Manu Ginóbili

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Emanuel Ginóbili)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Emanuel Ginóbili
Manu Ginóbili (cropped 2).jpg
Informações pessoais
Nome completo Emanuel David Ginóbili
Data de nasc. 28 de julho de 1977 (41 anos)
Local de nasc. Bahía Blanca, Argentina Argentina
Altura 1,98
Peso 93 kg
Apelido Manu
Informações no clube
Número 20
Posição Ala-armador
Clubes profissionais
Ano Clubes Partidas (pontos)
1995-1996
1996-1998
1998-2000
2000-2002
2002-2018
Argentina Andino Sport Club
Argentina Estudiantes
Itália Viola Reggio Calabria
Itália Virtus Bologna
Estados Unidos San Antonio Spurs
Seleção nacional
Argentina Argentina
Medalhas
Competidor da  Argentina
Jogos Olímpicos
Ouro Atenas 2004 Basquete
Bronze Pequim 2008 Basquete
Campeonatos Mundiais
Prata Estados Unidos 2002 Flag of Argentina.svg Argentina
FIBA Américas
Bronze San Juan 1999 Basquete
Ouro Neuquén 2001 Basquete
Prata San Juan 2003 Basquete
Ouro Mar del Plata 2011 Basquete
Campeonato Sul-Americano
Prata Bahía Blanca 1999 Basquete

Emanuel David Ginóbili, mais conhecido como Manu Ginóbili (Bahía Blanca, 28 de julho de 1977) é um jogador aposentado de basquetebol argentino que atuava como ala-armador. Defendeu por dezesseis anos a equipe do San Antonio Spurs. É um dos dois únicos jogadores a possuírem títulos da NBA, da Euroliga e dos Jogos Olímpicos (o outro é Bill Bradley)[1]. É considerado por muitos um dos melhores estrangeiros da história da NBA[2] e um dos maiores jogadores latino-americanos de todos os tempos.[3] Foi eleito o esportista argentino da década em 2010.[4]

Formou o "Big Three" dos Spurs - único clube que defendeu na liga americana - ao lado de Tony Parker e Tim Duncan, sendo quatro vezes campeão da NBA (2003, 2005, 2007 e 2014). Durante a carreira, foi escolhido duas vezes para o NBA All Star Game (2005 e 2011) e eleito o Sexto Homem do Ano em 2008.

Pela Argentina, foi o MVP dos Jogos Olímpicos de Verão de 2004, liderando a equipe na conquista da medalha de ouro. Faz parte do seleto grupo de atletas que conquistaram o título olímpico e a NBA no mesmo ano, ao lado de Michael Jordan, Scottie Pippen, LeBron James e Kyrie Irving. Foi também medalhista de bronze em 2008 e possui um vice-campeonato mundial em 2002.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Primeiros clubes, Draft e Euroliga (1999-2002)[editar | editar código-fonte]

Os primeiros anos de Manu Ginóbili como atleta profissional de basquete foram na própria Argentina. Em 1995 e 1996, defendeu o Andino Sport Club, de La Rioja. No ano seguinte, se transferiu para o Estudiantes, clube da sua cidade natal, Bahía Blanca, onde ficou até 1998. Logo depois, mudou-se para a Europa, ajudando o Viola Reggio Calabria a subir para a elite do basquete italiano.

Em 1999, inscreveu-se no Draft da NBA e foi escolhido na 57ª posição pelo San Antonio Spurs[5]. Contudo, não assinou com a equipe texana e voltou à Itália para defender o Virtus Bologna. Por lá, venceu a Euroliga em 2001, sendo escolhido o MVP[6]. Foi também campeão italiano, sendo MVP em duas edições (2001 e 2002), e participou três vezes do All-Star Game da competição.

San Antonio Spurs (2002-presente)[editar | editar código-fonte]

Títulos, "Big Three" e premiações[editar | editar código-fonte]

Após o sucesso na Europa, Ginóbili assinou com o San Antonio Spurs, estreando na temporada 2002-2003 e já conquistando o primeiro título. Foi escolhido para o segunda unidade do NBA All-Rookie Team, mesmo sendo reserva de Steve Smith (disputou apenas cinco partidas como titular)[7]. O título rendeu a Manu Ginóbili o prêmio Olimpia de Oro (concedido ao melhor atleta argentino do ano) pela primeira vez[8].

