Gary Moore

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde janeiro de 2015). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Gary Moore
Moore em concerto ao vivo em 2008
Informação geral
Nome completo Robert William Gary Moore
Nascimento 4 de abril de 1952
Local de nascimento Belfast, Irlanda do Norte
Reino Unido
Morte 6 de fevereiro de 2011 (58 anos)
Local de morte Estepona, Málaga, Espanha
Gênero(s) Blues-rock, hard rock, heavy metal, blues, rock progressivo
Ocupação(ões) Músico
Instrumento(s) Vocais, guitarra, baixo, harmônica, teclados
Modelos de instrumentos Fender Stratocaster, Gary Moore Signature Les Paul
Período em atividade 1969–2011
Outras ocupações Cantautor, produtor musical
Gravadora(s) Virgin, Charisma, Eagle
Afiliação(ões) Skid Row, Thin Lizzy, Colosseum II, Phil Lynott, Greg Lake, BBM, G-Force, B.B. King
Página oficial gary-moore.com

Robert William Gary Moore (Belfast, 4 de abril de 1952Estepona, 6 de fevereiro de 2011[1]), mais conhecido pelo nome artístico de Gary Moore, foi um conceituado guitarrista e compositor de blues e hard rock, misturando até e o rock progressivo. Muitos o consideram como um dos mais completos guitarristas da história.

Biografia[editar | editar código-fonte]

A vida de quem cresceu em meio às bombas do Exército Republicano Irlandês (IRA) e às brigas religiosas do pós-guerra refletia-se em seu som de guitarra: extremamente triste e sofrido, mas também visceral e técnico quando solicitado.

Gary Moore é considerado um dos guitarristas mais completos da História do Rock, indo nos seus primeiros anos do Jazz Rock ao Hard Rock, passando por Baladas e o Blues.

Ele iniciou a trajetória profissional aos 16 anos de idade, tendo Jeff Beck, Eric Clapton, Peter Green e Jimi Hendrix como ídolos, e participando das gravações de um álbum da banda de folk Dr. Strangely Stranger. Pouco depois, Moore estava no Thin Lizzy (banda irlandesa), onde conheceu seu fiel comparsa, Mr. Phil Lynott.

Apesar do fanatismo pelo blues, o jazz também fazia sua cabeça, tanto que foi o estilo melhor explorado em seu primeiro álbum-solo, Grinding Stone (1973), e em sua breve jornada com a segunda encarnação do Colosseum, batizada de Colosseum II.

No Thin Lizzy, ele colaborou tocando em shows no inicio da banda, e no álbum Black Rose (1979).

Fez a sua carreira a solo e obteve muito sucesso pela Europa e Japão, com destaque em duas fases distintas: a mais pesada de discos como "Corridors Of Power, Victims Of Future e Wild Frontier" na década de 80 e a mais blueseira e comercialmente rentável de álbuns como Still Got the Blues (1990).

Os seus temas mais conhecidos são Parisienne Walkways, Still Got the Blues, Over The Hills and Far Away, Out In The Fields em parceria com Phil Lynott e Empty Rooms.

Morte[editar | editar código-fonte]

Gary morreu enquanto dormia ,em 6 de fevereiro de 2011, em um quarto de hotel em Estepona, na Espanha, horas depois de ter dado entrada no hotel. A causa da morte foi um ataque cardíaco devido ao excesso de bebidas. Os exames encontraram cerca de 380 miligramas de álcool por decilitro de sangue, sendo que a medida e 30 miligramas maior que a causadora comum de fatalidades desse tipo. [2]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Referências

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Gary Moore
Ícone de esboço Este artigo sobre músico é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.