Antoine Rigaudeau

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Antoine Rigaudeau
Informações pessoais
Nome completo Antoine Roger Rigaudeau
Data de nasc. 17 de dezembro de 1971 (47 anos)
Local de nasc. Cholet, Maine-et-Loire,  França
Apelido Le Roi (O Rei)
Informações no clube
Clube atual Aposentado
Posição
Clubes profissionais
Ano Clubes Partidas (pontos)
1987-1995
1995-1997
1997-2003
2003
2003-2005
França Cholet Basket
França Pau-Orthez
Itália Virtus Bologna
Estados Unidos Dallas Mavericks
Espanha Pamesa Valencia



11 (17)
Seleção nacional
1990-2005 França França 127 (1506)
Medalhas
Competidor da  França
Jogos Olímpicos
Prata Sydney 2000 basquetebol
Eurobasket
Bronze Sérvia e Montenegro 2005 basquetebol

Antoine Roger Rigaudeau (Cholet, 17 de dezembro de 1971) é um ex-basquetebolista profissional francês que atuava como Armador[1].

Atuando pelo Kinder Bologna ao lado de Manu Ginóbili, eles foram campeões da Euroliga em 2001.[2] Com a Seleção Francesa, ele conquistou a Medalha de Prata nos Jogos Olímpicos de Verão de 2000 em Sydney.[3]

Carreira em clubes[editar | editar código-fonte]

Cholet Basket (1978-1995)[editar | editar código-fonte]

Ele começou no basquete no Cholet Basket estreando aos 16 anos. Durante seu tempo no Cholet, ele ganhou quatro vezes o prêmio de MVP da Liga Francesa.

Durante este período, ele fez uma primeira tentativa de se juntar à NBA jogando a Summer League em Utah pelo Houston Rockets.

Pau-Orthez (1995-1997)[editar | editar código-fonte]

A fim de evoluir e ganhar titulos, ele se transferiu para o Pau-Orthez. Em sua primeiro torneio europeu, Rigaudeau marcou 34 pontos em uma vitória contra o Virtus Bologna além de 31 pontos em uma vitória por 69-67 sobre o Panathinaikos. Pau-Orthez acabou sendo eliminado pelo CSKA Moscou nas quartas de final.[4] Na Liga Francesa, eles ganharam o título contra o Asvel.

Ele jogou pouco em sua segunda temporada devido a contusões no cotovelo direito no tríceps. Essas lesões o tiraram também do EuroBasket de 1997.

Virtus Bologna (1997-2003)[editar | editar código-fonte]

Em 1997, ele assinou com o clube Virtus Bologna. O clube, liderado por Ettore Messina, tinha uma equipe impressionante: Radoslav Nesterovic, Zoran Savic, Hugo Sconochini e Alessandro Abbio. A equipe chegou ao Final Four da Euroliga de 1997 depois de eliminar o Fortitudo Bologna nas quartas-de-final. No Final Four em Barcelona, ​​Bologna venceu o Partizan Belgrado por 83-61 antes de vencer o AEK Athens na final por 58-44.[5] Rigaudeau foi o cestinha da final com 14 pontos. Ele conquistou o seu segundo troféu com o clube italiano ao vencer o Campeonato Italiano.

Na temporada seguinte, Rigaudeau tornou-se a estrela do clube italiano. Eles chegaram novamente a final da Euroliga, mas perdeu para o Žalgiris. O clube também falhou no campeonato italiano, perdendo nas semifinais dos playoffs contra o Varese, mas ganharam com a Copa da Itália.

No verão de 1999, ele fez outra tentativa de se juntar à NBA. O San Antonio Spurs, Utah Jazz e o New York Knicks, o abordaram, mas, ele preferiu continuar no Virtus depois que não foi oferecido uma vaga concreta nesses times.

Fora da Euroliga de 1999, o Virtus Bologna chegou à final da Copa Saporta. Seu adversário foi o AEK, que se vingou da final de 1998 e ganhou o título por 75-67.[6] Rigaudeau com uma lesão acabou não disputando a final. Ele faz o seu retorno durante os playoffs do campeonato italiano, onde o Virtus foi eliminado pelo Benetton Treviso.