A primeira temporada como titular veio em 2004-2005, quando conquistou o seu segundo título. Ginóbili iniciou as 74 partidas em que atuou na temporada regular e foi escolhido pela primeira vez para o NBA All-Star Game. Teve também o melhor desempenho da carreira em playoffs. Terminou o ano recebendo novamente o Olimpia de Oro[9], sendo o primeiro atleta a ser escolhido por dois anos consecutivos.

O terceiro título de Ginóbili na NBA aconteceu em 2007. No entanto, o argentino começou como titular apenas 36 jogos na temporada regular, participando ativamente da segunda unidade. Tal posição foi mantida e o bom desempenho fez com que ele fosse escolhido o Sixth Man Of The Year em 2008[10]. Ginóbili também foi nomeado para o All-NBA Third Team no mesmo ano.

Em 2011, Manu voltou a ser titular, iniciando 79 dos 80 jogos que disputou na temporada regular. Apontado como um dos principais jogadores do time, foi candidato a MVP, terminando na oitava posição[11]. No fim, foi escolhido para o NBA All-Star Game e para o All-NBA Third Team[12], ambos pela segunda vez na carreira.

Ginóbili conquistou o quarto título da NBA em 2014 e ficou em terceiro na votação para Sixth Man Of The Year[13]. Fez história com o "Big Three" formado por ele, Tony Parker e Tim Duncan, que passou a ser o mais vitorioso da história dos playoffs da NBA, superando as 110 vitórias de Magic Johnson, Kareem Abdul-Jabbar e Michael Cooper do Los Angeles Lakers[14].

Recordes e aposentadoria[editar | editar código-fonte]

Mesmo na reta final da carreira, Ginóbili seguiu fazendo sucesso. Em 2017, na semifinal da Conferência Oeste contra o Houston Rockets, o argentino deu um toco em James Harden no último segundo e garantiu a classificação à final contra o Golden State Warriors[15]. Na decisão, se tornou o primeiro jogador aos 39 anos a marcar 20 ou mais pontos vindo do banco em um jogo de playoff. Mesmo diante de especulações sobre uma possível aposentadoria, Manu renovou contrato com o San Antonio Spurs por mais dois anos[16].

Aos 40 anos de idade, Manu Ginóbili teve uma temporada de 2017-2018 - a 16ª do argentino - com quebra de recordes. Num jogo contra o Phoenix Suns, foi o jogador mais velho da história da NBA a marcar mais de 20 pontos em menos de 20 minutos[17]. Na partida seguinte, fez 26 pontos, se juntando a Kareem Abdul-Jabbar, Michael Jordan e Robert Parish como únicos jogadores a marcarem mais de 20 pontos em partidas consecutivas com mais de 40 anos[18]. Assumiu ainda a liderança da franquia em roubadas de bola, à frente de David Robinson (1.388)[19].

Ainda em 2018, Ginóbili foi indicado como titular do All-Star Game por decisão popular, terminando como segundo mais votado, atrás apenas de Stephen Curry[20]. No entanto, por decisão de jornalistas especializados, ficou fora e cedeu lugar a James Harden, terceiro colocado[21]. Nas estatísticas, Ginóbili empatou com Shaquille O'Neal na sexta posição dos jogadores que mais disputaram partidas de playoffs da NBA[22]. Também chegou ao terceiro lugar em bolas três pontos convertidas na história dos playoffs, ultrapassando Reggie Miller[23].

Em 27 de agosto de 2018, Ginóbili anunciou que estava se aposentando do basquete. Foram 23 anos como profissional, sendo 16 nos Spurs da NBA.[24]

Seleção nacional[editar | editar código-fonte]

Manu com o ex presidente da Argentina Néstor Kirchner em 2005.

O auge da carreira internacional de Manu Ginóbili veio em 2004, com a conquista dos Jogos Olímpicos. Foi a primeira medalha de ouro no basquete da história da América do Sul, interrompendo uma hegemonia dos Estados Unidos[25]. O título veio com uma vitória por 84 a 69 sobre a Itália na final. Manu Ginóbili liderou a seleção em pontos e assistências[26], com direito a cesta da vitória no último segundo contra a Sérvia na fase de grupos[27] e, no fim do torneio, foi escolhido o MVP[28].

