Andrew Eldritch

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde fevereiro de 2013). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Andrew Eldritch
Andrew Eldritch em apresentação com o grupo em Moscou (2009)
Informação geral
Nome completo Andrew William Harvey Taylor
Também conhecido(a) como Von
Nascimento 15 de maio de 1959 (60 anos)
Local de nascimento Ely, Cambridgeshire
 Inglaterra
País  Reino Unido
Gênero(s) Rock gótico, pós-punk, dark wave, hard rock
Ocupação(ões) vocalista, compositor
Instrumento(s) vocal, guitarra, teclado, percussão
Período em atividade 1979 - presente
Gravadora(s) Merciful Release / WEA
Afiliação(ões) The Sisters of Mercy, The Sisterhood, SSV

Andrew Eldritch (15 de maio de 1959), nome artístico de Andrew William Harvey Taylor, é vocalista, compositor, músico e o único integrante que remanesce da formação original do The Sisters of Mercy, banda que surgiu a partir da cena pós-punk britânica, logo se destacou como uma das principais bandas do rock gótico da Inglaterra. O The Sisters of Mercy, tentou continuar ou seguir os passos dos Stooges, atingindo o auge em meados dos anos 80. Até hoje, a banda continua instável, pela rotatividade dos seus integrantes. O suposto motivo para tantas rupturas na formação do The Sisters of Mercy surge do boato que Andrew possui um temperamento com extremo mau-humor, frequentemente discordando das ideias apresentadas através dos demais integrantes. Andrew mantém a banda ativa, exibindo um visual novo com sua voz inconfundível, impressionando fãs a cada dia. [1]

Antes do The Sisters of Mercy[editar | editar código-fonte]

Andrew Eldritch, nasceu na pequena cidade Catedral de Ely, em Cambridgeshire, Inglaterra, em 1959. Eldritch depois escreveu uma canção chamada 1959, aludindo ao ano de seu nascimento, começando com a frase "Viver como anjo no lugar que eu nasci" (Living as angel in the place that I was born)

Eldritch estudou literatura francesa e alemã na Universidade de Oxford antes de morar nos arredores de Leeds, em 1978, para estudar chinês mandarim na Universidade de Leeds, porém deixou ambos os cursos antes de obter um grau (hoje ele fala fluentemente francês e alemão, e possui alguns conhecimentos da língua neerlandesa, italiano, russo, servo-croata e latin, mas alega que esqueceu o chinês que aprendeu). Durante este período, foi um terrível baterista freelance na cena punk local de Leeds (em sua própria opinião, bem mau).

O "The Sisters Of Mercy"[editar | editar código-fonte]

Em 1980, Andrew Eldritch e Gary Marx formaram o The Sisters of Mercy. Sobre o primeiro single, "Damage Done/Watch/Home of the Hit-men", Eldritch tocou bateria, uma tarefa que mais tarde foi substituída pela máquina Doktor Avalanche, permitindo-lhe se concentrar mais em seu desempenho vocal. Ao longo dos anos, nove membros deixaram o grupo, vários citando conflitos com o frontman Eldritch, como razão para a sua partida. Dentre estes incluem-se Patricia Morrison, alegando ela ser mau remunerada, pois recebia em média £300 por mês para dedicar-se profissionalmente ao The Sisters of Mercy, enquanto as mais conhecidas rixas foram entre Wayne Hussey e Eldritch, com quem teve uma disputa pessoal que contribuiu para críticas pesadas de ambos pela imprensa da música popular durante os anos 80. Hussey formou uma outra banda a qual passou a se chamar The Mission como resultado desse conflito.

A década de 1990[editar | editar código-fonte]

Após a liberação da faixa do último álbum de estúdio, Vision Thing, Andrew Eldritch fez contribuições vocais para Gary Moore e Sarah Brightman em gravações de estúdio. Na tentativa de compreensão inter-cultural, iniciou uma turnê de 1991, U.S. Tour of The Sisters of Mercy, num trio com as bandas Gang of Four e o hip-hop de Public Enemy. Em 1995 foi entrevistado por David Bowie na edição alemã da revista Rolling Stone. Impedidos por obrigações contratuais, de que sejam exibidos em seu próprio nome, ele é também alvo de rumores por ter produzido um álbum de grupo de techno sob vários pseudônimos durante a década de 1990, um boato que ele não negaria quando lhe perguntaram sobre isso.

