All Saints (álbum)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde dezembro de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
All Saints
Álbum de estúdio de All Saints
Lançamento Reino Unido 24 de novembro de 1997
Gravação 1997
Gênero(s)
Duração 60:45
Idioma(s) Inglês
Gravadora(s) London Records
Produção
  • Cameron McVey
  • Magnus Fiennes
  • Karl "K-Gee" Gordon
  • John Benson Brooks
  • Johnny Douglas
  • Nellee Hooper
  • Neville Henry
  • Karen Gibbs
Certificação BPI - 5× Platina[2]
Opiniões da crítica

O parâmetro das opiniões da crítica não é mais utilizado. Por favor, mova todas as avaliações para uma secção própria no artigo. Veja como corrigir opiniões da crítica na caixa de informação.

Cronologia de All Saints
Último
The Remix Album
(2000)
Próximo
Singles de All Saints
  1. "I Know Where It's At"
    Lançamento: 18 de Agosto de 1997
  2. "Never Ever"
    Lançamento: 19 de Novembro de 1997
  3. "Under the Bridge / Lady Marmalade"
    Lançamento: 27 de Abril de 1998
  4. "Bootie Call"
    Lançamento: 31 de Agosto de 1998
  5. "War of Nerves"
    Lançamento: 23 de Novembro de 1998

All Saints é o auto-intitulado álbum de estreia do grupo britânico All Saints. Foi lançado em 24 de novembro de 1997 pela London Records. As All Saints trabalharam com vários produtores no álbum; Entre eles Cameron McVey, John Benson, Johnny Douglas, Karl "K-Gee" Gordon, Magnus Fiennes, Nellee Hooper, Karen Gibbs e de Neville Henry.[1] Musicalmente, o álbum é inspirado em música eletrônica, hip hop, R&B, swing, synthpop, trip hop e garagem britânica.[1]

Após o seu lançamento, o álbum recebeu críticas mistas de críticos de música, muitos críticos elogiaram a escolha dos singles e a direção musical do grupo. O álbum gerou três singles número um no Reino Unido: "Never Ever", o duplo lado A "Under the Bridge" e "Lady Marmalade", e "Bootie Call", assim como as "I Know Where It's At" (#4) e "War of Nerves" (#7).

Recepção da crítica[editar | editar código-fonte]

O álbum recebeu críticas mistas dos críticos de música. Muitos críticos elogiaram a escolha dos singles e a direção musical do grupo, enquanto alguns não gostaram da direção das músicas e sentiram que não tinham personalidade. Nick Butler de Sputnikmusic deu-lhe uma revisão mista, concedendo-lhe duas estrelas e meia de cinco. Ele sentiu que a direção musical e som "não combinaram bem", mas elogiou a criatividade do grupo, onde o grupo era mais agradável do que suas rivais Spice Girls, como ele Afirmou que elas eram "consideradas a alternativa credível para as Spice Girls." [3] Mas, devido a comparações com as Spice Girls, ele afirmou: "Eu ainda gosto muito dos singles quando os ouço", afirmou o diretor da revista, Mas se alguma vez houve alguma guerra entre os dois grupos, Todos os os dois perderam.[3]

Stephen Thomas Erlewine de AllMusic não classificou o álbum, mas deu-lhe uma revisão mista também. Através da rivalidade com as Spice Girls, ele sentiu que o disco das All Saints faltavam "personalidade", mas elogiou sua direção músical, dizendo: "Todas as quatro integrantes têm vozes melhores do que as Spices, e todas elas têm um verso escrito em pelo menos uma das músicas de seu álbum de estréia [...][4] Mais importante ainda, elas e seus produtores têm o melhor senso em tendências de dança contemporânea - de hip-hop e de clubes de ritmos, notáveis ao longo do disco [...][4] Ele destacou "Never Ever", "I Know Where It's At" e "Lady Marmalade" como as melhores faixas do álbum.[4]

Faixas[editar | editar código-fonte]