Com 29 pontos de Ginóbili, os argentinos venceram os Estados Unidos na semifinal por 89 a 81 e impuseram a primeira derrota da história do basquete norte-americano em Olimpíadas desde o início da participação dos atletas profissionais da NBA[29]. A seleção rival contava com nomes como Allan Iverson, LeBron James e Tim Duncan, seu companheiro de San Antonio Spurs.

Na edição seguinte, em 2008, veio a segunda medalha olímpica de Ginóbili, desta vez de bronze. Eliminado justamente pelos Estados Unidos na semifinal[30], o time derrotou a Lituânia na decisão do terceiro lugar[31]. Ginóbili, no entanto, não disputou o jogo derradeiro por conta de uma lesão[32]. O armador foi a principal referência em toda a delegação argentina, sendo escolhido inclusive para carregar a bandeira do país durante a cerimônia de abertura[33].

Manu Ginóbili ainda disputou mais duas vezes os Jogos Olímpicos: 2012, em Londres[34], e 2016, no Rio de Janeiro[35]. No entanto, não conquistou mais medalhas. O jogador chegou cogitar uma aposentadoria da seleção em 2012[36], mas decidiu atuar também em 2016[37]. Após a edição do Brasil e a eliminação novamente para os Estados Unidos, Ginóbili anunciou que aquela era sua despedida do time argentino[38].

Além das Olimpíadas, Ginóbili disputou diversas outras competições com a Argentina no período de 1998, ano de sua primeira convocação, até 2016, na despedida[39]. Foram dois títulos da Copa América (2001 e 2011) e um vice-campeonato do mundo em 2002[40]. Disputou também o Campeonato Mundial de 2006[41], mas ficou ausente em 2010 por conta do veto por parte do San Antonio Spurs[42].

Estatísticas na NBA[editar | editar código-fonte]

LEGENDA
 PJ  Partidas jogadas  PI  Partidas iniciadas  MPJ  Minutos por jogo  AP  Arremessos de quadra (%)
 3P  Arremessos de 3 pontos (%)  LL  Lances-livre (%)  RT  Rebotes por jogo  AS  Assistências por jogo
 BR  Roubos de bola por jogo  TO  Tocos por jogo  PPJ  Pontos por jogo  Negrito  Melhor da carreira
Ginóbili em 2010.
Campeão da temporada da NBA

Temporada Regular[editar | editar código-fonte]

Ano Equipe PJ PT MPJ AP 3P LL RT AS BR TO PPJ
2002-03 Spurs 69 5 20.7 .438 .345 .737 2.3 2.0 1.4 0.2 7.6
2003-04 Spurs 77 38 29.4 .418 .359 .802 4.5 3.8 1.8 0.2 12.8
2004-05 Spurs 74 74 29.6 .471 .376 .803 4.4 3.9 1.6 0.4 16.0
2005-06 Spurs 65 56 27.9 .462 .382 .778 3.5 3.6 1.6 0.4 15.1
2006-07 Spurs 75 36 27.5 .464 .396 .860 4.4 3.5 1.5 0.4 16.5
2007-08 Spurs 74 23 31.0 .460 .401 .860 4.8 4.5 1.5 0.4 19.5
2008-09 Spurs 44 7 26.8 .454 .330 .884 4.5 3.6 1.5 0.4 15.5
2009-10 Spurs 75 21 28.7 .441 .377 .870 3.8 4.9 1.4 0.3 16.5
2010-11 Spurs 80 79 30.3 .433 .349 .871 3.7 4.9 1.5 0.4 17.4
2011-12 Spurs 34 7 23.3 .526 .413 .871 3.4 4.4 0.7 0.4 12.9
2012-13 Spurs 60 0 23.2 .425 .353 .796 3.4 4.6 1.3 0.2 11.8
2013-14 Spurs 68 3 22.8 .469 .349 .851 3.0 4.3 1.0 0.3 12.3
2014-15 Spurs 70 0 22.7 .426 .345 .721 3.0 4.2 1.0 0.3 10.5
2015-16 Spurs 58 0 19.6 .453 .391 .813 2.5 3.1 1.1 0.2 9.6
2016-17 Spurs 69 0 18.7 .390 .392 .804 2.3 2.7 1.2 0.2 7.5
2017-18 Spurs 65 0 20.0 .434 .333 .840 2.2 2.5 0.7 0.2 8.9
Carreira 1057 349 25.4 .447 .369 .827 3.5 3.8 1.3 0.3 13.3
All-Star 2 0 21.5 .363 .000 .833 3.0 3.0 2.0 0.5 7.5

