temporariamente ocupado da Ucrânia". Por sua vez, durante o início do conflito armado, os deputados do conselho regional da região de Luhansk declararam que a vontade dos cidadãos que votaram no referendo do LNR deveria ser respeitada,[10] enquanto o presidente do conselho regional descreveu a operação de força do governo ucraniano como "terrorista e dirigida contra o povo",[11][12] enquanto a Rússia rejeita as acusações do seu envolvimento no conflito armado em Donbas, em geral,[13] e na ocupação dos territórios ucranianos em particular.[14] No dia 11 de outubro de 2018, foram realizadas eleições, vencidas por Leonid Pasechnik com mais de 68% dos votos.[15]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Predefinição:Статья — «Moreover, new contested territories that could be described as de facto states have emerged, most notably the Donetsk People’s Republic and the Luhansk People’s Republics in Ukraine. These two newest additions to the universe of de facto states have started to create some of the trappings of statehood, although the extent of „indigenous roots‟ is still debatable.“
  2. «Главой провозглашенной Луганской народной республики избран Валерий Болотов». ТАСС (em russo). 18 de maio de 2014. Consultado em 24 de fevereiro de 2021. Cópia arquivada em 31 de outubro de 2014  Parâmetro desconhecido |deadlink= ignorado (ajuda)
  3. „Донецкая Народная Республика“ хочет объединиться с Луганской областью
  4. Луганская Народная Республика обратилась к России с просьбой о признании её независимости
  5. Южная Осетия признала независимость Луганской народной республики | В мире | Политика | Аргументы и Факты
  6. Южная Осетия признала независимость Луганской народной республики
  7. Южная Осетия признала независимость Луганской народной республики | EastKorr — Восточный корреспондент
  8. Lenta.ru: Бывший СССР: Украина: Южная Осетия признала независимость ЛНР
  9. Южная Осетия признала независимость Луганской народной республики
  10. «Заявление президиума Луганского областного совета». Официальный сайт Луганского облсовета. 12 de maio de 2014. Cópia arquivada em 23 de junho de 2014 
  11. Облсовет Луганщины готов ко всему — Росбалт.ру
  12. Диалог или ультиматум? | Луганский областной совет
  13. «Минобороны России опровергло утверждения НАТО о участии военных РФ в конфликте на Украине». ТАСС. Consultado em 14 de abril de 2019 
  14. «Песков: Россия готова разъяснить любому украинцу, что не оккупирует территории Украины». ТАСС. Consultado em 14 de abril de 2019 
  15. Líderes pró-Rússia vencem eleições em áreas separatistas no leste da Ucrânia, acesso em 13 de novembro de 2018.
Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.