All Saints – UK Edition
N.º Título Compositor(es) Produtor(s) Duração
1. "Never Ever"   Shaznay Lewis ⋅ Sean Mather ⋅ Robert Jazayeri Cameron McVey ⋅ Magnus Fiennes 6:27
2. "Bootie Call"   Lewis ⋅ Karl (K-Gee) Gordon Gordon 3:36
3. "I Know Where It's At"   Lewis ⋅ Gordon ⋅ Walter Becker ⋅ Donald Fagen ⋅ Paul Griffin McVey ⋅ Fiennes ⋅ Gordon 5:08
4. "Under the Bridge"   Flea ⋅ John Frusciante ⋅ Anthony Kiedis ⋅ Chad Smith Gordon ⋅ Nellee Hooper 5:00
5. "Heaven"   All Saints ⋅ McVey ⋅ Fiennes McVey ⋅ Fiennes 4:48
6. "Alone"   Lewis ⋅ Gordon Gordon 3:35
7. "If You Wanna Party (I Found Lovin')"   Lewis ⋅ Gordon ⋅ Johnny Flippin ⋅ Michael Walker Johnny Douglas 4:13
8. "Trapped"   Melanie Blatt ⋅ Karen Gibbs John Benson ⋅ Neville Henry 4:58
9. "Beg"   Lewis ⋅ Benson ⋅ Douglas Benson ⋅ Douglas 4:00
10. "Lady Marmalade"   Bob Crewe ⋅ Kenny Nolan Benson ⋅ Douglas ⋅ Gibbs ⋅ Henry 4:02
11. "Take the Key"   Lewis ⋅ Gordon ⋅ Kirk Robinson ⋅ Nat Robinson Gordon 4:12
12. "War of Nerves"   Natalie Appleton ⋅ Nicole Appleton ⋅ McVey ⋅ Fiennes ⋅ Lewis McVey ⋅ Fiennes 5:10
13. "Never Ever" (All Star Mix) Lewis ⋅ Mather ⋅ Jazayeri McVey ⋅ Fiennes ⋅ Allen (All Star) Gordon (remixer) 4:38

Desempenho[editar | editar código-fonte]

No Reino Unido o álbum estreou no número doze, na semana que começa 6 dezembro 1997, antes de progredir a um pico de número dois em 17 janeiro 1998, onde remanesceu por três semanas consecutivas. Passou um total de 66 semanas no gráfico.[5] O álbum vendeu 1.469.771 cópias no Reino Unido.[6] Ele atingiu o pico entre os quarenta melhores em vários países e chegou ao top 10 na Suíça, Austrália, Nova Zelândia, Holanda e Canadá. O álbum foi certificado Platina nos Estados Unidos pelas vendas de mais de 1 milhão de cópias.[7]

Posições e Certificações[editar | editar código-fonte]

Chart (1998) Melhor
posição
Certificação
Australia (ARIA)[8] 4 2× Platina
Austria (Ö3)[9] 15
Canada (CANOE)[10] 10 3× Platina
Finlândia (Suomen virallinen lista)[11] 24
França (SNEP)[12] 19
Alemanha (Media Control)[13] 12 Ouro
Holanda (MegaCharts)[14] 10 Ouro
Nova Zelândia (RIANZ)[15] 2 Platina
Norway (VG-lista)[16] 12
Scottish Albums (OCC)[17] 2
Suécia (Sverigetopplistan)[18] 13
Suíça (Hitparade)[19] 3 Ouro
UK Albums (BPI)[2] 2 5× Platina[2][6]
US Billboard 200[20] 40 Platina[7]

Referências

  1. a b c «All Saints – All Saints (CD, Album) at Discogs». Discogs.com. Consultado em 12 April 2010. 
  2. a b c «BPI Certified Awards Search». British Phonographic Industry. Arquivado desde o original (insert "All Saints" into the "Search" box, and then select "Go") em July 1, 2016. Consultado em 2009-09-04. 
  3. a b c «Review: All Saints – All Saints». Sputnik. 17 January 2007. 
  4. a b c All Saints – All Saints Review www.allmusic.com.
  5. «All Saints – Chart Stats». Chartstats.com. Consultado em 12 April 2010. 
  6. a b Jones, Alan (15 April 2016). «Official Charts Analysis: The Lumineers' second album, Cleopatra debuts at No.1». Music Week Intent Media [S.l.] Consultado em 15 April 2016. (pede subscrição (?)). 
  7. a b Sexton, Paul (18 November 2006). Back for Good? Take That, All Saints Return To Records Shops. Billboard [S.l.: s.n.] Consultado em 5 January 2012. 
  8. «Australian Charts > All Saints». australian-charts.com Hung Medien. Consultado em 30 August 2008. 
  9. «Austrian Charts > All Saints». austriancharts.at Hung Medien. Consultado em 30 August 2010. 
  10. «Canadian Charts > All Saints». Consultado em 30 August 2010. 
  11. «Finnish Charts > All Saints». finnishcharts.com Hung Medien. Consultado em 30 August 2010. 
  12. «French Charts > All Saints» (em French). lescharts.com Hung Medien. Consultado em 30 August 2010. 
  13. «Chartverfolgung / All Saints / Longplay» (em German). musicline.de PhonoNet. Consultado em 30 August 2010. 
  14. «Dutch Album Charts > All Saints». dutchcharts.nl Hung Medien. Consultado em 30 August 2010. 
  15. «New Zealand Charts > All Saints». charts.org.nz Hung Medien. Consultado em 30 August 2008. 
  16. NorwegianCharts.com All Saints page. Accessed 29 October 2006
  17. «UK Charts > All Saints». Official Charts Company. Consultado em 30 August 2010. 
  18. «Swedish Charts > All Saints». Consultado em 30 August 2010. 
  19. «Swiss Charts > All Saints» (em German). Consultado em 30 August 2010. 
  20. «All Saints > US album Charts». Consultado em 30 August 2010. 
Ícone de esboço Este artigo sobre um álbum é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.