Para a temporada de 2000-2001, o clube recebeu o reforço de Manu Ginobili vindo do Viola Reggio Calabria. O Virtus dominou o campeonato italiano sendo campeão contra o Fortitutdo. Ele também venceu a Copa da Itália contra o Victoria Libertas Pesaro. No cenário europeu, o Virtus venceu a final da Euroleague contra o clube espanhol Baskonia.[7]

Na temporada seguinte, o Virtus chegou ao Final Four da Euroliga, disputada em Bolonha. Depois de uma vitória na semi-final contra o Benetton Treviso por 90-82, ele perdeu a final contra o Panathinaikos.[8] Benetton se vingou eliminando o Kinder nas semis-finais do Campeonato Italiano antes de conquistar o título. O Virtus, no entanto, venceu novamente a Copa da Itália.

Na temporada seguinte, o clube começou a passar por problemas financeiros, ao mesmo tempo que o Dallas Mavericks, através de Donnie Nelson, filho e assistente do treinador dos Mavericks, Don Nelson, ofereceu a ele uma chance na NBA.[9]

Dallas Mavericks (2003)[editar | editar código-fonte]

O contrato entrou em vigor em janeiro de 2003, mas Don Nelson já tinha Steve Nash e Nick Van Exel como Armadores. Além disso, o jogo individualista e estereotipado da NBA não lhe permitiu demonstrar suas qualidades, ele não correspondeu como armador e acabou sendo deslocado para outras posições.

Rigaudeau acabou jogando apenas 11 jogos com a franquia texana com médias de 1,5 pontos e 0,5 assistências em 8 minutos de jogo, antes de fazer parte de uma troca entre Dallas e o Golden State Warriors.

Pamesa Valencia (2003-2005)[editar | editar código-fonte]

Rigaudeau assina com o Pamesa Valencia da Liga Espanhola de Basquetebol. Durante a sua estadia na liga, ele sofreu uma lesão no tendão de Aquiles do pé esquerdo que o manteve afastado por seis meses.

Em junho de 2005, Rigaudeau, que ainda tinha um contrato de um ano com o clube espanhol, anunciou o fim de sua carreira.[10]

Carreira na seleção[editar | editar código-fonte]

Começando na Seleção Francesa em 1990, sua primeira grande competição foi o EuroBasket de 1991 em Roma. A França, apesar de quatro derrotas em cinco jogos, terminou em quarto lugar, derrotada pela Espanha pela medalha de bronze.[11]

Os Blues não participaram dos Jogos Olímpicos de 1992 em Barcelona após o fracasso no torneio pré-olímpico em Granada. Sua segunda grande competição foi o EuroBasket de 1993. Esta competição foi um grande fracasso: a derrota para a Grécia nas quartas-de-final, tirou a França da Campeonato Mundial de Basquetebol de 1994.[12]

No EuroBasket de 1995, em Atenas, a França terminou em oitavo lugar com Rigaudeau tendo 13,3 pontos pontos por jogo.[13]

Ele participou do EuroBasket de 1999 na França. Rigaudeau foi o líder ofensivo da França, terminando a competição com médias de 15,5 pontos. Ele fez 18 pontos na decisiva vitória contra a Turquia nas quartas-de-final, uma vitória que os classificou para os Jogos Olímpicos de 2000. A competição terminou com duas derrotas, contra a Espanha na semifinal e depois contra a Iugoslávia pela medalha de bronze.[14]

A competição em Sydney não está sob os melhores auspícios: depois de uma derrota de 25 pontos contra a Iugoslávia poucos dias antes da competição, Rigaudeau criticou a preparação: "Estamos letárgicos, especialmente em nossa agenda." Apesar dos problemas, a Seleção Francesa chegou a final mas perdeu para os Estados Unidos por 85-75.

Algum tempo antes do EuroBasket de 2001, ele anunciou sua aposentadoria internacional, justificando-o com "desgaste mental e físico" mas a verdadeira razão estava no modo de operação da seleção.[15]

O novo treinador Claude Bergeaud o convenceu a voltar a seleção para o EuroBasket de 2005, que se realizava na Sérvia e Montenegro. Rigaudeau compartilhou a liderança com o outro grande nome do basquete francês, Tony Parker. Sua ciência do jogo dominou os confrontos contra a Sérvia e Montenegro e depois contra a Lituânia para chegar às semifinais e se classificar para o Mundial de 2006. Na semifinal, eles perderam para a Grécia com Rigaudeau perdendo dois lances livres no último minuto. A competição terminou com uma medalha de bronze obtida graças a uma esplêndida vitória sobre a Espanha.[16]