Playoffs[editar | editar código-fonte]

Ano Equipe PJ PT MPJ AP 3P LL RT AS BR TO PPJ
2003 Spurs 24 0 27.5 .386 .384 .757 3.8 2.9 1.7 0.4 9.4
2004 Spurs 10 0 28.0 .447 .286 .818 5.3 3.1 1.7 0.1 13.0
2005 Spurs 23 15 33.6 .507 .438 .795 5.8 4.2 1.2 0.3 20.8
2006 Spurs 13 11 32.8 .484 .333 .839 4.5 3.0 1.5 0.5 18.4
2007 Spurs 20 0 30.1 .401 .384 .836 5.5 3.7 1.7 0.2 16.7
2008 Spurs 17 6 32.9 .422 .373 .896 3.8 3.9 0.6 0.3 17.8
2010 Spurs 10 10 35.2 .414 .333 .866 3.7 6.0 2.6 0.2 19.4
2011 Spurs 5 5 34.8 .443 .321 .780 4.0 4.2 2.6 0.6 20.6
2012 Spurs 14 2 27.9 .448 .338 .857 3.5 4.0 0.7 0.3 14.4
2013 Spurs 21 3 26.7 .399 .302 .738 3.7 5.0 1.1 0.3 11.5
2014 Spurs 18 0 24.6 .423 .383 .859 3.3 4.1 1.7 0.1 14.3
2015 Spurs 7 0 18.7 .349 .364 .783 3.4 4.6 0.6 0.9 8.0
2016 Spurs 10 0 19.2 .426 .429 .783 2.7 2.5 0.8 0.3 6.7
2017 Spurs 16 1 17.8 .412 .225 .739 2.4 2.4 1.0 0.1 6.6
2018 Spurs 5 0 21.4 .405 .333 .818 3.0 3.2 1.4 0.2 9.0
Carreira 218 53 27.9 .433 .358 .817 4.0 3.8 1.3 0.3 14.0

Títulos[editar | editar código-fonte]

