Under the Bridge

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
"Under the Bridge"
Single de Red Hot Chili Peppers
do álbum Blood Sugar Sex Magik
Lado B "Sikamikanico"
"Search and Destroy"
"Soul to Squeeze"
"Fela's Cock" (1994 re-edição)
Lançamento 10 de março de 1992
Formato(s) CD, cassete, 7", 12"
Gravação Abril–Junho de 1991 na The Mansion em Los Angeles, Califórnia, Estados Unidos
Gênero(s) Rock alternativo
Duração 4:24
Gravadora(s) Warner Bros. Records
Composição Anthony Kiedis, John Frusciante, Flea, Chad Smith
Cronologia de singles de Red Hot Chili Peppers
"Give It Away"
(1991)
"Suck My Kiss"
(1992)
Amostra de áudio
informação do ficheiro · ajuda

"Under the Bridge" é um single da banda americana Red Hot Chili Peppers, contida no álbum Blood Sugar Sex Magik como faixa de número onze. Esta música foi lançada em 1991 e fez um grande sucesso pelos Estados Unidos e pelo mundo. Ela foi escrita por Anthony Kiedis, o vocalista, e fala de sua relação com as drogas. Gail Frusciante, era uma cantora gospel (cuja participação podemos ouvir no coro de "Under the Bridge") tendo deixado a sua carreira para se tornar dona de casa.

Letra e significado[editar | editar código-fonte]

Kiedis escreveu para todos da banda grande parte da letra da música durante um período em que ele sentia-se perturbado e emocionalmente esgotado. Ele manteve a sobriedade por aproximadamente três anos e sentiu que isso o distanciou de seus colegas de banda. Enquanto o grupo trabalhava no Blood Sugar Sex Magik, Frusciante e Flea fumavam maconha juntos, ignorando e desprezando decisivamente Kiedis. Por causa disso Kiedis sentia que Frusciante "não estava em [seu] mundo."[1] Dirigindo de volta para casa após um ensaio em Abril de 1991, Kiedis sentiu um profundo sentimento de perda; seus melhores amigos, Flea e Frusciante, de alguma forma o deprimiam. O estado depressivo de sua mente o fez lembrar do vício em cocaína e heróina durante o relacionamento que teve com sua ex-namorada Ione Skye. O desânimo que ele estava apresentando juntamente com as lembranças de Skye e o uso de drogas anterior, levou a problemas emocionais: "a solidão que eu estava sentindo desencadeou memórias do meu tempo com Ione e como eu tinha esse belo anjo que estava disposta a me dar todo seu amor e ao invés de abraçar isso eu estava no centro com marginais injetando speedballs debaixo de uma ponte."[1]

Kiedis, sentindo o afastamento de seu colegas de banda, passou a acreditar que Los Angeles era sua única companheira: "Eu sentia um vínculo entre mim e a minha cidade. Eu passei muito tempo andando pelas ruas de L.A. e caminhando por Hollywood Hills que eu sentia que havia algo não-humano, talvez o espírito das colinas e da cidade, que me tinham nas suas paisagens e estavam cuidando de mim."[1] .[2] A parte "Sometimes I feel like/My only friend/Is the city I live in/The City of Angels/Lonely as I am/Together we cry" (Às vezes sinto que/Meu único amigo/É a cidade onde eu moro/A cidade dos anjos/Solitário como eu estou/Juntos nós choramos) mostra uma conexão direta entre o isolamento de Kiedis e seu senso de suscetibilidade. Apesar dessas emoções, Kiedis acreditava que sua vida sem o vício de drogas, dizendo a Rolling Stone que "não importa o quanto triste ou solitário as coisas estavam um milhão por cento melhor do que eram há dois anos quando eu estava usando drogas o tempo todo. Não havia comparação.[2] . O pensamento otimista levou ao nascimento do refrão da música: "I don't ever want to feel/Like I did that day/Take me to the place I love;" (Eu não quero me sentir/Como eu me senti naquele dia/Leve-me para o lugar que eu amo;) o lugar que ele ama estar com seu companheiros da banda, amigos e família.[2][3]

Um dos versos mais notáveis na música discute os efeitos nocivos das drogas, seu papel na destruição de muitos relacionamentos passados de Kiedis e o impacto na sua felicidade.[4] Baseado em uma das experiências de Kiedis, o verso de "Under de Bridge" ilustra seus esforços para entrar em um território de uma gangue embaixo de uma ponte para comprar drogas. Kiedis foi forçado a fingir que a irmã de um dos membros da gangue era sua noiva para ter a entrada permitida. Embora tenha conseguido a droga, Kiedis considera esse momento como um dos piores de sua vida pois demonstrou o nível em que ele estava disposto a afundar para alimentar seu vício.[2][4] Por causa disso o cantor recusa-se a confirmar a localização da ponte, mas ele revela que é no centro de Los Angeles.[2]

