Anier García

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Anier García
campeão olímpico
Atletismo
Nome completo Anier Octavio García Ortiz
Modalidade 110 m barreiras
Nascimento 9 de Março de 1976 (38 anos)
(Santiago de Cuba, Cuba
Nacionalidade Cuba cubana
Compleição Peso: 79 kg Altura: 1.89 m
Período em atividade 1994 - 2008
Medalhas
Jogos Olímpicos
Ouro Sydney 2000 110 m barreiras
Bronze Atenas 2004 110 m barreiras
Campeonatos Mundiais
Prata Sevilha 1999 110 m barreiras
Prata Edmonton 2001 110 m barreiras
Campeonatos Mundiais em Pista Coberta
Ouro Paris 1997 60 m barreiras
Prata Lisboa 2001 60 m barreiras
Prata Birmingham 2003 60 m barreiras
Taça do Mundo
Ouro Madrid 2002 110 m barreiras
Bronze Joanesburgo 1998 110 m barreiras
Jogos Pan-Americanos
Ouro Winnipeg 1999 110 m barreiras
Campeonatos Ibero-Americanos
Ouro Medellín 1996 110 m barreiras

Anier Octavio García Ortiz (Santiago de Cuba, 9 de março de 1976) é um antigo atleta cubano que foi campeão olímpico na prova de 110 metros com barreiras dos Jogos de Sydney 2000.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Cedo demonstrou as suas potencialidades, quando ganhou os Campeonatos Pan-Americanos de Juniores em 1995. No ano seguinte, participou nas sua primeiras Olimpíadas, em Atlanta, mas foi eliminado nos quartos-de-final.

Em 1997, conseguiu o seu primeiro título internacional como sénior, ao vencer os 60 m barreiras nos Campeonatos Mundiais de Pista Coberta realizados em Paris. Porém, nessa mesma temporada, apresentou-se nos Campeonatos Mundiais de Atenas com uma lesão numa perna o que o impediu de e apresentar na partida para a semi-final para a qual se tinha previamente qualificado. No ano de 1999, venceu os Jogos Pan-Americanos, mas foi apenas segundo nos Mundiais de Sevilha atrás de Colin Jackson.

O ponto mais alto da sua carreira chegou no ano 2000, culminando em setembro com a realização dos Jogos Olímpicos de Sydney. Depois de vencer todas as corridas que o conduziram à final (respetivas séries de eliminatórias, quartos-de-final e semi-finais), García tinha pela frente a tarefa de derrotar os outros grandes favoritos: os norte-americanos Terrence Trammell, Mark Crear e Allen Johnson e o inglês Colin Jackson. Fazendo uma corrida perfeita, chegou à meta em primeiro lugar com a considerável vantagem de 0.16 s sobre o segundo (Trammell) e com um novo recorde cubano de 13.00 s[1] . Com esta vitória, tornava-se o segundo atleta cubano a ser campeão olímpico, vinte e quatro anos depois de Alberto Juantorena.

Em 2001 repetiu a medalha de prata nos Campeonatos Mundiais de Edmonton e levou também a prta nos Campeonatos Mundiais de Pista Coberta de Lisboa 2001 e de Birmingham 2003. Depois de um período de lesões em 2003-2004, ainda conseguiu obter a medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de 2004.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Resultados dos 110 m barreiras masculinos nos J. O. de 2000, página visitada em 25 de julho de 2001.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]