Pós-carreira[editar | editar código-fonte]

Em julho de 2006, um grupo de cinco acionistas, dos quais Rigaudeau é vice-presidente, liderado por Essar Gabriel, assumiu 80% do Paris Basket Racing. Rigaudeau torna-se o diretor de esportes do clube. Ele então se tornou vice-presidente dedicado ao esporte, treinamento e desenvolvimento da Levallois Metropolitans após a fusão do PBR e do Levallois SCB.[17]

Carreira de treinador[editar | editar código-fonte]

Em 3 de junho de 2015, ele assumiu como treinador do Levallois Metropolitans.[18] Ele se demitiu no final de dezembro de 2015 com um recorde de cinco vitórias em quinze jogos.[19]

Honras e Prêmios[editar | editar código-fonte]

Clubes[editar | editar código-fonte]

  • Vencedor da Euroliga em 1998, 2001 (Virtus Bologna)
  • Campeão Francês em 1996 (Pau-Orthez)
  • Campeão Italiano em 1998, 2001 (Virtus Bologna)
  • Vencedor da Taça de Itália em 1999, 2000, 2001, 2002 (Virtus Bologna)

Pessoal[editar | editar código-fonte]

  • MVP da Liga Francesa em 1991, 1992, 1993, 1994 (Cholet) e 1996 (Pau-Orthez)
  • Em julho de 2015, ele foi nomeado para o Hall da Fama da FIBA.[20]

Referências

  1. Basketball Reference. «Profile Antoine Rigaudeau». basketball-reference.com. Consultado em 25 de abril de 2015 
  2. euroleague.net. «All The Final Fours 1988-2011». euroleague.net. Consultado em 25 de abril de 2015 
  3. Basketball Reference. «Antoine Rigaudeau Olympic Games 2000». basketball-reference.com. Consultado em 25 de abril de 2015 
  4. «Men Basketball EuroLeague 1995-1996 - Final Four Paris-Bercy, France 09-11.04 - Winner Panathinaikos Athens (GRE)». www.todor66.com. Consultado em 6 de julho de 2019 
  5. «F4 History: 1998, A triumph for virtue». Welcome to EUROLEAGUE BASKETBALL (em inglês). Consultado em 6 de julho de 2019 
  6. «El oficio del Benetton de Treviso pudo con el Pamesa de Valencia». www.elmundo.es. Consultado em 6 de julho de 2019 
  7. «EuroLeague - 2000-01 Standings and Stats». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 6 de julho de 2019 
  8. «EuroLeague - 2001-02 Standings and Stats». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 6 de julho de 2019 
  9. «La chaine L'Équipe, la première chaine 100% sport, 100% gratuite». L'Équipe (em francês). Consultado em 6 de julho de 2019 
  10. «Rigaudeau quitte la scène». Eurosport. 30 de setembro de 2005. Consultado em 6 de julho de 2019 
  11. «Eurobasket Basketball, 1991-1992 season | Proballers». www.proballers.com. Consultado em 6 de julho de 2019 
  12. «1993 European Championship for Men | ARCHIVE.FIBA.COM». archive.fiba.com. Consultado em 6 de julho de 2019 
  13. «1995 European Championship for Men | ARCHIVE.FIBA.COM». archive.fiba.com. Consultado em 6 de julho de 2019 
  14. «1999 European Championship for Men | ARCHIVE.FIBA.COM». archive.fiba.com. Consultado em 6 de julho de 2019 
  15. «2001 European Championship for Men | ARCHIVE.FIBA.COM». archive.fiba.com. Consultado em 6 de julho de 2019 
  16. «2005 EuroBasket | ARCHIVE.FIBA.COM». archive.fiba.com. Consultado em 6 de julho de 2019 
  17. «Basket : fusion entre le Paris BR et Levallois». Les Echos (em francês). 11 de junho de 2007. Consultado em 6 de julho de 2019 
  18. «Antoine Rigaudeau à Paris-Levallois: c'est fait». L'Équipe (em francês). Consultado em 6 de julho de 2019 
  19. «BeBasket». Bebasket (em francês). Consultado em 6 de julho de 2019 
  20. Lacoste, Alexandre (17 de julho de 2015). «Antoine Rigaudeau et Robert Blanchard intègrent le Hall of Fame de la FIBA». BeBasket (em francês). Consultado em 6 de julho de 2019