American History X

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
American History X
No Brasil A Outra História Americana
Em Portugal América Proibida
 Estados Unidos
1998 •  cor •  119 min 
Direção Tony Kaye
Produção John Morrissey
Produção executiva Kearie Peak
Steve Tisch
Lawrence Turman
Bill Carraro
Roteiro David McKenna
Elenco Edward Norton,
Edward Furlong,
Beverly D'Angelo
Jennifer Lien
Ethan Suplee
Fairuza Balk
Género filme de policial
filme de drama
Música Anne Dudley
Direção de fotografia Tony Kaye
Edição Alan Heim
Gerald "Jerry" B. Greenberg
Idioma inglês
Orçamento U$ 20 milhões
Receita U$ 23,875,127[1]
Página no IMDb (em inglês)

American History X (bra: A Outra História Americana[2]; prt: América Proibida[3]) é um filme estadunidense de 1998, do gênero drama policial, dirigido por Tony Kaye com roteiro de David McKenna.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Danny Vinyard (Edward Furlong) é um adolescente bastante influenciável, e que sente uma enorme admiração pelo irmão mais velho, Derek Vinyard (Edward Norton). Os irmãos fazem parte de uma família abalada pela perda precoce do pai, um bombeiro, que enquanto atendia a uma ocorrência em um bairro negro acabou por ser baleado.

Incitado pelo fato, Derek desenvolve ódio aos negros e às minorias, e influenciado por um líder local, torna-se uma espécie de liderança juvenil para um grupo de skinheads, que prega o ódio pelos negros e imigrantes. Uma noite Danny avisa ao seu irmão que três homens negros estavam tentando roubar o carro de seu falecido pai. Derek é preso após matá-los brutalmente. A estadia na prisão o tornou herói da comunidade neo-nazista e sua figura torna-se exemplo para os jovens brancos e excluídos do seu bairro, que o idolatram e seguem a mesma doutrina que ele seguiu. Danny, que por diversos motivos admira o irmão, começa a seguir os passos do mesmo.

Devido as experiências passadas na prisão, Derek questiona seus valores racistas com a mesma veemência que as construiu. No decorrer de um único dia, tanto Derek quanto Danny relembrarão episódios do passado que os fizeram chegar àquele ponto e terão suas vidas radicalmente transformadas.

Racismo[editar | editar código-fonte]

O racismo - bem como outras discriminações, como a de judeus - praticado pela comunidade neonazista sofre é apontado a fim de retratar o grupo, mas o debate levantado pelo filme não se limita a isso. É possível concluir até mesmo que a principal discussão que se desenvolve em torno do tema é sobre como o racismo persiste nos meios social e familiar dos personagens, sendo o principal exemplo do segundo caso a inferência ao final do filme, por Danny, de que as imersões, sua e de seu irmão, no racismo começara muito antes das relações com o neonazismo, pois seu pai já demonstrava comportamento racista há muito tempo.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Óscar


Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «A outra historia americana» 
  2. «A Outra História Americana». Brasil: CinePlayers. Consultado em 13 de janeiro de 2019 
  3. «América Proibida». Portugal: CineCartaz. Consultado em 13 de janeiro de 2019 
  4. «71.º Oscar - 1999». CinePlayers. Consultado em 13 de janeiro de 2019 
Ícone de esboço Este artigo sobre um filme estadunidense é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.