Apeadeiro de Esgueira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Não confundir com o Apeadeiro de Esqueiro, na Linha do Minho.
Esgueira IPcomboio2.jpg
BSicon BAHN.svg
Apeadeiro de Esgueira, em 2012.
Linha(s): R. de Aveiro/L.ª Vouga (PK 32,600)
Coordenadas: 40° 38′ 29,46″ N, 8° 37′ 04,78″ O
Concelho: bandeiraAVR
Serviços: Logo CP 2.svgBSicon LSTR orange.svgR
Website:


Logos IP.png
BSicon CONTfa grey.svg
BSicon HST grey.svgAzurva (Sentido Sernada do Vouga)
BSicon HST grey.svgEsgueira
BSicon KBHFe grey.svgAveiro (Sentido Aveiro)


O Apeadeiro de Esgueira é uma plataforma ferroviária regional da Linha do Vouga - Ramal de Aveiro. Está situado no limite da freguesia de Esgueira com a freguesia de Santa Joana, próximo da passagem de nível (com barreiras automáticas) que cruza a estrada EN230, coincidente localmente com Rua da República, no Distrito de Aveiro, em Portugal. Foi inaugurado em 16 de Janeiro de 1954.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Esta interface faz parte do troço entre as estações de Sernada do Vouga e Aveiro, que foi inaugurado em 8 de Setembro de 1911.[2], pela Compagnie Française pour la Construction et Exploitation des Chemins de Fer à l'Étranger.[3] No entanto, originalmente não existia um apeadeiro a servir a localidade de Esgueira, apesar da população ter pedido a sua construção.[1]

Em 1 de Janeiro de 1947, a gestão da rede do Vouga passou a ser assegurada pela Companhia dos Caminhos de Ferro Portugueses.[4] Em 16 de Janeiro de 1954, deu-se a inauguração do Apeadeiro de Esgueira, tendo a cerimónia tido início com a chegada do primeiro comboio às 12H50, que tinha saído de Aveiro.[1] Quando o comboio parou, foram lançados foguetes e a Banda Recreativa Eixense começou a tocar música, e o chefe do distrito recebeu uma coroa de flores de uma menina do Rancho Folclórico da Casa do Povo de Esgueira, que colocou na locomotiva, tendo em seguida cortado a fita simbólica que vedava a passagem ao apeadeiro.[1] A cerimónia contou igualmente com a presença dos inspectores António Ferreira da Costa e Martins de Almeida, o chefe de estação Manuel Bastos, o Governador Civil, vice-presidente da Câmara Municipal, o adjunto da Direcção de Estradas do Distrito, e o presidente e outros membros da Junta de Freguesia.[1]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre o apeadeiro de Esgueira

Referências

  1. a b c d e «Viagens e transportes» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 66 (1587). 1 de Fevereiro de 1954. 452 páginas. Consultado em 25 de Março de 2017 
  2. «Troços de linhas férreas portuguesas abertas à exploração desde 1856, e a sua extensão» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 69 (1652). 16 de Outubro de 1956. pp. 528–530. Consultado em 16 de Maio de 2015 
  3. TORRES, Carlos Manitto (16 de Março de 1958). «A evolução das linhas portuguesas e o seu significado ferroviário» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 71 (1686). pp. 133–140. Consultado em 16 de Maio de 2015 
  4. AGUILAR, Busquets de (1 de Junho de 1949). «A Evolução História dos Transportes Terrestres em Portugal» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 62 (1475). pp. 383–393. Consultado em 16 de Maio de 2015 



Ícone de esboço Este artigo sobre uma estação, apeadeiro ou paragem ferroviária é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.