Formatos e faixas[editar | editar código-fonte]

CD (1992)
  1. "Under the Bridge" – 4:24
  2. "Sikamikanico" – 3:23
  3. "Soul to Squeeze" – 4:50
  4. "Search and Destroy" – 3:34
7", cassete (1992)
  1. "Under the Bridge" – 4:24
  2. "The Righteous & the Wicked" (álbum) – 4:08
12" (1992)
  1. "Under the Bridge" – 4:24
  2. "Search and Destroy" – 3:34
  3. "Soul to Squeeze" – 4:50
  4. "Sikamikanico" – 3:23

Posições nos gráficos[editar | editar código-fonte]

Gráfico Melhor posição
Estados Unidos Billboard Hot 100[5] 2
Estados Unidos Hot Modern Rock Tracks[6] 2
Estados Unidos Hot Mainstream Rock Tracks[6] 6
Reino Unido UK Top 40 (1992/1994 relançado)[7] 26 / 13
Austrália ARIA Top 40[8] 1
República da Irlanda Ireland Top 40[9] 20
Noruega VG-lista Top 20[10] 10

Versão de All Saints[editar | editar código-fonte]

"Under the Bridge"
Single de All Saints
do álbum All Saints
Lado B "No More Lies"
"Get Bizzy"
Lançamento 27 de abril de 1998
Formato(s) Cassete, CD single
Gravação 2002
Gênero(s)
Duração 5:00
Gravadora(s) London Records
Produção Karl Gordon, Cameron McVey, Magnus Fiennes
Cronologia de singles de All Saints
"Never Ever"
(1997)
"Lady Marmalade"
(1998)

"Under the Bridge" foi o terceiro single lançado do auto-intitulado álbum do girl group britânico-canadense All Saints. Tornou-se o segundo número-um das meninas no UK Singles Chart. Um total de 424.799 singles foram vendidos no Reino Unido. A regravação da canção dos Chili Peppers foi lançada como um duplo lado A, com a canção "Lady Marmalade", também uma regravação, das LaBelle. Na Europa, apenas o single "Lady Marmalade" foi lançado. Os lucros do single foram doados como forma de caridade, às vítimas do Cancro de mama.

Informações[editar | editar código-fonte]

A regravação de "Under the Bridge" foi ligeiramente alterado porque continha letras pessoais de Anthony Kiedis, e as All Saints a regravaram porque gostaram do som e da sensação da gravação. A versão das All Saints, contém amostras da gravação original, sendo a mais importante a guitarra distintiva tocada no começo. A edição original japonesa da versão do álbum apresenta uma versão diferente, mais R&B/pop da música. Kiedis disse sobre a versão das Saints: "Era meio engraçado, elas pareciam tão bonitas e limpas, parecia que elas não sabiam do que estavam cantando". A original do Chili Peppers trata liricamente sobre a toxicodependência de Kiedis, e a parte final que contem a frase "Debaixo da ponte do centro da cidade, É onde eu perdi um pouco de sangue/"It was kind of funny, they looked so pretty and clean, it looked like they didn't know what they were singing about". foi retirada da versão das All Saints. A guitarra em "Under the Bridge" foi interpretada por Richard Hawley.[11]

Vídeoclipe[editar | editar código-fonte]

O os vídeo foi filmados em um set que custa £500.000. Os vídeo levou quatro meses de produção antes do lançamento. As meninas optaram por realizar suas próprias manobras no vídeo.

O vídeo se passa em uma grande cidade futurista. No vídeo de "Lady Marmalade", há uma festa que faz com que vários andares de um edifício alto, caia. O vídeo "Under the Bridge" parece ser passar imediatamente depois, como já há um buraco no chão da sala, Que parece ser um poço sem fundo. onde as garotas parecem estrem presas, sem nem um artificio de saída. O efeito dimensional 3D foi gerado por um computador e feito pela equipe que também fez o filme Batman & Robin (Batman & Robin).

Faixas e formatos[editar | editar código-fonte]

CD 1
1. "Under the Bridge" 5:03
2. "Lady Marmalade" 4:04
3. "No More Lies" 4:08
4. "Lady Marmalade" (Henry & Haynes La Jam mix) 9:23
5. "Under the Bridge" (promo video) 5:00
CD 2
1. "Lady Marmalade" (Mark!'s Miami Madness mix) 7:56
2. "Lady Marmalade" (Sharp South Park vocal remix) 8:10
3. "Under the Bridge" (Ignorance remix featuring Jean Paul e.s.q) 4:55
4. "Get Bizzy" 3:45
"Lady Marmalade" single

(Released in EU only)