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Powell, Shaun. «If this is end of road for Manu Ginobili, it's been a memorable ride | NBA.com». NBA.com (em inglês) 
  2. «Manu Ginobili will go down as one of the greatest international players ever». For The Win (em inglês). 23 de maio de 2017 
  3. González, Freddy. «Manu Ginóbili: the Latin god of the NBA». www.latinamericanpost.com. Consultado em 27 de abril de 2018 
  4. «Manu Ginobili é eleito o esportista da década na Argentina - iG Esporte / Basquete - IG». esporte.ig.com.br. Consultado em 27 de abril de 2018 
  5. «How Manu Ginobili transformed from a little-known second-round pick into a huge part of the Spurs' legendary dominance». Business Insider 
  6. «Awards 2001-02 - Welcome to EUROLEAGUE BASKETBALL». www.euroleague.net (em inglês). Consultado em 26 de abril de 2018 
  7. «Year-by-year NBA All-Rookie Teams | NBA.com». NBA.com (em inglês) 
  8. Clarin.com. «Premios Olimpia: el oro fue para Manu Ginóbili» (em espanhol) 
  9. «Olimpia de Oro del deporte argentino para Tevez y Ginóbili». La Nación, Grupo Nación (em espanhol) 
  10. «Ginóbili é eleito o 'sexto homem' da NBA - Esportes - Estadão». Estadão 
  11. «2010-11 NBA Awards Voting | Basketball-Reference.com». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 26 de abril de 2018 
  12. «Manu Ginobili Named To All-NBA Third Team | San Antonio Spurs». San Antonio Spurs (em inglês) 
  13. Greenberg, Neil (21 de abril de 2014). «Manu Ginobili deserves Sixth Man of the Year award». Washington Post (em inglês). ISSN 0190-8286 
  14. Hughes, Grant. «San Antonio Spurs Big 3 Could Become Greatest Trio Ever with NBA Finals Win». Bleacher Report (em inglês) 
  15. «Toco de Ginóbili em Harden no fim da prorrogação garante vitória dos Spurs - Esporte - BOL Notícias». noticias.bol.uol.com.br. Consultado em 26 de abril de 2018 
  16. «San Antonio Spurs renova contrato de Manu Ginobili por dois anos». Terra 
  17. «Manu Ginobili, age 40, heats up Phoenix with history-making 21 points off the bench». Rappler (em inglês) 
  18. «Atuação de estrela põe Manu Ginóbili em patamar de Abdul-Jabbar e Jordan». Sportv 
  19. «Nba: Manu Ginóbili se convirtió en el líder histórico en recuperos de San Antonio Spurs». futbol.com.uy - Montevideo Portal (em espanhol) 
  20. «Ginobili narrowly missed first career All-Star start». San Antonio Express-News 
  21. «Por qué Manu Ginóbili no ingresó al All-Star Game a pesar de haber sido el segundo jugador más votado por los fanáticos». Infobae (em espanhol). Consultado em 26 de abril de 2018 
  22. «Manu Ginobili passes Shaquille O'Neal for eighth on all-time playoff games list» (em inglês) 
  23. «Manu Ginobili moves up to third on all-time playoff 3-pointers list» (em inglês) 
  24. "Spurs' Manu Ginobili announces retirement after 16 seasons". Página acessada em 27 de agosto de 2018.
  25. «Argentina ganha o primeiro ouro sul-americano no basquete - 28/08/2004 - UOL Olimpíadas 2004 - Basquete». esporte.uol.com.br. Consultado em 27 de abril de 2018 
  26. http://www.insidehoops.com/olympics.shtml
  27. «Ginóbili é herói na vitória argentina sobre a Sérvia - 15/08/2004 - UOL Olimpíadas 2004 - Basquete». esporte.uol.com.br. Consultado em 27 de abril de 2018 
  28. «Ginóbili é eleito o MVP dos Jogos de Atenas - Terra - Basquete Masculino». esportes.terra.com.br. Consultado em 26 de abril de 2018 
  29. «Argentina derrota 'Dream Team' e acaba com o mito dourado dos americanos - 27/08/2004 - UOL Últimas Notícias». noticias.uol.com.br. Consultado em 27 de abril de 2018 
  30. «EUA batem campeã olímpica Argentina e vão à final do basquete - Esportes - Estadão». Estadão 
  31. «Argentina bate Lituânia e fica com o bronze no basquete | - Guia de Praias». www.clicrbs.com.br. Consultado em 27 de abril de 2018 
  32. http://atarde.uol.com.br/esportes/noticias/990220-argentina-lamenta-derrota-no-basquete-e-a-perda-de-ginobili
  33. «Globoesporte.com > Pequim 2008 - NOTÍCIAS - Ginóbili levará a bandeira argentina na abertura dos Jogos Olímpicos». globoesporte.globo.com. Consultado em 27 de abril de 2018 
  34. «2012 Argentina Men's Olympic Basketball | Basketball-Reference.com». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 27 de abril de 2018 
  35. «Manu Ginóbili disputará Jogos do Rio-2016» 
  36. Paulo, iG São (15 de janeiro de 2011). «Manu Ginobili diz que pretende deixar seleção argentina em 2012 - Basquete - iG». Esporte 
  37. «Manu Ginobili to play for Argentina in Rio». NBC Olympics (em inglês) 
  38. «Ginóbili e Nocioni se despedem da seleção com festa da torcida argentina». globoesporte.com 
  39. «archive.fiba.com: Players». archive.fiba.com. Consultado em 27 de abril de 2018 
  40. «Folha de S.Paulo - Iugoslávia desfaz, no fim, sonho argentino - 09/09/2002». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 27 de abril de 2018 
  41. «El argentino Ginóbili anuncia que jugará el Mundial Japón 2006». La Nación, Grupo Nación (em espanhol) 
  42. «Argentino Manu Ginóbili está fora do Mundial de Basquete da Espanha». O Globo. 31 de julho de 2014