Em 1997, Eldritch produziu o álbum SSV "Go figura", com sua voz durante a batida de música eletrônica. O álbum finalmente libertou-o de suas obrigações contratuais, como a EastWest concordou em renunciar aos seus pedidos de mais dois álbuns do The Sisters Of Mercy em troca das gravações. Contudo as faixas SSV nunca foram oficialmente lançadas. O nome da banda é SSV-NSMABAAOTWMODAACOTIATW, onde disse ele que deve ser o acrônimo para "Screw Shareholder Value - Not So Much A Band As Another Opportunity To Waste Money On Drugs And Ammunition Courtesy Of The Idiots At Time Warner" (Não é tanto uma banda como outra oportunidade para perder dinheiro com drogas e munições cortesia dos idiotas na Time Warner).

Recentemente[editar | editar código-fonte]

Agora, em semi-aposentadoria de sua carreira musical - O The Sisters Of Mercy ainda faz pequenas turnês (depois de ter desempenhado a turnê 69-data, no primeiro semestre de 2006), mas nenhum novo material foi gravado, desde quando foi liberada a venda em 1993. Apesar disso, a banda continua a fazer novos materiais ao vivo semestralmente e tocando de forma anônima, sob pseudônimos em seu templo particular em Leeds.

Em Fevereiro de 2006 o "Bite the Silver Bullet Tour" começou em Las Vegas, Estados Unidos, dando continuidade em toda Alemanha, Estados Unidos da América, França, Grécia, Itália e Reino Unido, além de muitos outros países europeus.

Composição musical e filosofia[editar | editar código-fonte]

Andrew Eldtritch, fevereiro de 2006

As técnicas de composição de Andrew Eldritch são incluir alusões literárias (as mais visíveis são para as obras de Thomas Stearns Eliot, Leonard Cohen e William Shakespeare), imagens eróticas, metáforas da cultura da droga, e um intempestivo entre críticas do Partido Republicano (Estados Unidos), com o qual Eldritch frequentemente afirma ter um relacionamento de "ódio", tendo em conta a Família Bush, cristãos fundamentalistas e do Complexo militar industrial. Politicamente, ele afirmou ser "tradicionalmente um apoiante do Partido Trabalhista (Reino Unido)", apesar das suas tendências Anarco-Sindicalistas.[carece de fontes?]

Associações Góticas[editar | editar código-fonte]

Embora Andrew Eldritch é muitas vezes chamado o "Padrinho Gótico", o The Sisters of Mercy apesar de ser formado em 1980, foi inicialmente não muito popular no cenário pós-punk, sub-gênero que a imprensa britânica, no início de 1980 tinha rotulado, tanto os artistas quanto seu público gótico. O The Sisters of Mercy, foram, no entanto, acusados pela imprensa de plagiar Joy Division, que foram comercializados pela sua gestão como "gótica" no final dos anos 70.

O The Sisters of Mercy teriam um grande impacto sobre a segunda onda de góticos que veio no final dos anos 1980 e início dos anos 1990: a utilização de bateria eletrônica, atonalidade e vocais graves, um estilo utilizado por muitos na segunda geração gótica em bandas que foram inspiradas pelo The Sisters of Mercy, e que não eram comuns entre a primeira geração.

Desde o início dos anos 90, Eldritch tinha rejeitado publicamente associações com a subcultura gótica. Ele descreve o The Sisters of Mercy como humanista, modernista, e implica que quer nada a ver com gótico, declarando: it's disappointing that so many people have in all seriousness adopted just one of our many one-week-of-stupid-clothes benders. Embora esteja a gostar de usar óculos escuros, ele observa também que, sem ironia, ""I'm constantly confronted by representatives of popular culture who are far more goth than we, yet I have only to wear black socks to be stigmatised as the demon overlord." ("Eu sou constantemente confrontado pelos representantes da cultura popular que são muito mais góticos do que nós, mas tenho apenas a usar meias pretas para ser estigmatizado como o demônio suserano.")

Referências

  1. Carlos Simões. «Por onde anda o Sisters of Mercy?». Anos 80. Consultado em 10 de fevereiro de 2013