1. "Lady Marmalade" ('98 mix) 4:03
2. "Lady Marmalade" (MARK's Miami Madness mix) 7:56
3. "Lady Marmalade" (Sharp South Park vocal remix) 8:10
4. "Lady Marmalade" (Henry & Haynes La Jam mix) 6:48

Posições nos gráficos[editar | editar código-fonte]

País Data Posição Certificação Vendas
 Reino Unido 3 de maio de 1998 1[12] Ouro 429,000
 Irlanda 30 de Abril de 1998 3[13]    
 Nova Zelândia 31 de maio de 1998 4[14]    
 Austrália 18 de outubro de 1998 5[15] ouro 35,000
 Finlândia Maio de 1998 10[16]    
 Países Baixos Maio de 1998 12[17]    
 Noruega Maio de 1998 16[18]    
 Suécia 29 de maio de 1998 16[19]    
 França 18 de julho de 1998 28[20] / 31[21] Ouro 50.000
 Áustria 21 de junho de 1998 28[22]    
 Canadá 9 de novembro de 1998 11    
Suíça 13 de setembro de 1998 45[23] / 24[24]    

Referências

  1. a b c Kiedis, Sloman, 2004. pp. 265–266
  2. a b c d e David Fricke (25 de junho de 1992). «The Naked Truth». Rolling Stone. Cópia arquivada desde o original em October 13, 2007. Consultado em 10 de agosto de 2007  Verifique data em: |archive-date= (ajuda)
  3. Red Hot Chili Peppers Funky Monks. Warner Bros. Records. May 1992.
  4. a b Apter, 2004. pp. 223–225
  5. «'Under the Bridge' Chart Performance Week Of June 20, 1992». Billboard. Consultado em 21 de abril de 2008 
  6. a b «Red Hot Chili Peppers Artist Chart History: Singles». Billboard. Consultado em 3 de outubro de 2007 
  7. Roberts, David, ed. (2006), British Hit Singles & Albums 19th ed. , HIT Entertainment, ISBN 1-90499-410-5 
  8. «Australian Singles Chart Archives». australian-charts.com. Consultado em 22 de abril de 2008 
  9. «Search the Charts». IrishCharts.ie. Consultado em 2 de outubro de 2007 
  10. «Norwegian Singles Chart Archive». norwegiancharts.com. Consultado em 22 de abril de 2008 
  11. Dorian Lynskey. «Dorian Lynskey meets Arctic Monkeys' Alex Turner and solo artist Richard Hawley | Music | The Guardian». Music.guardian.co.uk date=5 de Novembro de 2016. Consultado em 5 de Novembro de 2016 
  12. Roberts, David (2006). British Hit Singles & Albums 19th ed. London: Guinness World Records Limited. p. 620. ISBN 1-904994-10-5 
  13. Jaclyn Ward – Fireball Media Group (5 de Novembro de 2016). «The Irish Charts – All there is to know». Irishcharts.ie. Consultado em 5 de Novembro de 2016 
  14. Steffen Hung (5 de Novembro de 2016). «All Saints – Under The Bridge». charts.org.nz. Consultado em 5 de Novembro de 2016 
  15. «australian-charts.com – All Saints – Under The Bridge». Hung Medien. 5 de Novembro de 2016. Consultado em 5 de Novembro de 2016 
  16. Steffen Hung (5 de Novembro de 2016). «All Saints – Under The Bridge». finnishcharts.com. Consultado em 5 de Novembro de 2016 
  17. «All Saints – Under The Bridge/ Lady Marmalade». top40.nl. 5 de Novembro de 2016. Consultado em 5 de Novembro de 2016 
  18. Steffen Hung (5 de Novembro de 2016). «All Saints – Under The Bridge». norwegiancharts.com. Consultado em 5 de Novembro de 2016 
  19. Steffen Hung (5 de Novembro de 2016). «All Saints – Under The Bridge». swedishcharts.com. Consultado em 5 de Novembro de 2016 
  20. Steffen Hung (5 de Novembro de 2016). «All Saints – Lady Marmalade». lescharts.com. Consultado em 5 de Novembro de 2016 
  21. Steffen Hung (5 de Novembro de 2016). «All Saints – Under The Bridge». lescharts.com. Consultado em 5 de Novembro de 2016 
  22. Steffen Hung (5 de Novembro de 2016). «All Saints – Under The Bridge». austriancharts.at. Consultado em 5 de Novembro de 2016 
  23. Steffen Hung (5 de Novembro de 2016). «All Saints – Lady Marmalade». swisscharts.com. Consultado em 5 de Novembro de 2016 
  24. Steffen Hung (5 de Novembro de 2016). «All Saints – Under The Bridge». swisscharts.com. Consultado em 5 de Novembro de 2016 
Ícone de esboço Este artigo sobre um single é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.